domingo, 26 de dezembro de 2010

DIVULGADO O CALENDÁRIO OFICIAL DE TRILHAS 2011 DO GEOTRILHAS/RN



Foi divulgado na manhã deste domingo, o calendário oficial das trilhas do Projeto GEOTRILHAS/RN para o ano de 2011. Neste terceiro ano de atuação, o GEOTRILHAS/RN pretende realizar ao todo doze trilhas até o término da temporada, pelos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Paraná. 

Para este ano, além de trilhas inéditas, estão previstas a Trilha da Cachoeira do Roncador em Bananeiras, que ganhou o Prêmio GEOTRILHAS/RN Melhores de 2009 na categoria melhor trilha, e a volta as origens do projeto, quando visitaremos no mês de dezembro a comunidade do Catu, para revivermos a trilha embrião do GEOTRILHAS/RN. 

Mas o maior destaque sem nenhuma sombra de dúvidas, será a realização da Expedição GEOTRILHAS/RN no Parque Nacional do Iguaçú no Paraná, marcada para o mês de novembro. Será a maior expedição feita pelo projeto, que irá durar cerca de uma semana, onde os participantes irão conhecer o famoso parque que abriga as cataratas do Iguaçú, tanto pelo lado brasileiro, como argentino, além de conhecerem a famosa Ciudad del Este no Paraguai. 

A abertura das atividades de 2011 estar prevista para o mês de janeiro com a realização da Trilha do Roteiro dos Engenhos no município de Ceará-Mirim, onde os participantes terão a oportunidade de trilhar pelos verdes canaviais, conhecendo um pouco da história do município, e a sua influência na economia potiguar com o seu carro-chefe (o açúcar ) na época da colonização.

Confira a programação 2011 e venha trilhar com o GEOTRILHAS/RN.

As datas serão confirmadas em breve, podendo haver alteração de destinos no decorrer do ano

sábado, 25 de dezembro de 2010

TRILHA ECOLÓGICA DA LAGOA DO PIATÓ - ASSÚ/RN

Lagoa do Piató
Localizado na microrregião do Vale do Açu, situada na Mesorregião do Oeste Potiguar e no Pólo Costa Branca, o município de Assú esta a uma distância de 210 km da capital do estado, com altitude de 27 metros acima do nível do mar.

O surgimento do município tem início por volta do século XVIII com a exploração das terras férteis pelo homem branco, que disputavam a região com os índios janduís. Primeiros habitantes do lugar.  Nesta época, Assú foi palco da guerra dos Bárbaros, que teve início em 1687 e perdurou até o ano de 1697.

Já no ano de 1696, foi criado na marge, esquerda do rio Açú o Arraial de Nossa Senhora dos Prazeres pelo então Governador da Capitania potiguar Bernardo Vieira. O objetivo deste arraial era ser um ponto de apoio para garantir o estabelecimento dos colonos na região, que consequentimente passou a se chamar povoado de São João Batista da Ribeira do Céu.

Daí então o povoado passou a ser referencia com suas oficinas de carne seca e a indústria de extração da cera de carnaúba, que passou a ser a base na economia da região.

A criação propriamente dita do município ocorreu em 22 de junho de 1766, por meio de Ordem Régia, que determinou o nome do município como Vila Nova da Princesa em homenagem à princesa Dona Carlota Joaquina de Bourbon, que se casou com D. João VI em abril de 1785.

Em 1845 teve a mudança do nome em definitivo para Açú, de acordo com a Lei Provincial nº 124 de 16 de outubro. Seu nome vem de “Taba-açú”, que significa Aldeia Grande.

Hoje em dia ainda há a controvêrcia quanto a verdadeira gráfia do nome do município. Pela Lei Provincial, a gráfia correta seria “Açú”, enquanto as placas de sinalização, e todo material com referencia a cidade, é escrito como “Assu”. Para completar ainda mais a confusão, a prefeitura municipal tem em seus prédios e no timbre de seu documentos a gráfia como “Assú”.

A geografia local é definida com um clima do tipo muito quente e semi-árido com temperaturas máximas de 33,0 °C e mínimas de 21,0 °C, e índice de Pluviométrica Anual de 588,8mm. Sua formação vegetal é composta por vegetação de Caatinga Hiperxerófila com características seca, com grande abundância de cactácea e plantas de porte mais baixo e espalhado, como a jurema-preta, mufumbo, faveleiro, marmeleiro, xique-xique e facheiro. Além de uma vegetação de Carnaubal onde a espécie predominante é a palmeira, a carnaúba. Os carnaubais são espaçados e iluminados.
Os solos são compostos por Litólicos Eutróficos, com fertilidade natural alta, textura média, fase pedregosa e rochosa, relevo suave ondulado e forte ondulado, rasos,muito erodidos, bem a acentuadamente drenados e Bruno não Cálcico com fertilidade natural média a alta, textura arenosa / argilosa e média / argilosa, fase pedregosa, relevo suave ondulado, bem drenado, relativamente raso e muito susceptível a erosão. Os seus usos estão associados à pecuária extensiva de maneira extremamente precária e a pequenas áreas onde são cultivados milho e feijão, além da criação de galináceos e no cultivo de tomate e algodão arbóreo.

O revelo de Assú possui uma altitude média de 100 metros, estando incluso na Chapada do Apodi, Depressão Sertaneja e nas Planície Fluviais. 

Geologicamente o município abrange terrenos pertencentes do Embasamento Cristalino e da Bacia Potiguar. A sede do município situa-se em solos aluvionares recentes que recobrem localmente os arenitos conglomerados e siltitos da Formação Açu (Bacia Potiguar) composta por arenitos finos a grossos, localmente conglomeráticos, de cor cinza claro, amarelada ou avermelhada, com intercalações de folhelhos e argilitos sílticos, com Idade do Cretáceo Inferior, 100 milhões de anos.

A Oeste encontram-se elementos da Formação Jandaíra composta de calcarenitos e calcilutitos bioclásticos, cinza claros a amarelados, com níveis evaporíticos na base, depositados em extensa planicie de maré e numa plataforma rasa, carbonática, elaborada por processos de pediplanação. Paleocascalheiras compostos paraconglomerados com seixos de quartzo, sílex e fragmentos líticos de matriz areno-argilosa avermelhada também são encontrados a oeste da sede municipal.

No vale do Rio Açu ou Piranhas encontram-se depósitos aluvionares compostos de areias e cascalhos, com intercalações pelíticas, associados aos sistemas fluviais atuais, formando uma planície fluvial, área plana resultante da acumulação fluvial sujeita a inundações periódicas. Margeando a Lagoa do Platô encontram-se depósitos de lagoas, composto de pelitos arenosos e carbonosos. Geomorfológicamente trata-se de uma área plana resultante de acumulação fluvial eventualmente sujeita a inundações periódicas ligadas sem ruptura de declive a patamares mais elevados.

As principais ocorrências minerais são argila para cerâmica vermelha; calcário; gipsita; gás natural e petróleo.

Quanto aos recursos hídricos Assú possui uma Hidrogeologia composta pelo Aquifero Jandaíra; Aquifero Aço; Aquifero Cristalino; Aquifero Aluvião e Arenito Açu, com águas em geral boas, podendo ser utilizadas para consumo humano, animal, industrial e outros, não havendo portanto limitações quanto à qualidade. Já a Hidrologia esta inserida quase que totalmente na Bacia Hidrográfica do rio Piranhas/Açu, ficando a outra parte inserida na Bacia Hidrográfica Apodí/Mossoró. Estão inclusos os rios Trairi; Açu; Paraú, dos Cavalos e Panon. E os riachos dos Tanques e Pedra Lisa.

Ainda quanto a Hidrográfia, Assú possui dois destaques a nível estadual: A lagoa do Piató com uma área de superfície de 54.000.000 m³, com 18 Km de extensão, recebendo águas principalmente do rio Piranhas/Assú. O outro destaque é a barragem Engº Armando Ribeiro Gonçalves, com uma capacidade de armazenamento de 2 400 000 000 m³, sendo abastecida também pelo rio Piranhas/Assú. Existe ainda outros três açudes públicos (Do Limoeiro, Mendubim e Volta dos Tanques garantem o abastecimento do município.

GEOTRILHAS/RN EM ASSÚ

Daniela, Roberto, Lázaro, Jonatas e Miguel

O embarque para o município de Assú aconteceu na tarde do dia 18 de dezembro, onde os cinco geotrilheiros encarregados de realizar a última trilha do ano enfrentaram um grande temporal até chegar em Assú. Ao chegar à cidade dos velhos poetas, tratamos logo de entrar em contato com o nosso guia Joumar Jackson, que já nos aguardava próximo a pousada 22 de Dezembro. Local onde parte do grupo iria ficar hospedado. Após a primeira parte do grupo se estabelecer na pousada, seguimos com destino ao Centro de Comércio Justo. Local onde iríamos jantar, e que a outra parte do grupo ficaria acampada. Depois de servido o jantar, e uma hora de prosa, nos recolhermos para acordar bem cedo e enfrentar a trilha que prometeria bastantes emoções.

Há exatas 04h:30, foi dada a alvorada, quando seguimos para a pousada 22 de Dezembro, para pegar o restante da equipe, e seguirmos para a comunidade do Piató.

Caminhanda a beira da lagoa
Às 05h:00 da manhã, com o sol ainda saindo timidamente, partimos beirando a lagoa em busca dos famosos baobás de Assú. Pela lagoa, o nosso outro guia – Genival – ia nos dando apoio com uma canoa, levando água e comida. À medida que caminhávamos, o sol vinha aparecendo e revelando a beleza da imensa lagoa, aonde os pescadores já vinham recolhendo as suas canoas com o pescado do dia.

De fundo estavam várias aves típicas do lugar, e a floresta de carnaúba se perdendo a nossa vista. Às 06h:00 da manhã foi servido o café na beira da lagoa, que foi essencial para retornamos a caminhada. Seguindo em frente, passamos por várias propriedades onde foi necessário transpormos várias cercas, para chegarmos ao nosso objetivo. As margens da lagoa ainda encontramos vegetação de caatinga, bem como algumas formações de falésias, bem como um grande número de conchas, que em alguns trechos cobriam todo o chão. Era bastante interessante o formato da lagoa, que até parecia um mar. Encontramos algumas ilhas e deltas, em que os populares chamavam de “suvaco”.


Daniela vislumbra o Baobá
 Após cerca de três horas de caminhada, avistamos a primeira copa de um dos baobás, mas que ainda estava muito distante. Passamos ainda por uma área de plantações de subsistência até chegarmos na fazenda com a maior concentração de baobás do Brasil. Eram sete árvores bastante imponentes com cerca de 25 metros de altura. Nos impressionava a quantidade de frutos pelo chão, e a espessura da árvore, onde foi necessário sete pessoas para efetuar um abraço simbólico. Segundo alguns moradores do local, os baobás foram plantados de forma involuntária pelas fezes dos pássaros que cruzavam o Oceano Atlântico vindo da África, e tenham a área da lagoa do Piató para descansar, isso muito anos antes da chegada dos primeiros colonos na região.

Grupo voltando de canoa
Após termos nos refrescado nas águas da lagoa, aguardamos a chegada do Joumar Jackson com a outra canoa, para seguirmos de volta para a comunidade. O passeio de canoa foi bastante proveitoso, na medida em que conhecemos mais ainda a lagoa. Chegamos na comunidade após termos enfrentado uma forte chuva durante o percurso de volta, que deu mais emoção a jornada. Regressamos para o Centro de Comércio, onde um farto almoço a base de carneiro nos esperava. Após terminarmos a refeição, seguimos as margens da BR-304 onde efetuamos mais um plantio da campanha “Trilhando o Verde!”. Desta vez a oportunidade foi dada a profª. Daniela Cândido e ao amigo Miguel, que estava de férias no estado e decidiu nos acompanhar em mais esta aventura.

Depois de termos desarmado acampamento nos despedimos da turma amiga de Assú que nos acolheu, e seguirmos com destino a Natal com a sensação de mais um ano realizado com muitas trilhas e lembranças inesquecíveis, e com a perspectiva que 2011 será com a mesma intensidade de trilhas, e a certeza de fazer novos por amigos por onde passarmos.

Raio-X


Nível de Dificuldade – Médio

Localização da Trilha – Ótimo

Disponibilidade de Socorro Médico – Bom

Apoio Logístico - Ótimo


Recomendações necessárias para trilhar

- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;


- Utilizar bastante protetor solar;


- Levar cantil com bastante água;


- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;


- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores do Parque;


- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;


- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor;


- Usar colete salva-vidas.


Onder comer

Restaurante do Centro de Comércio Justo


Fone: 84 3331-1792 (Joumar Jackson)


Onder ficar

Pousada 22 de Dezembro

Fone: 84 3331-1792 (Joumar Jackson)

Contatos para realização de trilha

Joumar Jackson
 
Fone: 84 3331-1792


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

CHEFES GEOTRILHEIROS PARTICIPAM DO CURSO AVANÇADO ESCOTEIRO

Formandos do Curso Avançado 2010
Continuando a política de formação e qualificação de seus chefes, o Grupo Escoteiro do Mar Artífices Náutico – GEMAN-64º/RN enviou para o município de Assú/RN seis dos seus chefes para dar continuidade ao processo de formação. Desta vez, o objetivo foi a Curso Avançado, o último estágio para a linha de escotistas e dirigentes, que não pretensões para dirigir cursos de formação do Movimento Escoteiro.

O curso Avançado também é conhecido como “Insígnia da Madeira”. A história da Insígnia de Madeira surge no Movimento Escoteiro pelas mãos de Baden-Powell, associada ao primeiro curso realizado em Gilwell Park, de 8 a 19 de setembro de 1919. O símbolo do treinamento são duas pequenas contas de madeira, cópia de um velho colar presenteado a Baden-Powell por Dinizulu, rei Zulu, durante sua permanência na África austral, em reconhecimento à superioridade guerreira e pelo tratamento digno dado ao rei e a seu povo.

Foram três dias de acampamento numa propriedade na Zona Rural de Assú, em que fizeram presentes cerca de 70 pessoas de grupos escoteiro básica, do ar e do mar das modalidades de Assú, Natal, Mossoró, Caraúbas, Macau, Caicó e Jardim de Piranhas.

O curso ofereceu aos participantes aulas de canções, orientação, espiritualidade, como falar em público entre outros.

Pelo GEMAN, participaram os geotrilheiros Lázaro Freire, eleito como um dos participantes destaque, e Jonatas Dantas, que se tornou o mais novo “IM”, como é chamado os concluintes, que conseguiu esse feito com apenas sete meses de Movimento Escoteiro, mas com muito empenho e dedicação.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

ARRE ÉGUA ! 2010 TEM A PARTICIPAÇÃO DO GEOTRILHAS/RN

Instrução de sapador ministrada aos Lobinhos
Foi realizado nos últimos dias 03, 04 e 05 de dezembro no distrito do Mendes, o quarto e último acampamento do ano de 2010 do Grupo escoteiro do Mar Artífices Náutico – GEMAN-64º/RN, denominado de ARRE ÉGUA! 2010.

Na propriedade do Chefe Charlon Silles, os membros juvenis tiveram as primeiras noções sobre a Modalidade do Ar, que contou com a colaboração do Clube de Aeromodeslimo Potiguar, que tem a sua sede campestre nas proximidades do acampamento.

A chefia de geotrilheiros também estava presente, sendo representada por Jonatas Dantas e Lázaro Freire, que dentre as instruções tradicionais do escotismo, como comida mateira, sapador, pistas de obstáculos entre outros, ministraram aulas de orientação por bússola, e organizaram uma disputa entre os três ramos do grupo, numa divertida corrida de regularidade.

Durante o acampamento, foram beneficiadas cerca de 40 jovens entre os ramos Lobinho, Escoteiro e Sênior.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

ÚLTIMA ETAPA DO CIRCUITO RN TRILHAS DE REGULARIDADE 2010 É REALIZADA EM NA PRAIA DE MARACAJAÚ. 2011 DEVERÁ SER UM ANO MELHOR PARA AS EQUIPES DO GEOTRILHAS/RN

Com uma prova marcada por muitos erros, as equipes do GEOTRILHAS/RN
se despedem do Circuito 2010 pela porta de trás.
Marcajaú foi o local escolhido para sediar a última etapa do Circuito RN Trilhas de Trekking de Regularidade 2010. As vinte e seus equipes divididas nas categorias Graduados e Iniciantes percorreram mais de 12 Km pelas dunas do município de Ceará-Mirim, onde encontraram trechos de metragem especial, prismas e mapa da mina.

As duas equipes do GEOTRILHAS/RN marcaram presença com desfalques em ambas. A GEOTRILHAS/RN ADVENTURE contou com a presença de apenas dois atletas (Paulo Jr e Pires), enquanto a GEOTRILHAS/ ADVENTURE JÚNIOR com três atletas (Darlington Farias, Lázaro Freire e Robson Carmo). Ambas as equipes tiveram uma participação bem apagada nesta última etapa, ao passo de a equipe GEOTRILHAS/RN ADVENTURE JÚNIOR, após um erro de estratégia no Mapa da Mina, perdeu bastante tempo, não conseguindo recuperar em tempo hábil, resultando numa chegada entre as três últimas equipes, rendendo a 14ª posição e uma saída do campeonato bastante constrangedora. Já a equipe GEOTRILHAS/RN ADVENTURE até que começou a prova muito bem, achando a mina e demais bônus. Só que por um erro de navegação, comprometeu o seu tempo e conseqüentemente o final da prova. Chegando bastante adiantado no término da prova, ficando na 15ª.

A vitória ficou na categoria Graduados com a equipe Carbonovéio, seguida por Pedal Livre e Formol. Já na categoria Iniciantes, os três primeiros foram Boraborabora, Os Cangaceiros e Guaxinim.


O ano de 2011 será de muitas
novidades para as equipes do projeto
 O título do circuito 2010 na categoria Graduados ficou com a equipe Carbonovéio, com 87 pontos, seguida por ApN 2.0 com 83 pontos e a equipe Pedal Livre com 77 pontos. Na categoria Iniciantes, o titulo ficou com a estreante Boraborabora, que dominou praticamente todo o campeonato, finalizando com 70 pontos. O segundo lugar ficou com a equipe Os Cangaceiros somando 47, e o terceiro lugar ficou com a equipe Fugindo da Rotina, com 46. Elas juntamente com as equipes Bazinga e Guaxinim, quarto e quinto lugar respectivamente, irão subir para a categoria Graduados no ano que vem, conforme o regulamento do Circuito. A equipe GEOTRILHAS/RN ADVENTURE JÚNIOR terminou o ano na 22ª posição somando 08 pontos, e a equipe GEOTRILHAS ADVENTURE ficou na 26ª com dois pontos.

A situação para ano que vem ainda esta indefinida para as duas equipes do GEOTRILHAS/RN, devido a alterações no regulamento, que obrigará uma das equipes a passar para a categoria Graduados. A estratégia será reformula a equipe GEOTRILHAS/RN ADVENTURE com membro da GTA-JÚNIOR, onde esta será a equipe que representará o projeto na categoria Iniciantes. Uma outra probabilidade é a abertura de uma outra equipe na categoria Iniciantes, em parceria com o Grupo Escoteiro Artífices Náutico – GEMAN-64º/RN, que abrirá a oportunidade que membros do grupo tenham experiências neste tipo de competição.

II DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART FOI MARCADO POR EMOÇÕES DO INÍCIO AO FIM

O trofeú foi bastante solicitado para fotos pelos visitantes do evento
A tarde do último dia 27 de novembro foi marcada com muita velocidade no Katodrómo Governador Geraldo Melo em Natal, que abriu suas portas para a realização do II Desafio GEOTRILHAS/RN de Kart. A prova contou com a participação de onze pilotos inscritos, entre associados do projeto e convidados que disputavam o cobiçado troféu Ayrton Senna da Silva.

Após a foto oficial da prova, e depois do briefing com os mecânicos, os onze pilotos assumiram os seus lugares, e partiram para a sessão de treinos livres para decidir o grid de largada.

A pole position ficou com a geotrilheiro Rafael Melo, com tempo de 01:10:010. Abrindo uma vantagem de 07 segundos em relação a Lázaro Freire, o segundo no grid.

Confira o grid completo:

Com os carros devidamente alinhados foi dada a largada, onde logo na primeira curva ocorreu um acidente após uma rodada de Rafael envolvendo os quatros primeiros colocados. Quem se aproveitou da situação foi o piloto Ângelo Roncalle, que pulou para a primeira posição. Mas não conseguiu manter por muito tempo, depois que rodou sozinho na curva do boxes ainda na primeira volta. Com isso Rafael Melo reassumiu a ponta, seguido por Lázaro Freire e Jhonny Roncalle.

Na terceira volta Rafael Melo bate de frente na proteção de pneus, após a chinqueine de acesso as arquibancadas. Daí então, tem início a uma prova particular pela disputa da primeira posição, promovida por Lázaro Freire e Jhonny Roncalle, que duelaram durante toda a prova, alternando de posição.

No pelotão intermediário, também havia uma grande disputa pelo quarto lugar,envolvendo mais um membro da família Roncalle, Alexandro, e os pilotos Hallyson Aquinio e Barão Musse, que davam um show fora a parte. Ainda durante a prova, o kart de Ângelo Roncalle teve um principio de incidência, que obrigou o piloto a para e trocar de kart.

Voltando para a disputa principal, o piloto Jhonny Roncalle tinha um maior rendimento de seu kart durante a reta de chegada, enquanto o piloto Lázaro Freire conseguia se aproximar na parte mista do circuito, tendo por algumas vezes ultrapassado o piloto do kart 07, mas que conseguia retomar a posição na reta de chegada. Faltando três voltas para o término da prova, finalmente Lázaro Freire consegue passar Jhonny Roncalle na reta oposta, mantendo-o uma posição de defesa de sua posição, até que na entrada da chinqueine das arquibancadas, Jhonny Roncalle enche a traseira do kart 11, jogando-o para fora da pista, acabando praticamente com as chances de vitória do piloto Lázaro Freire.

Com o acidente, Jhonny que assumia a primeira posição começou a perde rendimento, o que facilitou a aproximação de Rafael Melo, que vinha fazendo volta rápida após volta rápida. Inclusive marcando o melhor tempo da prova com 01m:08 seg:282mm. O que contribuiu para fazer ultrapassagem em cima de Jhonny.

Mas ainda a prova guardava um pouco de emoção, quando na reta oposta, mais uma vez Rafael Melo roda sozinho, deixando a vitória cair no colo de Jhonny Roncalle, Além de perde a segunda posição para Lázaro Freire, que vinha numa corrida de recuperação, chegando a três segundos do primeiro lugar.

O podium foi completado com a chegada de Rafael Melo, que ainda tinha uma boa vantagem em cima do quarto colocado Alexandro Roncalle

Confira a classificação final.
Com a vitória, Jhonny Roncalle passa a ser o segundo piloto a faturar o Desafio GEOTRILHAS/RN de Kart, que teve seu primeiro vencedor, o piloto Lázaro Freire.

Para o ano que vem, o Desafio GEOTRILHAS/RN de Kart passará a ser um campeonato amador, com a previsão inicial de quatro etapas durante o ano. Segundo a coordenação do GEOTRILHAS/RN, isso dará mais emoção a disputa, e fará com que novos pilotos trilheiros possam participar, tanto do campeonato, como também das atividades mensais de trilhas ecológicas.