sexta-feira, 30 de março de 2012

CASA DA RIBEIRA APRESENTA O SHOW ÍTIMO - SEU ZÉ

Apresenta o lado maisintrospectivodo SeuZé, uma faceta melancólica por vezes ignorada, com canções de todos os discos do grupo que atendam a essa proposta. A apresentação conta com projeções de vídeos e recursos cênicos.

Coordenação geral: Gustavo Wanderley
Coordenação de Produção: Mariana Hardi
Edição, Direção de Criação e Arte: Dillo Tenório
Serviços
31 de março de 2012 as 20h
Música
Valor: R$ 5.00
Mais informações: (84) 3211-7710

quinta-feira, 29 de março de 2012

TRADICIONAL CORRIDA DO BAIRRO PADRE ZÉ EM JOÃO PESSOA/PB


O bairro de padre Zé sediará neste próximo dia 01/04, mais uma Corrida de Rua do Padre Zé. Com um percurso de aproximadamente 8km, pelas principais ruas do bairro, terá premiação em dinheiro para os primeiros colocados além de premiação de troféus e dinheiro para os três primeiros colocados dentro da faixa-etária de 10 em 10 anos.

As inscrições no valor de R$ 15,00 podem ser feitas as sede da ASCORPA, situada na Rua Miguel Couto, N° 135 3° Andar-sala 302 Centro- João Pessoa/PB Cep: 58010-070 - Horário 08:00 até 17:00.

Haverá premiação em dinheiro, sendo R$ 250,00 para o primeiro e R$ 200,00 para o segundo lugar no geral.

Maiores informações pelos telefone (83) 8830-6501, ou ainda pelo e-mail ascorpa-corredor@hotmail.com

segunda-feira, 26 de março de 2012

CASA DA RIBEIRA APRESENTA O ESPETÁCULO "NO CAMINHO DE CASA - ENTRE NÓS COLETIVO DE CRIAÇÃO"

O Espetáculo retrata as estradas que percorremos diariamente, caminhos que levam à "casa". Seja ela material ou imaterial. Material: sólida, aconchegante e firme como uma estrada reta sem curvas e decidida. Imaterial: vontades, inquietudes, caminhos sinuosos quase sempre surpreendentes. No palco, três homens e três mulheres, universos distintos e sentimentos semelhantes que buscam a harmonia, o incentivo, os motivos, para assim poder construir e usufruir de um viver mais compartilhado, mais poético.

Coordenação geral: Gustavo Wanderley
Coordenação de Produção: Mariana Hardi
Edição, Direção de Criação e Arte: Dillo Tenório

Serviços
29 de março de 2012 as 20h
Teatro
Valor: R$ 5.00
Mais informações: (84) 3211-7710

sexta-feira, 23 de março de 2012

XII CORRIDA DAS MALVINAS - CAMPINA GRANDE



DATA: 25/03/2012
HORA: 8hs
LOCAL: Rua Jamila Abraão (campo do Guarani) - Largada e Chegada

INSCRIÇÕES: GRÁTIS: por email (ascorc@bol.com.br) e no local da prova 30 min antes da largada

PREMIAÇÃO: troféus e medalhas nas categorias + brindes

CATEGORIAS:
Masculino de 10 em 10 anos
Feminino ( até 19, de 20 a 35 anos e a partir dos 36 anos)

INFORMAÇÕES: (83) 8868-8453 (Regina) & 9971-9469 (Zé Luiz) 

email: ascorc@bol.com.br / zlferreira@uol.com.br / kat.regi@hotmail.com

quinta-feira, 22 de março de 2012

ÁRVORES URBANAS REDUZEM A VIOLÊNCIA?


Um estudo sobre árvores urbanas e seus efeitos sobre a cidade mostrou que elas fortalecem as comunidades e reduzem a violência doméstica. Comparando-se locais em que os edifícios são cercados apenas por concreto e asfalto, com outros em que há árvores, grama, e até mesmo flores, observou-se que as diferenças no comportamento social das pessoas que vivem em prédios com e sem árvores, deve-se à presença das árvores.

Árvores e vizinhos
Segundo o estudo, as pessoas que moram em prédios com árvores, apresentam relações significativamente melhores com seus vizinhos. Os espaços ao ar livre com árvores são usados mais frequentemente do que os espaços idênticos sem árvores. Em áreas urbanas, as pessoas são atraídas para espaços arborizados, são mais propensas a interagir com seus vizinhos, têm mais chances de conhecerem uns aos outros e de se tornar amigos.

Pessoas com fortes laços de vizinhança são fisica e mentalmente mais saudáveis e menos propensas a negligenciar ou abusar de seus filhos. Os resultados do estudo sugerem que, investindo em florestas urbanas, uma cidade pode colher dividendos como uma incidência reduzida de abuso infantil, e diminuição da demanda sobre os serviços sociais.

As árvores podem reduzir a violência?
Há menos violência em áreas urbanas onde há árvores? Segundo a pesquisa, os moradores de prédios com árvores relataram que se sentem mais construtivos, e usam formas menos violentas de lidar com conflitos em suas casas. E em conflitos com seus parceiros, relataram menos uso da violência física do que os residentes que vivem em edifícios sem árvores.

As árvores podem contribuir para diminuir a violência doméstica, fortalecer as comunidades urbanas, e diminuir a incidência de abuso de crianças em uma cidade. Neste estudo, percebe-se que as florestas urbanas ajudam a construir comunidades mais fortes, e ao fazê-lo, contribuem para reduzir os níveis de violência doméstica.

Crianças e adultos mais calmos
Uma rua ou um condomínio bem arborizado traz, ainda, muitos benefícios sociais, pois as crianças são encorajadoras a brincar fora de casa, tornando-se mais ativas. Isto significa menos tempo à frente da tevê e do computador. Bem-arborizadas, as ruas e prédios incentivam o tráfego de pedestres e carros mais lentos.

As crianças adoram brincar ao ar livre. Areia, terra e grama são estimulantes sensoriais para bebês e crianças. Repetidas idas ao quintal, à rua ou ao parque local reduzem as tensões causadas pela vida cotidiana. E o resultado tende a ser crianças e adultos mais calmos.

Estes resultados sugerem que as árvores podem ajudar a resolver alguns dos problemas mais importantes na sociedade de hoje. E que as florestas urbanas são uma parte fundamental da infra-estrutura de qualquer cidade, tão necessária como ruas, esgotos e eletricidade. O que vocês acham disso?

quarta-feira, 21 de março de 2012

PROJETO QUE SUBSTITUI DIESEL FÓSSIL POR DIESEL DE CANA EM ÔNIBUS TERÁ RESULTADOS DIVULGADOS NA RIO+20


A Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) divulgará na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, em junho, os resultados preliminares do projeto Diesel de Cana - Rumo a 2016, que usa tecnologia sustentável desenvolvida pela empresa Amyris Brasil.

Lançado em julho do ano passado, durante o 1º Seminário de Tecnologias Sustentáveis no Transporte, no Rio, o projeto foi iniciado na prática em janeiro deste ano, com testes relativos à adição, ao diesel fóssil, de 30% de diesel obtido a partir da cana-de-açúcar. Os testes são feitos em 20 ônibus, que já estão rodando nas ruas da capital fluminense. A ideia é elevar esse número para 30 ônibus este ano, disse ontem (18) à Agência Brasil o gerente da Fetranspor, Guilherme Wilson.

As avaliações iniciais do projeto serão feitas até a Rio+20 por pesquisadores da Coordenação de Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ). "Tem análise de combustível, de quilometragem, de consumo, de manutenção, de percepção de performance, de emissões. Tudo isso está sendo olhado", disse Wilson. Ele enfatizou que os resultados parciais só vão estar prontos na Rio+20. "Faltam três meses ainda", lembrou.

O gerente da Fetranspor não tem dúvidas, entretanto, de que o projeto trará melhorias para o meio ambiente. A perspectiva é diminuir a emissão de gases de efeito estufa até 90%, porque o combustível é feito a partir de biomassa renovável, no caso a cana-de-açúcar. Os testes determinarão também se haverá redução de custos para as empresas de ônibus. "Os impactos estão sendo medidos", declarou o gerente da Fetranspor.

A utilização do diesel de cana não implicará em alteração mecânica nos motores dos ônibus, o que elimina a necessidade de investimentos adicionais para fazer a substituição do diesel fóssil.


terça-feira, 20 de março de 2012

PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS INSCREVE ATÉ DIA 21/03



O Ministério do Meio Ambiente (MMA) prorrogou, até o dia 21 de março, o prazo de inscrição para o prêmio que vai eleger as melhores experiências em sustentabilidade ambiental urbana. A premiação tem como finalidade promover a divulgação e o intercâmbio de experiências municipais de sucesso, valorizando e estimulando os avanços no desenvolvimento de cidades sustentáveis. Municípios com boas práticas ambientais podem participar do processo de seleção com, no máximo, oito projetos. Até o momento, há 89 cidades habilitadas.

Os interessados podem cadastrar projetos arquitetônicos, urbanísticos, paisagísticos, de infraestrutura ou de recuperação de áreas degradadas; de serviços públicos relacionados à gestão de resíduos sólidos e drenagem urbana; de programas de fiscalização integrada de áreas protegidas; criação de conselhos, comitês de bacias, consórcios públicos, entre outras iniciativas Veja os detalhes no edital.

A inscrição deve ser feita por meio de formulário eletrônico disponível no site do MMA e protocolada na Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério até o dia 21 de março, às 17h. Todas as experiências habilitadas participarão do processo seletivo.

Serão escolhidas três experiências por tema e a premiação será durante o 1º Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, dia 29 de março, em Brasília, onde as iniciativas serão expostas.  As boas práticas selecionadas serão publicadas pelo Ministério e divulgadas em eventos de grande presença de público, como a Semana do Meio Ambiente e a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que será realizada em junho, no Rio de Janeiro.

Para informações adicionais, acesse www.mma.gov.br/sustentabilidadeurbana

segunda-feira, 19 de março de 2012

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE ESTÁ CONCLUINDO ESTUDO SOBRE CRIAÇÃO DE MAIS TRÊS ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL NO PAÍS

Vladimir Platonow
Repórter da Agência Brasil


Rio de Janeiro – O país vai ganhar mais três áreas de proteção ambiental: duas na Bahia e uma em Santa Catarina. Segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira,os estudos já estão em fase de conclusão.

“Nós temos 21 unidades de conservação em estudo, das quais 18 dependo da aprovação dos governos estaduais. Três estão liberadas agora, depois de toda uma negociação. No estado da Bahia [duas] e no estado de Santa Catarina. [Estão politicamente negociadas] e tecnicamente construídas solidamente. Elas estão prontas para a proposta de discussão de criação”, disse a ministra.

A ministra ressaltou porem que não basta criar oficialmente uma unidade de conservação. Ela defendeu um planejamento prévio levando em conta a ocupação das terras. “A orientação é criar unidades de conservação que possam convergir com as populações no seu entorno, para que elas possam proteger as unidades e viver sem conflitos.”

A ministra enfatizou que já existe um passivo bilionário, desde o século passado, de regularização fundiária no país. “O número mais conservador é R$ 20 bilhões. Porque se criam as unidades de conservação e ignoram que ali é uma propriedade privada e que tem de se indenizar as pessoas. Fizemos o levantamento e vamos propor um diálogo com o governo de como podemos avançar na regularização.”

domingo, 18 de março de 2012

CONAR REPROVA CAMPANHA CONTRA SACOLINHA


O Conar reprovou e suspendeu a campanha "Vamos Tirar o Planeta do Sufoco", realizada pela Apas (Associação Paulista de Supermercados), cujo objetivo é banir o uso das sacolinhas plásticas descartáveis. A campanha vem sendo veiculada em jornais, televisão, mídias sociais e em ações de marketing dentro dos supermercados. 

A decisão unânime, votada por seis integrantes da 1ª Câmara do Conselho de Ética do Conar, atende a uma representação da Plastivida (Instituto Sócio Ambiental dos Plásticos). A entidade questionou a veridicidade da campanha, com base em regras do código de autorregulamentação que consideram oito itens da ética publicitária que devem ser respeitados nos apelos de sustentabilidade usados em propagandas. 

"É uma tentativa de propaganda enganosa porque a campanha diz que a sacola é descartável, quando ela é reutilizável, comprovadamente por pesquisas feitas com a população. Além disso, a campanha não apresentou informações com exatidão e clareza nem citou fontes científicas para comprovar que, ao banir a sacola, o problema do ambiente está resolvido", afirma Jorge Kaimoti, advogado da Plastivida. 

O Conar considerou ainda o argumento usado pelo instituto de que, em momento algum da campanha, a associação de supermercados informou que o custo das sacolas já é embutido no preço dos produtos. 

"A sacola nunca foi fornecida gratuitamente. E, apesar de deixar de distribuí-las, continuaram a ser cobradas de forma indireta", disse o advogado. 

A Apas informou, por meio de sua área jurídica, que não recebeu ainda comunicado oficial sobre a decisão do Conar. E, após tomar conhecimento dos motivos que levaram à suspensão da campanha, decidirá que medidas serão tomadas. Entre elas, se recorrerá da decisão.

Fonte: Folha de São Paulo

sábado, 17 de março de 2012

RELATÓRIO INDICA COMO ESTÁ CENÁRIO NUCLEAR PÓS-FUKUSHIMA


Após a catástrofe ocorrida em março de 2011 na usina atômica de Fukushima, no Japão, os riscos da energia nuclear foram enfatizados e muitos países prometeram abandonar essa fonte energética, mas na prática pouca coisa mudou no panorama nuclear mundial desde então. Pelo menos é o que indica o novo relatório do Conselho Mundial de Energia (CME), lançado nesta sexta-feira (9), dois dias antes do aniversário do desastre. E em um futuro onde a energia atômica provavelmente estará presente, o documento sugere mais segurança e transparência para este setor.

Segundo o relatório, mesmo depois das discussões sobre segurança nuclear e do fato de algumas nações terem declarado que iriam abandonar o uso da energia atômica, como foi o caso da Alemanha e da Itália, os programas nucleares continuaram a ser desenvolvidos, principalmente em países que não são da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), como a China, a Índia e a Rússia.

“Muito pouco mudou, especialmente em países [em desenvolvimento] que não são da OCDE, em relação à futura utilização da nuclear no mix de energia depois de Fukushima”, diz o documento.
De acordo com a análise, atualmente cerca de 50 nações estão operando, construindo ou considerando inserir a energia nuclear como parte de seu mix energético. Aproximadamente metade destas ainda é ‘iniciante’ nesta fonte. E das 63 usinas nucleares em construção no mundo, 39 estão sendo instaladas na China (26), na Rússia (10) e na Índia (7).

E se a situação da energia nuclear não mudou muito neste último ano, tampouco mudou a relação da governança mundial com esse setor. “Muito pouco mudou em relação a melhorar a governança global do setor nuclear, enfatizando a necessidade de ação. Há uma necessidade crítica de informar o público sobre as questões relacionadas às tecnologias de geração nuclear, segurança, custos, benefícios e riscos”, aponta a pesquisa.
“O renascimento nuclear continua. Mas há uma necessidade forte de o público ser informado e de mais discussão sobre procedimentos seguros. A segurança não deveria ser uma questão competitiva – deveria ser algo com o qual as companhias colaborassem para garantir que todos estão usando as melhores práticas”, corroborou Christoph Frei, secretário-geral do CME
Por isso, o estudo do CME indica que um acordo global sobre segurança nuclear deve ser urgentemente firmado, visto que a tendência é de que o setor continue a crescer. “A energia nuclear global é uma das questões raras sobre a qual um acordo internacional poderia ser atingido com um nível razoável de esforços – a necessidade de agir é urgente, e o momento é o certo”, continuou o relatório.

Pierre Gadonneix, presidente do CME, ressaltou, ainda, que para que o crescimento da energia nuclear continue, o debate sobre sua segurança é essencial. “Fica claro pelo relatório que a energia nuclear terá um papel integral no futuro mix de energia, especialmente nos países em desenvolvimento, desde que a segurança nuclear e a transparência sejam reforçadas continuamente.”.

“Acredito que há uma oportunidade real para nossos líderes mundiais de promover uma solução consensual para essa questão e, assim, demonstrar que uma governança internacional real, da qual as economias emergentes participem plenamente, pode ter sucesso”, acrescentou Gadonneix.

Alessandro Clerici, da presidência do CME, também lembrou que apesar dos riscos que a energia nuclear apresenta, como vazamentos radioativos, ela também pode trazer benefícios, já que por quase não emitir gases do efeito estufa ela pode ser uma grande aliada na luta contra as mudanças climáticas.
“Na busca por energia sustentável, nenhuma tecnologia deveria ser idolatrada ou demonizada. Esse estudo mostra que a opção nuclear não está sendo descartada no mundo. No entanto, fronteiras nacionais não tem sentido no contexto dos graves acidentes nucleares. Portanto, a regulação e as lições aprendidas devem levar claramente à melhoria da segurança das usinas nucleares existentes e futuras”, concluiu Clerici.

Solução para resíduos
Além do risco de vazamentos radioativos durante a produção de energia, as fontes nucleares também apresentam como problema a questão do descarte de seus resíduos. Neste sentido, a Academia de Artes e Ciências dos Estados Unidos publicou, também nesta sexta-feira, um documento com estratégias para lidar com esses rejeitos. 

A pesquisa propõe um conceito de estocagem regional dos resíduos, que seriam colocados em instalações independentes mantidas como um empreendimento comercial e monitoradas por entidades governamentais internacionais. Para esses estoques, seriam oferecidos incentivos como compensações econômicas, o que poderia estimular nações a adotar esse mecanismo.

O estudo sublinha também a importância de se aumentar a cooperação e a adoção de tecnologias modernas em regiões onde a energia nuclear vem crescendo, como o Oriente Médio e o sul e o leste da Ásia.

“Nossa meta é avançar as discussões sobre esquemas multinacionais integrados de ciclo de combustíveis que permitam a disseminação de uma energia nuclear pacífica, enquanto reduzem as preocupações com segurança e gestão de resíduos pelo planeta”, concluíram os autores.

sexta-feira, 16 de março de 2012

CASA DA RIBEIRA APRESENTA O ESPETÁCULO "ESTAÇÃO DE CONTOS - GRUPO ESTAÇÃO DE TEATRO"

Trata-se de uma sessão de contos aberta ao público em geral (com ênfase no público infantil), em que se ouvem histórias interpretadas pelos atores/músicos (Nara Kelly, Manu Azevedo, Caio Padilha e Rogério Ferraz). O público participará através de brincadeiras populares e das músicas que provocam a participação de todos.

Coordenação geral: Gustavo Wanderley
Coordenação de Produção: Mariana Hardi
Edição, Direção de Criação e Arte: Dillo Tenório
Serviços

18 de março de 2012 as 17h
Teatro
Valor: R$ 5.00
Mais informações: (84) 3211-7710

quinta-feira, 15 de março de 2012

DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART AGORA É LIKARP



Estão abertas as inscrições para a 1ª Etapa do LIKARP 2012, que será disputada no dia 07 de abril no Kartódromo Governador Geraldo Melo em Natal/RN.

A LIKARP é o novo nome do já consagrado Desafio Geotrilhas/RN de Kart, que após sua IV edição, passou a dá lugar a liga com os mesmos integrantes, e com a possibilidade de adoção daqueles que curtem correr de kat indoor.

Serão duas categorias de disputas, sendo elas a LIKARP Geotrilhas/RN Cup e a LIKARP Kurt Kart Light (verificar o regulamento da liga no menu principal). Haverá em paralelo a disputa do cameponato feminino envolvendo as damas da velocidade das duas categorias.

As inscrições para a primeira etapa da liga vão até o próximo dia 31 de março, tendo os valores de R$ 80,00 para cada categoria.

O campeonato da LIKARP ainda terá cinco no decorrer do ano (Junho, Agosto, Outubro e Dezembro), sendo garantia de emoção para todos os participantes.

Maiores informações pelo e-mail likarp@bol.com.br ou ainda pelo cel. 8857-4282.

Fonte: likarp.blogspot.com