quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

UERN E GEOTRILHAS/RN PROMOVEM DEBATE SOBRE O TURISMO DE DONA INÊS/PB

Participantes da Mesa de Debates no Assentamento Tanques
Os alunos do Curso de Bacharelado em Turismo da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, promoveu no último dia 11/02, uma visita técnica ao município de Dona Inês/PB, com o objetivo de coletar informações sobre o Sistur (Sistema Turístico) desenvolvido em terras donainesense. 

Na oportunidade, foi organizada uma mesa de debates no assentamento Tanques, com a participação do Secretário Municipal de Turismo Mariano Ferreira, o presidente da Associação do Assentamento Tanques, Nilton Gomes, a Assistente Social Rosangela Santos, o guia Cristiano Lourenço, e o comerciante e assentado, Seu Geraldo, ambos representando a categoria local, além do membro da comunidade donainesense, o Sr. Estevam. 

A mesa foi complementada pelas alunas do Curso de Turismo da UERN, Maria Robenize e Priscila Lopes, mais o representante do Grupo Geotrilhas/RN e também aluno do referido curso da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Além dos assuntos relacionados ao Sistur, foram também debatidos quesitos sobre a potencialidade turística, as ações de caráter ambiental e da preservação da cultural de Dona Inês. 

A visita ainda contemplou um rápido levantamento de outras potencialidades turísticas do município na zona rural. Após a reunião, foi gerada uma ótima expectativa quanto à realização de um projeto de extensão envolvendo o setor de turismo local. A idéia é proporcionar a economia solidária no município, utilizando para isso o grande potencial turístico da região. 

O áudio completo da Mesa de Debates pode ser acessado pelo link http://www.4shared.com/music/GcXAWrxl/Mesa_de_Debate_no_Assentamento.html   

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

PROFESSORA RITA DE CÁSSIA REPRESENTA O SERIDÓ NO GRUPO GEOTRILHAS EM SERRA NEGRA DO NORTE

 
Faz algum tempo que não nos vemos, mas quero em especial falar desse grupo maravilhoso que é o Geotrilhas, turismo com sustentabilidade e respeito ao meio ambiente. Por falar nisso quero externar o apreço e o carinho pela professora e trilheira Rita de Cássia de Serra Negra do Norte. Desta forma, está em contato com a natureza e respeitá-la é para poucos. 

O grupo Geo-Trilhas este agora a poucos dias em Serra Negra do Norte fazendo o que mais sabem fazer que é explorar a caatinga veja a matéria

Fonte: http://livrevozdopovo.blogspot.com/2012/02/professora-rita-de-cassia-representa-o.html

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

TRILHA EM SERRA NEGRA DO NORTE TEM PARTICIPAÇÃO DE GEOTRILHEIRA SERIDOENSE

Por Rita de Cássia Dantas

Na manhã de domingo do dia 05 de fevereiro de 2012, a serra-negrense e integrante do GEOTRILHAS/RN, Rita de Cássia, organizou, pelo segundo ano consecutivo, uma trilha na serra Negra, a serra localizada no município de Serra Negra do Norte/RN, cidade onde mora.

A serra é um grande rochedo que se projeta sobre a cidade, é sem dúvida um monumento natural que ornamenta e caracteriza Serra Negra do Norte, pois foi a mesma que definiu o nome do lugar. Tem aproximadamente 400 metros de altitude. Antes era chamada de serra Velha, mas por causa de sua vegetação sombria recebeu este nome. Local ideal para a prática de trilhas, onde favorece a vista das belas paisagens da região, conhece um pouco da vegetação local, bem como faz um pequeno resgate ao passado, pois ainda existe o que sobrou da precária moradia do fazendeiro Júlio Batista, que ali se isolou tentando aproveitar o clima favorável da altitude para o alívio de uma doença, na época, incurável. Verdadeiramente, é um dos belos cartões postais que a cidade pode apresentar.

A cidade já foi palco de uma de nossas trilhas no ano de 2009 e a serra foi um dos roteiros visitados pelo grupo. Assim, com o objetivo de dar continuidade ao trabalho de valorização e preservação do nosso patrimônio histórico-cultural-natural, Rita de Cássia estendeu o convite a alguns serra-negrenses e visitantes do estado vizinho, a Paraíba. Contou com a ajuda, para chegar ao destino escolhido, de alguns membros do Grupo Amigos da Natureza, nas pessoas de Netinho, Emanuel, Valdemar e Erinaildo. O grupo tem como objetivo guiar e orientar pessoas interessadas em fazer trilha na cidade sempre passando a importância do respeito com a natureza.

Esse ano participou da trilha um grupo de 36 pessoas, dentre eles, integrantes do grupo de jovens do município, professores, demais amigos serra-negrenses e convidados especiais da Paraíba, a maioria, professores da rede pública de ensino, que vieram prestigiar nossa beleza e cultura.

O grupo saiu em direção ao seu destino ao raiar do sol, fazendo o percurso observando a natureza em volta, passando por lugares que relembram a história da cidade, como a casa de pedra, no topo da serra, abrigo de um dos serra-negrenses acometido de uma doença incurável na época, e foi para lá a fim de se isolar e poder respirar um ar mais puro a assim não transmitir a doença aos demais e na esperança de uma recuperação.

No topo da serra o grupo pode sentir a sensação de liberdade que é estar naquele lugar, admirar a paisagem belíssima em volta e ainda desfrutar de um piquenique repleto de comidas típicas nordestinas e frutas levadas pelo grupo, acompanhado de uma conversa muito agradável, contando um pouco da história do município aos convidados da Paraíba e com um toque de magia que o ambiente oferece. E ainda desenvolveu uma ação solidária e de preservação à natureza e ao nosso meio ambiente, pois o grupo juntou e trouxe parte do lixo que se encontrava na serra, jogado por pessoas que lá vão e não têm a consciência das consequências drásticas de seus atos. Foi uma manhã muito significativa e agradável!!
E com tudo isso, espera-se que a subida da serra, organizada pela serra-negrense e geotrilheira, Rita de Cássia, vire tradição na cidade e cada ano sejam realizadas subidas mais e mais gratificantes e significativas para o povo serra-negrense, imbuído de uma cultura maravilhosa, e que propicie oportunidades para que outras pessoas possam prestigiar e conhecer um pouco mais do que Serra Negra do Norte tem a oferecer.
É o GEOTRILHAS/RN desenvolvendo um trabalho que une o lazer, a apreciação, valorização e preservação do patrimônio histórico-cultural-natural!

SERRA NEGRA DO NORTE: RELEMBRANDO SUA HISTÓRIA

Serra Negra do Norte nasceu de uma fazenda de gado, no século VXIII. Aportou nesse lugar, em 1728, o capitão Mor Manoel Pereira Monteiro, sua família e seus agregados e ali se estabeleceu com uma fazenda de criar da ribeira do rio Espinharas.
Os Pereira Monteiro, ao chegarem à ribeira do Espinharas, o local era conhecido, simplesmente, por “Os Currais dos Espinharas”, o primeiro nome do local onde implantou a fazenda. Treze anos mais tarde, quando Manoel Pereira Monteiro requereu sobras de terra ao redor de sua fazenda (1741), a chamou de “fazenda Serra Negra”. Possível possibilidade que motivou o nome foi o aspecto sombrio da mata fechada que envolvia a Serra Velha (nome atual: Serra Negra), vista à distância. Existe também a lenda da escrava de Manoel Pereira Monteiro, que teria ido ao pé da serra apanhar lenha e foi devorada por uma onça. Porém, a primeira informação é mais consistente.
A família Pereira Monteiro deu início a povoação desse lugar, mas o tempo avançou, os anos se sucederam e também as gerações foram sendo somadas a outras famílias incorporadas através de casamentos. Assim ocorreu com os Faria e Mariz.
A criação do Município deu-se com a Lei Municipal nº 688, de 03 de agosto de 1874. Mas teve sua sede administrativa transferida para São João do Sabugi, em 27 de maio de 1932, voltou à sua localização histórica no dia 13 de dezembro de 1935, adquirindo foros de cidade em 29 de março de 1938, pelo Decreto nº 457.
O município localiza-se na Mesorregião Potiguar e na Microrregião Ocidental a uma distância de 323 km de Natal/RN. Limita-se ao norte com Jardim de Piranhas, ao sul com São João do Sabugi e o Estado da Paraíba, ao leste com Caicó e Timbaúba dos Batistas e ao oeste com o Estado da Paraíba. Está a uma altura de 167 metros acima do nível do mar, abrangendo uma área de 562,40 km2.

Possui clima semi-árido, com temperatura anual de 27,5 ºC e uma umidade relativa média anual de 59%. O período chuvoso vai de fevereiro a maio, com precipitação pluviométrica anual média de 734,6 mm, máxima de 1.652,3 mm e mínima de 129,8 mm.
Sua vegetação predominante é a caatinga, de caráter mais seco, com abundância de plantas de porte baixo e espalhadas. Entre outras espécies, destacam-se a jurema preta, o mufumbo, o faveleiro, o marmeleiro, o xique-xique e a oiticica.
Os solos predominantes são arenosos, argilosos, humíferos mistos, de cores preta, roxa, vermelha e amarela, ocupando 60% da área do município, a maioria nas margens do Rio Espinharas, com irrigações de feijão, melancia, tomate e milho.
De 100 a 200 metros de altitude, possui terrenos baixos, situados entre as partes altas do Planalto da Borborema e da Chapada do Apodi.
Serra Negra do Norte é um verdadeiro caldeirão cultural, com um potencial edificante, repleta de histórias para contar que vai desde a religião (roubo da Imagem de Nossa Senhora do Ó, devoção e apreço), política (local de nascimento de várias personalidades do meio político e acadêmico do Rio Grande do Norte, como o ex-senador Dinarte Mariz, o ex-governador Juvenal Lamartine) e outros fatos de seu povo que faz do lugar um ambiente magnífico para visitar e fazer uma viagem pela história. Por fazer parte do conjunto de cidades interioranas é favorável para o descanso e tem uma hospitalidade do povo serra-negrense que faz inveja a muitos, uma das várias qualidades que esse povo humilde e acolhedor tem a oferecer.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CASA DA RIBEIRA APRESENTA O ESPETÁCULO "EM CADA CANTO UM CONTO"


A Casa da Ribeira apresenta neste próximo domingo (26/02), o espetáculo infantil “Em cada canto um conto, do Grupo Estação de Teatro.

Formado em 2009 o grupo tem como objeto de pesquisa a narrativa oral em diálogo com a música e outros elementos cênicos. O grupo acredita na importância da contação de histórias e do teatro na formação e no desenvolvimento de crianças e adultos com qualidade e respeito ao imaginário infantil. 

"Em Cada Canto Um Conto" primeiro espetáculo do Grupo Estação e participou de diversos projetos em Natal e no interior do RN, além de apresentações em Pernambuco, Paraíba e Ceará. Um espetáculo lúdico e musical repleto de contos e brincadeiras populares documentadas por folcloristas estudiosos da cultura nordestina como Câmara Cascudo e Veríssimo de Melo. 

No palco, Nara Kelly e Caio Padilha celebram a fantasia e a imaginação, sempre acompanhadas de canções executadas ao vivo e ressaltam, através das histórias contadas, valores tão essenciais ao desenvolvimento humano como a coragem, a lealdade, a honestidade e a cooperação.

Coordenação geral: Gustavo Wanderley
Coordenação de Produção: Mariana Hardi
Edição, Direção de Criação e Arte: Dillo Tenório

O espetáculo tem horário previsto para início a partir das 17h:00.
Informações:(84) 3211-7710
 

domingo, 19 de fevereiro de 2012

GEOTRILHAS/RN CAMPING 2012 MISSÃO SERRA DE SÃO BERNARDO - CAICÓ/RN


Distante cerca de 256 Km de Natal/RN, o município de Caicó esta localizado na Mesoregião Central e Microrregião do Seridó Ocidental do Rio Grande do Norte. O município considerado o sétimo mais populoso do estado, esta a uma altitude média de 151 metros em relação ao nível do mar apresentando, encravado na depressão Sertaneja, possuindo um clima semiárido em que suas temperaturas variam de 18,0ºC a 33,3ºC no decorrer do ano. Ainda sobre seu relevo, Caicó possui como principal ponto mais elevado a Serra de São Bernardo com seus 638 metros. Sua vegetação é formada por Caatinga Subdesértica, considerada a mais seca vegetação do estado, com a presença de cactus repletos de espinhos e arbustos espaçados. São encontrados neste tipo de vegetação as seguintes espécimes: Jurema, pinhão bravo, pereiro, xiquexique, faveleira, malva rasteira, angico, pau-branco, marmeleiro e o mata pasto. O solo caicoense é o bruno não cálcico vértico, de fertilidade natural alta, textura arenosa/argilosa e média/argilosa, moderadamente drenado com relevo suave e ondulado, com ocorrências de barita, calcário, talco, ouro e tungstênio. Quanto a sua Hidrografia, Caicó esta inserida na bacia hidrográfica Piranhas-Açu, tendo como principais rios o Seridó, o Sabugi e o Barra Nova, estes últimos tendo suas confluências sido o local de fundação do município. Ainda quanto a Hidrografia, Caicó possui como principal reservatório o Açude Itans, com capacidade de 81.750.000 m³ de água.

A história de Caicó tem início com uma lenda atribuída à história de um vaqueiro português que, à procura de água para o seu gado durante uma seca, se deparou com um touro bravio de feições míticas. Aflito diante de tal situação, o vaqueiro fez uma promessa a Sant'Ana: se conseguisse escapar do touro e encontrar água, construiria uma capela em sua homenagem. Então, nesse momento, o touro desapareceu e logo o vaqueiro encontrou um poço, o qual, segundo relatos, nunca secou. Já por volta do ano de 1748, é criado o distrito de Vila do Príncipe. Primeiro nome do município, que em 1788 é elevado à categoria de vila e renominado de Vila Nova do Príncipe. Apenas em 1868, é que a então vila passa a condição de cidade, com o nome de Cidade do Príncipe, nome que levou até o ano de 1890 quando passou a ser Seridó, e logo em seguida Caicó no ano de 1911. 

GEOTRILHAS/RN EM CAICÓ

Grupo Geotrilhas/RN se preparando para a escalada da Serra de São Bernardo
Solidariedade, amizade e aventura, assim foram os três pilares de sustentação da atividade que abriu o calendário 2012 do grupo Geotrilhas/RN, com a realização do Geotrilhas/RN Camping 2012, sediado no alto da serra de São Bernardo. No dia 23 de janeiro, os seis geotrilheiros de Natal seguiram para Caicó, para se encontrarem com mais dois companheiros de vinham da região do Seridó e da cidade de Campina Grande/PB respectivamente. 

A primeira parada em territorio caicoense foi na loja “A Pescaça”, onde nos encontramos com o nosso amigo Nito Sabino, gerente da casa comercial e um dos organizadores do evento, que contaria com a participação do seu grupo de aventuras na cidade, denominado de Carcará Aventura. Um grupo formado por ex-membros do Movimento Escoteiro de Caicó, militares do 1º Batalhão de Engenharia e Construção (1º BEC) e admiradores do Ecoturismo. Após uma rápida conversa com o Nito, e uma conferida nos produtos ótimos produtos de camping e esportes de aventura da “A Pescaça”, seguimos para a sede da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Caicó, onde fomos conhecer o trabalho realizado pela instituição que atende inúmeras crianças não só de Caicó, como também da região do Seridó. 

Entrega de brinquedos educativos
Chegando lá fomos recebidos pela presidente Gildete Medeiros, e de sua funcionária Paula, que logo trataram de apresentar as instalações do local e falar sobre o trabalho desenvolvido. Na APAE Caicó é realizado um trabalho de terapia ocupacional e do auxilio a educação dos jovens que freqüentam a casa, bem como promove o envolvimento dos pais e filhos com oficinas e cursos ligados ao artesanato, como pintura de telas e panos de prato. Segundo a presidente Gildete Medeiros, a instituição é mantida com uma pequena verba proveniente do Governo do Estado, e da disponibilidade de profissionais sedidos pela Prefeitura de Caicó, mas boa parte da verba para manter o local vem ainda de doações da sociedade, que por meio delas a instituição conseguiu ampliar suas instalações com obras de construção de salas e de piscina destinada ao lazer das crianças. O grupo Geotrilhas/RN contribuiu com a APAE Caicó, com a doação de brinquedos educativos que serão utilizados no auxilio da educação das crianças atendidas no local. Antes de finalizarmos o nosso relato sobre a visita a APAE Caicó, é válido deixar o número de contato para aquelas pessoas que desejam ajudar a instituição. O número do telefone é o 84 3421 – 2109, que esta disponível para receber qualquer que seja a sua doação.

Terminada a visita a APAE seguimos para o Restaurante Ponto Certo, onde realizamos o almoço com a típica carne de sol de Caicó, antes de seguirmos para a Fazenda São Bernardo. Local de partida para o início da aventura em terras seriodenses. Por volta das 14h:00, o pau-de-arara que conduzia o grupo Carcará Aventura chegou até a fazenda para nos transportar para um local mais próximo da serra. Após 30 minutos por estradas carroçais repleta de pequenas propriedades abandonadas em virtude da seca, chegamos ao ponto de início da trilha. 

Grupos Geotrilhas/RN e Carcará Aventura unidos na conquista da Serra de São Bernardo
Com a reunião dos dois grupos que totalizavam 20 pessoas, seguimos por dentro da caatinga em busca da melhor face da serra para a escalada, porém, devido a trilha não ter sido utilizada a um bom tempo, o grupo fez um grande desvio que resultou num atraso de mais de uma hora do programado, até acertar o local correto para a escalada. Durante a subida da serra, o crepúsculo abrilhantava a beleza do seridó, que era possível observarmos do alto da serra. Após uma hora de caminhada em meio a serra, já na completa escuridão, chegamos a uma velha casa abandonada no alto da serra, que seria o local de acampamento do grupo. 

Descanço na subida
Na propriedade existe um inusitado açude sob a serra, onde o grupo tomou banho após fixar o acampamento. Sob o brilhar de uma fogueira, os participantes da aventura saborearam um típico jantar de acampamento regado a capuchino e chocolate quente até as 23h:00, quando o grupo se recolheu as suas barracas, para descanso. Na seguinte, antes do café da manhã, parte do grupo seguiu para o mirante no alto da serra, onde foi possível a contemplação de toda a região de Caicó. Após o término do café, o grupo desmontou o acampamento e seguiu serra a baixo, passando por alguns sítios e fazendas onde éramos bem recebidos pela população local, que admirava o feito do grupo em acampar naquela região num tempo tão seco como é no mês de janeiro em Caicó. 

Casa no alto da serra
Por volta das 10h:30 da manhã, chegamos ao local onde o pau-de-arara estava para conduzir o grupo de volta para a cidade, mas antes disso, houve uma avaliação da atividade, onde os organizadores e membros dos dois grupo puderam expor suas reflexões, onde no final, em clima de confraternização, foram sorteados brindes no oferecimento da “A Pescaça”. O pau-de-arara nos conduziu de volta a Fazenda São Bernardo, onde nos despedirmos do grupo Carcará Aventura e dos anfitriões da fazenda, que nos receberam muito bem. 

Membros do grupo no setor de fermentação da Samanaú
Seguimos ainda pela manhã até a Fazenda Samanaú, onde fomos conhecer o processo de fabricação de um dos orgulhos do Rio Grande do Norte: A cachaça Samanaú que já disponta como um produto de exportação para países da Europa. Chegando lá, fomos recepcionados pelo funcionário conhecido como “Neguinho”, que abriu as portas do engenho, mostrando a moagem da cana-de-açúcar incentivada e produzida na própria região. No momento de nossa visita, o engenho não estava moendo cana. No entanto, estava havendo um experimento do SEBRAE com melão para a produção de cachaça, que segundo Neguinho, não teria sido bem vista pela a desproporcionalidade de quilos moídos para litros de cachaça. Seguimos para o local de fermentação do caldo, onde nos chamou a atenção pela higiene apresentada no local. Logo em seguida chegamos ao local da destilação, onde por meio dos alambiques, a cachaça é separada. Neste momento, Neguinho nos explicou como o processo é feito, em que é eliminado a cabeça e o rabo da cachaça, ficando apenas o coração que é a parte boa para consumo. Pulamos a parte do envelhecimento em barris, devido à chave não se encontrar de posse do funcionário, mas seguimos para o setor de envasamento, onde foram demonstrados os processos de lavagem das garrafas, envasamento, rotulagem e controle de qualidade. Tudo demonstrado passo a passo com o maquinário funcionado. 

Grupo em frenta a Fazenda Samanaú
Ao final da visita, o grupo de oito geotrilheiros foram presenteados cada com uma garrafa da Cachaça Samanaú Prata, que todos fizeram questão de pousarem em frente a sede da fazenda portando seus presentes. Despedirmos-nos de Neguinho e seguimos  com destino a Caicó pela rodovia de acesso a Jardim do Seridó, de onde se dividiu, parte para Caicó e Campina Grande e os demais para Natal, levando consigos ótimas recordações e impressões positivas do povo acolhedor do Seridó.

O Geotrilhas/RN Camping 2012 teve o apoio do Grupo Escoteiros do Mar Artífices Náuticos, Carcará Aventura, Lhammas Explorer Ecoturismo, APAE – Caicó, Secretária Municipal de Meio Ambiente de Caicó, A Pescaça, Cachaça Samanaú e TV Caicó Comunitária. 

Raio-X

Nível de Dificuldade – Elevado
Localização da Trilha – Regular
Disponibilidade de Socorro Médico – Péssima
Apoio Logístico - Bom

Recomendações necessárias para trilhar

- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;
- Utilizar bastante protetor solar;
- Levar cantil com bastante água;
- Levar repelente contra insetos;
- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;
- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores;
- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;
- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor;
- Levar kit de primeiros socorros.

Onder comer

Restaurante Ponto Certo
Fone: (84) 3417 - 4084

Contatos para realização de trilha
Nito Sabino
Fone: (84) 

Apoio no Geotrilhas/RN Camping 2012