terça-feira, 27 de outubro de 2009

GEOTRILHAS NA EXPOTEC 2009



O estande recebeu grande quantidade de visitantes

Foi realizado nos últimos dias 07, 08 e 09 de outubro, nas dependências do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), a EXPOTEC 2009, feira que reuni todas as produções acadêmicas da instituição. O GEOTRILHAS , sendo uma idealização dos alunos da turma do 7º período do Curso de Licenciatura Plena em Geografia do IFRN, não poderia ficar de fora, e com o apoio do Departamento de Extensão, expôs seu trabalho em um estande exclusivo, onde lá o visitante pode conferir a proposta de trabalho do projeto GEOTRILHAS, que é de levar desenvolvimento econômico e social para pequenos municípios do interior do Rio Grande do Norte, por meio do ecoturismo, despertando a conscientização da importância da preservação histórica, cultural e ambiental dos lugares em que o projeto vem sendo desenvolvido. Foram expostos bannes, cartazes e filmes dos primeiros estudos realizados nas cidades de Carnaúba dos Dantas, Lajes, Passa e Fica e Serra Negra do Norte, além de três municípios da Paraíba, sendo Areia, Bananeiras e Mataraca. O estande foi visitado por cerca de 200 pessoas durante os três dias do evento, contando com a visitação de vários professores, servidores e alunos do IFRN, além de outros membros da sociedade.

Na oportunidade o GEOTRILHAS ofereceu seus primeiros pacotes de viagem para as cidades de Carnaúba dos Dantas, Passa e Fica e Serra Negra do Norte no Rio Grande do Norte, e Areia, Bananeiras e Mataraca na Paraíba.
Estamos a disposição para organizar qualquer viagem para esses destinos. Mobilize seu grupo e nos contacte pelos telefones (84) 8857 - 4282 ou (84) 9196 - 7170,além do nosso e-mail geotrilhasturismo@gmail.com

sábado, 3 de outubro de 2009

TRILHAS ECOLÓGICAS DOS MANGUEZAIS E DA LAGOA ENCANTADA





Localizada em Barra de Camaratuba, uma praia com alto potencial eólico pertencente ao município de Mataraca/PB, as Trilhas dos Manguezais NE da Lagoa Encantada proporcionam ao aventureiro sensações e emoções extraordinárias, pela tamanha beleza das paisagens dos biomas de mangues e restinga, com uma diversidade imensa de flora e fauna.

O início da aventura começa na boca da barra do rio Camaratuba, onde o visistante é transportado por barco para o interior do Parque Ecológico do Caranguejo Uçá, num percurso que leva em torno de 20 minutos por dentro do mangue, em que é feito reconhecimento prévio do local, ao mesmo tempo que se aprecia o balé das aves em busca de alimentos. Chegando ao interior do mangue, o aventureiro é logo batizado com a lama característica do lugar. Em seguida é iniciada a trilha por terras submersas, onde encontramos trechos com lama que atinge acima do joelho. Mais a frente, prosseguimos por um percurso que parece que foi feito intencionalmente pela natureza. No interior do mangue existe um caminho cercado pela vegetação típica do local, e em que água atinge a altura do peito, só que não há mais lama em baixo, e sim, um caminho composto por areia. Durante esse ponto é possível sentir a variação térmica da água, em que predomina uma água morna, mas com ligeiras correntes de água fria circulando entre nós. Isso é explicado devido o encontro da água salgada do mar, com a água doce do rio. Em seguida, começamos a passar por uma área de transição do mangue para a restinga, isso já em terra firme, até chegar a um pequeno riacho, onde pode-se fazer uma pequena parada para repor as energias, e tomar um banho para retirar o excesso de sal.

A partir desse ponto começa a trilha que vai em busca da Lagoa Encantada – uma trilha que esta inserida dentro da reserva indígena dos Potiguaras. O total do percurso fica em torno de 3 Km, por terrenos compostos por tabuleiros costeiros cercados por árvores de pequeno porte, com destaque para a infinidade de pés de mangabas, além de algumas culturas de subsistência dos índios, como a mandioca. Seguimos em frente até uma área de duna, em que dar acesso a Lagoa Encantada, que apresenta águas cristalinas, e onde é possível se deleitar de um magnífico banho energético, ao lado dos inúmeros peixes que insistem em nadar próximo ao visitante.

Após relaxar com o banho, o aventureiro segue com destino a tribo dos índios Potiguaras, uma tribo formada por descendentes dos índios – os cablocos – que vivem realmente em ocas, vivendo da pesca e da fabricação de artesanato, demonstrando uma forma de preserva a sua cultura.

Finalizando o roteiro, o aventureiro é novamente transportado de barco até a outra margem do rio, onde é possível tirar belas fotos da boca da barra antes de seguir com destino a pousada Porto das Ondas, onde é servido um delicioso almoço a base de peixes e frutos do mar. Um verdadeiros banquete num ambiente bastante aconchegante de frente para o mar, podendo o visitante, após o almoço, tomar um belo banho de mar em frente a pousada numa praia praticamente deserta, tendo de um lado a vista do Parque Eólico Millenium (ás margens da praia), e do outro a boca da barra.

Sem dúvida Barra de Camaratuba é um cenário paradisíaco, com um extremo potencial turístico e ecológico. Um verdadeiro santuário ambiental da vida marinha, e reduto cultural dos índios Potiguaras.

GEOTRILHAS em Barra de Camaratuba



Barra de Camaratuba - Mataraca/PB
A viagem com destino a Barra de Camaratuba ocorreu no último dia 27 de setembro de 2009, e contou com a participação de nove associados, dentre os quais alunos e servidores do IFRN, e policiais militares do Rio Grande do Norte, acompanhado por suas famílias. O ponto de partida ocorreu na Praça João Paulo II em Parnamirim/RN, onde foi registrada a primeira fotografia da expedição. Em seguida, os dois veículos partiram em direção ao Sul, com destino ao estado da Paraíba pela BR-101 até chegar ao entroncamento com a PB-065, que dar acesso ao município de Mataraca/PB, de onde pegamos mais um trecho de 4 km numa estrada de barro, passando por canaviais e pastos, além do extra-ordinário Parque Eólico do Vale dos Ventos, o qual se perde da vista a quantidade de torres, até chegar a praia de Barra de Camaratuba.

Chegando ao local, tratamos logo de fazer contato com o Sr. Francisco, gerente da pousada Porto das Ondas, para combinar todo o apoio logístico necessário a nossa estádia em Barra de Camaratuba. Logo após, também fizemos contato com o nosso guia local Antônio, também conhecido por “Toinho”, foi quando recebemos as primeiras orientações para o início da aventura. Saímos da pousada, passando pela igreja de São Pedro e pela ONG S.O.S. Caranguejo Uçá - responsável pelo Parque Estadual do Caranguejo Uçá, até chegarmos a um mercadinho para adquirir aprovisionamentos necessários para a trilha. Em seguida entramos no parque até a boca da barra do Rio Camaratuba, onde encontramos o capitão Sérgio, responsável pelo transporte do grupo até o interior do mangue.

O grupo foi dividido em duas frações com o intuito da navegação do barco se torna mais segura. Sendo assim, o primeiro grupo fez deslocamento ao mangue,num percurso bastante bonito, em que logo de cara vimos a tribo dos índios potiguaras, na outra margem do rio. Ainda foi possível contemplar as belas paisagens do bioma de mangue, com sua riqueza de espécies vegetais e animais, esta última, com inúmeras espécies marinhas, principalmente caranguejos. Chegamos ao ponto de desembarque após 20 minutos de navegação, ficando num local aguardando o restante do grupo para iniciarmos a Trilha dos Manguezais. Após uma breve caminhada por dentro do mangue, para sermos literalmente batizados com a lama típica do local, e com a chegada do segundo grupo, iniciamos a trilha, passando por lugares onde a água chegava ao nível do peito, alternando com trechos de bastante lama. Fomos nem ritmo em que todos pudessem ficar agrupados até chegarmos a área de transição, para a restinga, onde encontramos alguns riachos com águas cristalinas de propriedades minerais.

Realizamos uma pequena parada com o propósito de degustar um lanche a base de frutas, cocorotes e rapadura batida. Em seguida tomamos um rápido banho em um dos riachos para aliviar o quantidade de sal no corpo. Daí então, reiniciamos a caminhada, agora em busca da Lagoa Encantada, na reserva indígena dos Potiguaras, enfrentando trechos de terrenos bastante arenosos, cercados por árvores de médio porte e roças de subsistência dos índios. Uma coisa que nos chamou a atenção, foi o fato de existirem algumas carvoeiras ilegais dentro da reserva, que cortam as árvores do tabuleiro para fabricarem carvão. Seguimos em frente até chegar numa área de descida íngreme em trecho de dunas, que serviu de impulso para chegarmos até a lagoa Encantada. Ao encontramos a lagoa, tratamos logo de tomar um belo banho energético em suas águas mornais e cristalinas, de onde era possível observamos vários cardumes de peixes em nossa volta.

Retornamos pelo mesmo caminho até o encontramos a estrada que levava até a tribo dos índios Potiguaras, onde chagando lá conhecemos alguns moradores que permitiram a nossa entrada nas ocas, aproveitando para nos apresentar algumas belas peças de seu artesanato. Mas uma surpresa ainda nós aguardava no local. Enquanto tirávamos algumas fotos com os adereços do índios, á que surge na margem do Rio Camaratuba um peixe-boi-marinho. Foi um verdadeiro presente que a natureza nos deu. Foi realmente para coroar a nossa visita a Barra de Camaratuba.

Em seguida, pegamos novamente o barco até a outra margem do rio, de onde partimos de volta para a pousada Porto das Ondas, onde estava a nossa espera um divino almoço a base de peixe, onde o grupo conheceu os requintes da cozinha mataraquense. Ao termino do almoço o grupo se dividiu na pousada entre o salão de jogos, piscina, praia e os quartos, até o horário das 16h:30 quando partimos mais uma vez até a boca da barra para fazer o registro da foto de despedida, seguindo posteriormente a caminho de Natal, contemplando um dos mais belos pôr-do-sol já vistos nas nossas viagens.

Para finalizar, gostaríamos de deixar aqui registrados os nossos sinceros agradecimentos a todos os nossos colaboradores de Barra de Camaratuba, pelo excelente serviço prestado. E em especial, a Francisco, Nildo e todos os funcionários da pousada Porto das Ondas pela excelente recepcionalidade e atenção a todos nós do GEOTRILHAS.

A todos eles o nosso grande obrigado!
Raio-X


Nível de Dificuldade – Médio
Localização do Parque – Ótimo
Disponibilidade de Socorro Médico – Ótimo
Apoio Logístico - Ótimo

Recomendações necessárias para trilhar

- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;
- Usar calçados tipo tênis ou botas e sandálias para a parte do mangue;
- Levar cantil com bastante água;
- Levar kit de primeiros socorros;
- Levar repelente contra insetos;
- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;
- Não colher flores, frutas, sementes, ramos, mudas, lenha ou troncos;
- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores do Parque;
- Não mascar folhas, frutos, sementes, raízes ou cogumelos desconhecidos.
- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;
- Não entrar no parque com armas, explosivos, faca, facão, machado, tinta, spray ou similares;
- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do guia.

Onde comer
Pousada Porto das Ondas
Fone: 83 3297-7029

Onde ficar
Pousada Porto das Ondas
Fone: 83 3297-7029


Contatos para realização de trilha
Antônio
Fone: 083 9114-1207


Ou

GEOTRILHAS
Geoturismo & Turismo Rural
e-mail: geotrilhasturismo@gmail.com

Vídeo da Trilha