quarta-feira, 2 de julho de 2014

APRENDA UM IDIOMA DE FORMA GRATUITA


Quer aprender uma língua estrangeira? 

Apresentamos três sites que oferecem cursos gratuitos e permitem praticar o idioma interagindo com outras pessoas. Sem dúvida, nunca foi tão fácil aprender uma língua estrangeira. 

Além de cursos, vídeos, podcasts e textos para praticar qualquer idioma, a web oferece a possibilidade de interagir com pessoas de outros países, o que certamente torna o aprendizado mais interessante. 

Conheça, a seguir, três sites onde é possível aprender e praticar línguas estrangeiras de graça. 

O Livemocha (que também tem cursos e serviços pagos) é o que atende a objetivos mais amplos, já que serve tanto para iniciantes como para quem já fala um idioma e quer aperfeiçoá-lo. 

O Memrise é ótimo para ampliar o vocabulário. E o Deutsche Welle é específico para quem quer aprender alemão. Livemocha 

O Livemocha combina cursos gratuitos e pagos com ingredientes de rede social. É um ótimo lugar para iniciar o aprendizado de uma língua estrangeira e para ampliar os conhecimentos. O usuário pode estudar sozinho, seguindo um dos cursos online. Pode trocar ideias com outras pessoas e praticar o idioma que está aprendendo. 

Livemocha Também pode ajudar outros alunos corrigindo seus exercícios e dando dicas, ao mesmo tempo em que recebe ajuda dos demais. Brasileiros tendem a receber pedidos de ajuda de pessoas que aprendem português. Cabe à pessoa aceitar ou recusar os pedidos. Se ela aceitar, pode ganhar os chamados mochapoints, créditos que podem ser trocados por itens pagos no site. 

O site Livemocha está disponível em português e outros 11 idiomas. Os cursos básicos são gratuitos e cobrem 38 línguas diferentes. Já os mais avançados são pagos e incluem Inglês, Espanhol, Francês, Alemão e Italiano. Uma mensalidade de 20 reais dá acesso a todos os cursos e a outros recursos pagos do site. 

Memrise Criado por em campeão de torneios de memorização, oMemrise é dirigido a pessoas que já têm algum conhecimento de uma língua estrangeira e querem melhorar seu vocabulário. 

Ele não ensina gramática, mas pode ser um ótimo complemento a um curso presencial ou na web. Também é uma ferramenta eficaz para relembrar palavras aprendidas no passado e esquecidas por falta de uso. 

Memrise Entre os idiomas mais populares nele estão inglês, espanhol, chinês, francês e alemão – mas a lista vai longe. 

Em qualquer caso, é necessário ter algum conhecimento de inglês, já que todas as instruções e dicas estão nessa língua. Basta escolher um idioma para ver os cursos disponíveis. 

Alguns abordam as palavras mais usadas enquanto outros têm temas específicos como negócios, ciências e gastronomia. 

O site usa a metáfora de um jardim. Cada palavra nova é uma planta a mais nele. Se a pessoa fica um tempo sem praticar, as plantas começam a murchar e é preciso “regá-las”. 

O Memrise avisa, por e-mail, quando isso acontece, convidando a pessoa a voltar a treinar seu vocabulário. O usuário vai acumulando pontos à medida que pratica o idioma, e pode comparar seu desempenho com o de outras pessoas. 

Muitos dos cursos disponíveis no Memrise foram criados pelos próprios usuários, que também podem colaborar no aperfeiçoamento do conteúdo existente. Fóruns de discussão permitem trocar ideias com outras pessoas que estão aprendendo ou desenvolvendo cursos. 

O Memrise conta com um aplicativo para iPhone que dá acesso aos exercícios. É prático para treinar idiomas durante alguma espera no aeroporto ou em outro local. Para isso, é preciso ter acesso à internet via 3G ou Wi-Fi. Tanto o site como o aplicativo são totalmente gratuitos. Deutsche Welle Para quem quer aprender alemão, a Deutsche Welle, emissora de TV e rádio estatal da Alemanha, oferece, em seu site, uma série de cursos gratuitos em todos os níveis. Para segui-los, é necessário conhecer um pouco de inglês. 

Embora os site esteja disponível em português, os cursos possuem explicações em inglês. Deutsche Welle As lições incluem exercícios escritos e falados e contam com abundante conteúdo multimídia.

GEOTRILHAS/RN REALIZA 3º ARRAIA DO CHAFURDO


O Geotrilhas/RN realizou no último dia 22 de junho o seu 3º Arraiá do Chafurdo no Assentamento Tanques em Dona Inês/PB. 

O evento que ficou um ano sem ser realizado, voltou em 2014 com a participação de 18 geotrilheiros voluntários na organização do evento, e os assentados do local e seus filhos, que puderam participar do sorteio de balaio junino e um kit Copa do Mundo, pescaria, quebra panela, corrida de saco, dança da cadeira e quadrilha improvisada. A animação ficou por conta do Trio Paraibano com o forró pé-de-serra.

Ainda durante o evento o Geotrilhas/RN e o Grupo Escoteiro do Mar Artífices Náuticos promoveram a entrega de certificações aos geotrilheiros, os primeiros títulos de sócios beneméritos do Geotrilhas/RN concedidos ao guia Cristiano Lourenço e ao ex-secretário de Turismo do município Mariano Ferreira. Já o grupo escoteiro agraciou com o certificado de Amigos do GEMAN às pessoas de Nilton Gomes, Seu Geraldo, Dona Toinha, Rosangela Santos, Cristiano Lourenço e Mariano Ferreira, pelas grandes contribuições ao grupo durante o açapamento escoteiro realizado em 2012 no assentamento.     

segunda-feira, 30 de junho de 2014

BIOCOMBUSTÍVEL NO TREM

Imagem: RTV
A ampliação do percentual de biodiesel no combustível utilizado pelas locomotivas de trens poderá reduzir custos do transporte ferroviário, de acordo com a Aprobio (Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil). 

A MP (Medida Provisória) 647 determina que a mistura, hoje em 5% de biodiesel por litro de diesel, seja elevada para 6% a partir de julho e 7%, em novembro. 

A associação tenta barrar uma emenda que ainda tramita no Senado e que poderá, se aprovada, isentar o setor ferroviário da utilização do biodiesel nas locomotivas. 

"As empresas ferroviárias usam o diesel 1.800, que é feito só nas refinarias de Paulínia [SP] e Manaus", diz Julio César Minelli, diretor-superintendente da entidade. 

"Como as usinas de biodiesel estão distribuídas de forma mais pulverizada pelo país, haverá redução de custos no transporte do produto até os centros logísticos das empresas ferroviárias."

sábado, 28 de junho de 2014

PESTICIDAS ESTARIAM COLOCANDO EM RISCO A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS


O impacto dos pesticidas sobre os ecossistemas já é estudado há muito tempo, e não são raros os trabalhos científicos que alertam que alguns tipos de químicos são prejudiciais para a saúde humana e animal. Porém, nunca antes um grupo de pesquisadores transmitiu tão forte a mensagem de que o uso de pesticidas está colocando em risco a produção agrícola ao acabar com espécies essenciais para a produção de alimentos. “A evidência é clara. 

Estamos testemunhando uma ameaça à produtividade de nossa agricultura e ao meio ambiente equivalente à que foi provocada pelos organofosfatos (DDT). Muito longe de proteger a produção de alimentos, o uso de neocotinoides e do fipronil está ameaçando a própria estrutura que mantém a agricultura, matando polinizadores e outras espécies essenciais”, afirmou Jean-Marc Bonmatin, do Centro Nacional para Pesquisas Científicas da França, um dos autores da análise. Bonmatin e outros 28 pesquisadores de diversas partes do mundo avaliaram mais de 800 estudos publicados nas últimas duas décadas para buscar entender qual é a visão da comunidade científica sobre o uso de alguns dos pesticidas mais populares mundialmente. 

 O que observaram é que existem poucas dúvidas de que os neocotinoides e o fipronil são prejudiciais para uma vasta quantidade de espécies, entre elas abelhas, borboletas, alguns tipos de minhocas e pássaros. 

Entre os problemas que esses pesticidas causam nos animais estão: perda do olfato e de memória; redução da fecundidade; alteração no padrão alimentar e no senso de direção. Nas abelhas, ainda provocam dificuldades de voo e aumentam a vulnerabilidade a doenças. “Quando os primeiros estudos apareceram sobre o tema, houve uma forte reação da indústria química e dos próprios agricultores. Assim, o assunto ficou esquecido por muito tempo. Hoje estamos vendo uma situação semelhante aos anos 1950, quando utilizávamos químicos na agricultura que eram terrivelmente nocivos”, reforçou Dave Goulson, da Universidade de Sussex. 

A estimativa mais recente aponta que os agricultores gastam anualmente mais de US$ 2,6 bilhões em neocotinoides. Para piorar, segundo os pesquisadores, as doses utilizadas desses pesticidas e a sua potência têm sido aumentadas com o passar dos anos, já que as pestes ficam cada vez mais resistentes. 

“É semelhante ao que vemos quando um ser humano abusa dos antibióticos para evitar ficar doente: quanto mais se usa, mais resistentes as bactérias ficam. É uma loucura o que estamos fazendo, utilizando esses pesticidas como profiláticos”, disse Goulson.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

A IMPORTÂNCIA DO SEGURO VIAGEM


Seguro viagem é o tipo de “gasto” que ninguém quer ter em uma viagem, pois acredita que nunca irá precisar! (eu desejo mesmo que seja assim). Contudo, em alguns casos isso deixa de ser opcional e o seu “querer” não é algo considerável, quando o destino, por exemplo, exige que você tenha isso para entrar e permanecer dentro dele. Todos já devem saber que estou falando dos países que fazem parte do Tratado de Schengen, onde o turista deve comprovar que está assegurado em até 30.000 euros em assistência médica. 

Pesquise antes de viajar quais são esses países, pois tratado Schengen é diferente de Comunidade Européia e Zona Euro. Nem sempre um país europeu está ao mesmo tempo, dentro desses 3 grupos. Daí você me pergunta: “Mas eles vão perguntar se eu tenho isso?” E eu te respondo: Nem sempre! Isso será exigido de você no momento em que passar pelo controle de imigração onde caímos naquela velha história: depende da sua idade, de onde você vem e depende do humor do funcionário do aeroporto que irá te atender. Mas você tem que saber que se isso acontecer e ele perguntar, meu amigo, você vai ter que ter esse seguro. 

Porém, existem outros destinos em que isso não é exigido. Sei que nesse caso volta a “preguiça” de adquirir esse serviço, mas antes de deixar pra lá, acredito que vale refletir melhor sobre o assunto. 

É verdade que ninguém quer chegar a usar isso e que, se não for obrigatório, por que gastar mais dinheiro? Mas, já ouvi histórias de pessoas que precisaram de assistência em uma viagem e que, não tendo o seguro, tiveram que desembolsar uma grana. 

Histórias que vão desde a um dente da frente quebrado, à aquisição de remédios que no destino eram de uso controlado, e o viajante não tinha receita. Se pesquisar, verá que o valor não é nada absurdo e de quebra você adquiri alguns benefícios e auxílios em situações que podem ser sim mais recorrentes em sua viagem como o extravio de bagagem, perda de voos e etc. Vai depender do plano que você adquirir. 

Em nossa viagem aos Estados Unidos, utilizamos o serviço da Coris e digo a vocês que com relação ao atendimento na aquisição e esclarecimento de dúvidas, foi perfeito. 

Sobre a utilização, tivemos a sorte de tudo ter corrido bem e portanto não precisamos acioná-lo. Então, sobre isso não posso dizer. 

Mas imagino que assim como no atendimento, a assistência seria devidamente prestada. Conheço outras pessoa que já o utilizaram e não tiveram problemas.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

MAIS DE 800 ESPÉCIES FORAM ADICIONAS À LISTA VERMELHA IUCN


Em 2014, a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) está celebrando os 50 anos de existência da sua Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, ferramenta globalmente utilizada essencial para guiar ações de conservação e decisões políticas. 

Apesar da data, na realidade, pouco temos para comemorar além de alguns poucos esforços bem sucedidos para a remoção das espécies das categorias de maior ameaça. Uma atualização da lista foi divulgada na semana que passou e incluiu mais 817 espécies. Assim, agora são 73.686 espécies avaliadas, das quais 22.103 (30%) estão ameaçadas de extinção. 

A lista é atualizada duas vezes por ano. Anunciando os novos números, a IUCN deu destaque para dois grupos extremamente preocupantes. Um deles são as orquídeas conhecidas como sapatinhos (sub-familia Cypripedioideae), que têm quase 80% das espécies ameaçadas de extinção. 

Elas são encontradas na América do Norte, Europa e Ásia (regiões temperadas), onde a destruição do seu habitat e a coleta das espécies selvagens para alimentar o comércio local e internacional são as principais causas da ameaça. “O surpreendente da avaliação é o grau de ameaça a essas orquídeas”, comentou Hassan Rankou, especialista da IUCN. 

A IUCN também destacou que 94% dos lêmures estão ameaçados de extinção. 

Das 101 espécies sobreviventes, 22 estão criticamente ameaçadas, 48 estão ameaçadas e 20, vulneráveis. Isso os torna um dos grupos de vertebrados mais ameaçados da Terra, e os culpados são a destruição do seu habitat e a caça para a alimentação. “Apesar da profunda ameaça aos lêmures, que tem sido exacerbada pela crise política em Madagascar [os animais são endêmicos deste país], acreditamos que ainda há esperança”, comentou Christoph Schwitzer, especialista da IUCN. 

Ele acredita que ações conjuntas entre os pesquisadores, comunidades e ONGs podem ter sucesso na proteção de espécies ameaçadas de primatas. Brasil Em nosso país, a IUCN já avaliou cerca de 5.500 espécies, e, na primeira atualização de 2014 da Lista Vermelha, deu destaque para o tatu-bola-do-nordeste (Tolypeutes tricinctus), mascote da Copa da FIFA 2014, que permanece classificado como Vulnerável. Acredita-se que a espécie declinou em mais de um terço nos últimos dez a 15 anos devido à perda de 50% de seus habitats, a Caatinga e o Cerrado. 

O risco é tão grave que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) instituiu o Plano de Ação Nacional para Conservação do tatu-bola, o PAN Tatu-bola. A caça predatória, a destruição de seus habitats e o pouco conhecimento existente sobre a espécie têm ameaçado sua sobrevivência, aponta o ICMBio. Em nível nacional, a espécie integra a Lista Oficial das Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção, classificada como Em Perigo. A IUCN nota que o status de Vulnerável do tatu-bola pode mudar com o anúncio da avaliação nacional. 

Em uma reportagem para a revista National Geographic, a equipe da IUCN explica que o mascote da Copa 2014 recebeu o nome de Fuleco, uma fusão das palavras futebol e ecologia. “Porém, o quanto o uso do tatu-bola-do-nordeste como mascote da Copa do Mundo se traduzirá em conservação para ele e para as outras nove espécies de tatu do Brasil, resta ser visto”, enfatizam. 

Outras espécies 

A atualização da lista também teve como triste notícia a extinção na natureza de uma samambaia endêmica do Arquipélago das Bermudas, a Diplazium laffanianum, também causada pela destruição do seu habitat, além da introdução de espécies exóticas. A boa notícia, enfatizada pela IUCN, é a recuperação de uma espécie devido a esforços de conservação da Autoridade de Parques e Natureza de Israel. O peixe Acanthobrama telavivensis, mais conhecido como Yarkon bleak, encontrado apenas em Israel, saiu da categoria Extinto na natureza para Vulnerável devido a um programa de reprodução em cativeiro dos últimos 120 peixes que haviam restado na natureza. 

Em 2006, nove mil peixes nascidos em laboratório foram liberados no seu habitat restaurado. “Apesar de celebrarmos alguns casos de sucesso para a conservação em cada uma das Listas Vermelhas da IUCN, há um longo caminho a percorrer entre onde estamos agora e 2020, o prazo estabelecido por quase 200 governos para estancar a perda da biodiversidade e evitar a extinção de espécies”, notou Jane Smart, diretora do Programa Global de Espécies da IUCN. A IUCN pretende que a lista seja um Barômetro da Vida, aumentando o número de espécies avaliadas de cerca de 70 mil para pelo menos 160 mil até 2020. 

A Lista Vermelha é um dos inventários mais detalhados do mundo sobre o estado de conservação mundial de várias espécies de plantas, animais, fungos e protistas, servindo de referência para a maioria dos projetos de conservação e instituições renomadas, como a BirdLife International. “Ao longo dos últimos 50 anos, a Lista Vermelha da IUCN tem guiado o trabalho de conservação – pouquíssimas ações positivas acontecem sem a Lista Vermelha como um ponto inicial”, comentou Julia Marton-Lefèvre, diretora geral da IUCN. “Precisamos continuar a expandir o conhecimento sobre as espécies do mundo para melhor compreender os desafios que enfrentamos, estabelecer prioridades de conservação e mobilizar ações concretas para acabar com a crise da biodiversidade”, enfatizou. 

terça-feira, 24 de junho de 2014

EXPOSIÇÃO CENÁRIO NORDESTINO


De 25 a 30 de junho, o Nordeste será retratado em fotografias na Exposição Cenário Nordestino, do fotógrafo Aldair Dantas. 

O evento acontece no Salão Nobre da Assembleia Legislativa, centro de Natal e terá a participação dos fotógrafos Canindé Soares Natal e Walmir Queiroz.