domingo, 31 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (Mercedes-Benz Grand Challenge))

Classe, design, sosfisticação, tecnologia e seguança - Palavvras que resumem o novo campeonato automobilistico de Gran-Turismo que a partir de 2011 passou a fazer parte do calendário nacional: O Mercedes-Benz Grand Challenge.

Seguindo o modelo consagrado das provas internacionais de Gran-Turismo, e do Itaipava GT Brasil, o campeonato terá duas provas de 320 minutos durante o final de semana, garantido entretenimento e emoção para o público que acompanha.

O novo design para competição do C 250 CGI foi desenvolvido e produzido com a supervisão da SRO Latin America. A adaptação é homologada éla CBA e foram utilizados os melhores e mais modernos acessórios para a configuração dos carros, além dos mais eficientes intens de segurança.

Todos os motores e câmbios são lacrados. Qualquer alteração de suas caracteristicas é completamente vetada, sendo a eventual manutenção feita exclusivamente por assistência técnica exclusiva e credenciada pela SRO Latin America.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (Trofeo Linea)


A categoria de turismo se apresenta como uma nova opção no cenário das competições com o Fiat Linea, um sucesso nas ruas vem para as pistas para um campeonato de alto nível e baixo custo.

 
A categoria é composta por 26 pilotos profisionais e renomados do automobilismo nacional, com equipes de ponta.

Os carros com motores de 1.4 16v turdo movidos á Etanol trazem paras as pistas disputas emocionantes entre pilotos e equipes.

A categoria tem um regulamento bem equilibrado que faz com que os carros sejam bem parecidos, privilegiando a habilidade dos pilotos que estarão disputando o evento, assim trazendo ainda mais emoção para as provas.

O campeonato será disputado em 06 etapas pelos principais autódromos do Brasil, com 02 provas por etapa, totalizando 12 provas ao final da temporada.

Descrições do carro:Fiat Linea preparado para competição
Motor Fiat Powetrain Technologic (FPT) - 1.4 16v turbo - 210cv
Câmbio sequencial 06 marchas
Combustível Shell V-Power Etanol
Velocidade Final - acima de 200km/h
Pneus - 235/25 R16 
 

CORRIDA DE CICLISMO MOVIMENTA O ANIVERSÁRIO DE CEARÁ-MIRIM/RN

Em comemoração a data de emancipação política de Ceará-Mirim, a tradicional “Corrida Rústica 30 de Julho”, será realizada nesta sexta-feira, feriado municipal pelo aniversário da cidade.
 
O evento, é uma realização da Prefeitura de Ceará-Mirim, por meio da Secretaria Municipal da Juventude, Esporte, Cultura e Lazer, e tem como principal objetivo, estimular a prática esportiva e promover a integração entre os participantes.
 
A competição, que chega a sua 19ª edição, faz parte dos festejos cívicos e esportivos da programação da semana alusiva aos 152 anos de emancipação política de Ceará-Mirim.
A corrida tem largada prevista para às 8h20 em frente o Solar Antunes, sede da Prefeitura, centro da cidade.
 
Antes, às 8h terá a execução dos hinos Nacional e Municipal, pela Banda de música Tenente Djalma Ribeiro, seguida da abertura oficial pelo Prefeito Antônio Peixoto e pelo secretário de Esportes do município, Luiz de Oliveira Fernandes.
 
As inscrições podem ser feitas até esta quinta-feira 29/07, no horário de 8h às 12h e de 14h às 17h, no Ginásio de Esportes Aderson Elói de Almeida, para os atletas de Ceará-Mirim.
Já os atletas que virão de outras cidades e regiões, poderão se inscrever até uma hora antes da largada.
 
O evento conta com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde, e dos serviços da Guarda Municipal, Policiamento de Trânsito e Polícia Militar.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (Formula Truck)


Aurélio Batista Félix nasceu em Santos (SP), no dia 24 de abril de 1958, e desde criança sempre teve muito contato com caminhões. Era filho de caminhoneiro e ficava fascinado ao ouvir histórias das viagens de seu pai, Reinaldo Batista Félix.


Aos 9 anos de idade começou a manobrar caminhões e, aos 11, já guiava automóveis pela rua. Pouco depois, aos 16, ficou conhecido no bairro por fazer com uma Kombi algumas das manobras que mais tarde fariam parte de seus shows nas provas da F-Truck.


Foi naquela mesma época que ele começou a guiar caminhões nas estradas e quando não havia risco de fiscalização da polícia rodoviária até arriscava viagens de pequenos trajetos. Mas o trabalho como caminhoneiro começou mesmo aos 17 anos. Com o pai adoentado, ele assumiu a boléia e passou a fazer o transporte de motores Ford do modelo Maverick para o porto de São Sebastião. Descia a rodovia dos Tamoios e se divertia dirigindo carretas de 10 toneladas.


Em 1987, Aurélio participou da I Copa Brasil de Caminhões, idealizada pelo jornalista português Francisco Santos, no autódromo de Cascavel, no Paraná. Entretanto a primeira prova de caminhões realizada no Brasil não foi uma boa semente para a competição de caminhões no país. A morte do jornalista adiou a empreitada de Aurélio Batista Félix.
 

Daquela data em diante começou um trabalho mais direcionado à idéia da construção de uma categoria caminhões mais sólida e com segurança. Foi criada a Racing Truck, em 1993 funcionando na mesma sede da Transportadora ABF, em Santos. Paralelamente a atividade de sua empresa de transporte, Aurélio investia em seu grande sonho.


Aos poucos, o filho de caminhoneiro e já vice-presidente do Sindicato dos Motoristas Autônomos da Baixada Santista foi preparando alguns caminhões que tirava da sua própria frota e transformando-os em caminhões de corrida. O trabalho na transformação do caminhão, preparação do motor, suspensão, criação de novas peças e principalmente os equipamentos de segurança, exigiu incansáveis pesquisas e reuniões do pequeno grupo comandado por Aurélio.


A experiência adquirida nos sindicato dos motoristas, onde chegou à presidência, ele criou a ANPPC (Associação Nacional de Proprietários e Pilotos de Caminhão) e passou a trabalhar detalhadamente em um regulamento técnico com a preocupação de colocar modelos e marcas diferentes em nível de igualdade dentro da pista.


Em 1994 Aurélio fez uma apresentação oficial em Interlagos e mostrou a Fórmula Truck para empresários, autoridades esportivas e imprensa.


No ano seguinte, conseguiu com uma liminar na justiça voltar às pistas para uma série de provas-exibição, uma forma de ficar fora da alçada da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) que havia proibido as provas de caminhões depois do acidente de 1987. O público já passava de 15 mil pessoas e a CBA começou a estudar a homologação do evento automobilístico que já impressionava por levar um público tão grande aos autódromos.


O reconhecimento do trabalho de Aurélio Batista Félix veio com a homologação da categoria, para a criação definitiva do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck em 1996. Entre várias aprovações, os equipamentos de segurança desenhados (santo-antônio) por Aurélio e produzidos na própria sede da Fórmula Truck foram reconhecidos pela entidade máxima do automobilismo brasileiro como sendo superiores aos utilizados na Europa.


Em 2008, a Fórmula Truck completava sua 13ª temporada, ano em que seu criador Aurélio Batista Félix estaria realizando mais uma etapa de seu interminável sonho: a internacionalização da categoria com uma corrida a ser realizada na Argentina. O projeto ganhou força depois da visita de Aurélio a uma etapa da Truck européia, em Nurburgring, na Alemanha, no ano anterior. “Nossa F-Truck brasileira é superior à européia em todos os aspectos. Nossa tecnologia usada na preparação dos caminhões e estrutura de produção do evento é muito melhor do que a deles”, disse animado Aurélio no início desta temporada.


Na primeira prova do ano, no dia 2 de março em Guaporé, RS, Aurélio se sentiu mal logo depois do final da corrida. Já com um histórico com problemas cardíacos ele teve que ser socorrido na próprio autódromo e logo depois transferido para o Hospital São Vicente em Passo Fundo. Após uma bem sucedida cirurgia comemorada por um corpo médico de seis especialistas, Aurélio estava para ter alta quando novamente se sentiu mal, três dias depois da cirurgia. Levado para a mesa de operação, foi constatado uma hemorragia estomacal de grandes proporções, o que ocasionou o óbito no final da tarde do dia 5 de março de 2008.

Após a comoção de todo o meio automobilístico, a Fórmula Truck terminou o ano de 2008 com grandes índices de audiência e público. Nas mãos dos coordenadores que aprenderam com Aurélio e na direção da nova presidente da categoria, a viúva Neusa Navarro Félix, a temporada foi recorde de público em todas as etapas do ano passado.


Aurélio faleceu após a realização da primeira etapa da temporada de 2008 em Guaporé. A semente plantada por ele já vingou, floresceu e deu frutos. Reconhecida nacionalmente como a categoria mais popular do país, a Fórmula Truck começa agora a trilhar o caminho da projeção internacional. Os sonhos de Aurélio continuam se tornando realidade.


Aurélio tinha 49 anos de idade quando nos deixou. Era casado com Neusa e deixou três filhos: Danielle, Gabrielle e Aurélio Junior.

Veio 2009, e sob o comando de Neusa Navarro Félix a Fórmula Truck fez uma bela temporada. O sonho do idealizador Aurélio virou realidade da forma mais bonita possível, bem como ele próprio gostaria. A Fórmula Truck fez sua primeira prova fora das fronteiras do Brasil levando ao Autódromo Juan Y Oscar Galvez o recorde de publico com mais de 70 mil pessoas aplaudindo o show da categoria brasileira de caminhões.


GEOTRILHAS/RN ESPORTE CLUBE PRESENTE NA 15ª CORRIDA DE SANT'ANNA EM CAICÓ/RN

Atletas Lázaro Freire e Jaelson Batista (nas pontas) representando o GEOTRILHAS/RN na Corrida de Sant'anna
A largada da XV Corrida de Sant’Ana aconteceu hoje (24) às 15h20min com os percursos: um 1 Km na categoria Mirim, de 12 a 13 anos do centro Administrativo; três mil metros nas categorias Infantil, de 14 a 15 anos e portadores de necessidades especiais (deficiência física) de 18 anos acima, do Ceduc. 

Já as demais categorias, de 16 anos acima, largaram às 16h do Caicó Iate Clube, com um percurso de 8 Km, na BR 427, que liga Caicó à Jardim do Seridó. A chegada de todas as categorias no Complexo Turístico Ilha de Sant’Ana. Valdemir Borges de Sousa venceu no Geral Masculino, enquanto Mary Emanuella da Costa Oliveira levou o ouro no Feminino.

Confira a classificação da principal categoria:

Prova de 8 Km – Geral

A equipe de atletismo do GEOTRILHAS/RN agradece o apoio dos seus patrocinadores (Nordeste Fruit, CDA Distribuidora, Neta Consultoria, RN Desigh e Silk Camisetas), que acreditaram no retorno em investir no maior bem do ser humano, que é a saúde.
 

quarta-feira, 27 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (GT ITAIPAVA BRASIL)

A categoria dos carros dos sonhos faz sua quinta temporada no Brasil reunindo as marcas mais cobiçadas do mundo como Ferrari, Corvette, Lamborghini, Ford GT, Viper, Audi, Porsche, Aston Martin, Maserati e Ginetta. Os carros alinham no mesmo grid de largada, mas os resultados e a pontuação são separados em duas classes em função das diferenças de desempenho, a Itaipava GT3 e Itaipava GT4.

O campeonato é formado por dez etapas em rodada dupla (duas corridas por fim de semana), passando por São Paulo, Curitiba, Londrina, Campo Grande, Rio de Janeiro e Santa Cruz do Sul. Todas as provas podem ser acompanhadas ao vivo e na íntegra pela Rede Bandeirantes e também pelo portal Terra. Nas semanas seguintes, as provas são reprisadas nos canais Bandsports e Speed Channel.
As corridas do Itaipava GT Brasil têm cinquenta minutos de duração e um pit stop obrigatório previsto por regulamento. Os carros podem ser inscritos com duplas (com troca de pilotos na parada obrigatória) ou com um piloto sozinho. A programação das etapas começa com treinos na quinta e sexta-feira e corridas sábado e domingo.

OPERAÇÃO LIMPA E PLANTA MANGUE ACONTECERÁ NESTE PRÓXIMO SÁBADO

Neste próximo sábado dia 30 de julho acontecerá mais uma Operação Limpa e Planta Mangue. Programa de Educação, cuja iniciativa visa despertar e mobilizar alunos, educadores, professores e a sociedade sobre a importância dos serviços ambiental que os manguezais promovem. 

A concentração está marcada para às 08h:00, em frente ao edifício do Diário de Natal, localizado no bairro de Igapó. A organização do evento recomenda ao participantes, que usem roupa clara, boné, tênis velho de cadarço, protetor solar e levar água.

A Operação Limpa e Planta Mangue é uma realização da SOS Mangue e Ong Baobá, com o apoio da Escola Estadual Luiz Soares, Polícia Rodoviária Federal, Semsur, Semob, Urbana, Rezafenda Comunicação, Nascente Viva, ABES-RN, Transcoop Natal e Sindlimp.

Maiores informações com Rogério Câmara (84) 8706.0573 e Haroldo Mota (84) 9927.6555.

terça-feira, 26 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (Formula Future)


Esta categoria idealizada pelo piloto Felipe Massa, traz de volta o sonho dos jovens talentos em seguir na carreira de pilotos com carros importados da França, 0km, com motores FPT Fiat, um carro com o que há de mais moderno no mundo dos fórmulas.

A grande atração desta categoria é o baixo custo, viabilizando assim a continuidade dos pilotos que saem do kart para fazerem uma boa escola nos fórmulas para quando chegarem no exterior terem na bagagem uma grade experiência em carros de última geração.
Esta categoria tem uma grande preocupação da organização no seu desenvolvimento, facilitando ao máximo a temporada dos pilotos, aonde todos os pilotos tem seus box preparados pela organização, transporte dos carros, mecânicos, engenheiros, combustível, pneus, manutenção, tudo incluso no pacote de adesão do piloto á categoria, assim o piloto pode se dedicar ao máximo ao seu aprendizado.
 
Descrição do carro:
  Fórmula Francês da marca Signatech.
  Motor Fiat Powetrain Technologic (FPT) - 150cv
  Velocidade Final - acima de 200km/h
  Câmbio - Sequencial 5 marchas

  Pneus - Dianteiros 53/13 - 16 e traseiros 54/13 - 22
  Combustível - Shell V Power Etanol  


O Rio Grande do Norte conta com o piloto Johilton Pavlak representando o estado potiguar na categoria.


2º LOTE SOLIDÁRIO - (Troféu Gustavo Sondermann)


Dentro da programação do III Desafio GEOTRILHAS/RN de Kart, será realizado um leilão solidário em benefício da Casa de Caridade São Vicente de Paula (Ceará-Mirim), e ao Grupo de Apoio a Criança com Câncer - GACC/RN (Natal/RN).

A moeda de barganha do nosso leilão solidário, será quilos de alimentos não perecíveis (exceto sal), em que o maior lance em quilos de alimentos, será o arremate vencedor dos lotes do leilão solidário.


LOTE 02

O segundo lote a ser leiloado será um kit oficial com dois bonés e uma camisa tamanho M da equipe Ipiranga RCM Motorsport. Pertencente a Stock Car Brasil, que foi gentilmente doada pelo piloto Thiago Camilo.

Nome:Thiago Camilo
Data de nascimento: 20/09/1984
Local: São Paulo
Equipe: Ipiranga RCM
Montadora: Chevrolet
Número: 21
Vitórias: 9
Poles: 10

Thiago Camilo começou a freqüentar os autódromos na barriga da mãe, Mari. Seu pai, José ‘Bel’ Camilo, foi piloto de várias categorias de turismo e encerrou a carreira na Stock V8, no ano em que o filho estava estreando (2003).

A partir de 1994, Thiago começou a colecionar bons resultados nas disputas pela categoria Junior do paulista de kart. Conquistou vários títulos regionais e em 2000 passou a disputar o Campeonato Brasileiro de Stock Car Light.

Thiago pertence a um pequeno grupo de pilotos brasileiros que nunca se interessaram pelo automobilismo de fórmula, e projetou a carreira para o turismo.

Em novembro de 2004, ao ganhar a última corrida da temporada (dia 28 de novembro, em Interlagos), tornou-se o piloto mais jovem a vencer na Stock Car, com 20 anos, dois meses e 8 dias. Naquela temporada, antes de completar 20 anos, tornara-se o piloto mais jovem a obter uma pole position (dia 1º de maio, em Tarumã).
Depois de sete temporadas na equipe Vogel, onde conquistou suas oito vitórias e dez pole positions, chegou quatro vezes seguidas à Super Final (de 2006 e 2009) e foi vice-campeão (2009), Thiago Camilo inaugura em 2010 uma nova parceria, agora correndo sob a batuta de Rosinei Campos, o Meinha, dono da equipe RCM e campeão de quatro das últimas sete temporadas da Stock Car.

Cronologia:
1996 – 3º colocado no Paulista de Kart
1997 – Vice-campeão Paulista de Kart
1999 – 3º colocado na Copa Brasil de Kart
1999 – Vice-campeão do Primeiro turno Parilla
2001 – 3º colocado na Stock Car Light
2002 – 3º colocado na Stock Car Light
2003 – estréia na Stock V8; 17º lugar no campeonato.
2004 – estréia na Vogel; 1ª pole position (Tarumã-RS) e primeira vitória (Interlagos-SP); 4º colocado no campeonato.
2005 – 7º colocado no campeonato; 1 vitória (Rio de Janeiro-RJ).
2006 – 6º colocado no campeonato; 1 vitória (Curitiba-PR).
2007 – 3º colocado no campeonato; 1 vitória (Londrina-PR)
2008 – 3º colocado no campeonato; 2 vitórias (Londrina-PR e Interlagos-SP)
2009 – vice-campeão – 2 vitórias (Campo Grande-MS e Interlagos-SP)
2010 – 12º colocado – 1 pole position

Vitórias: 8
28 de novembro de 2004 – Interlagos (SP)
19 de junho de 2005 – Rio de Janeiro (RJ)
13 de agosto de 2006 – Curitiba (PR)
29 de julho de 2007 – Londrina (PR)
13 de setembro de 2008 – Londrina (PR)
07 de dezembro de 2008 – Interlagos (SP)
04 de outubro de 2009 – Campo Grande (MS)
06 de dezembro de 2009 – Interlagos (SP)

Pole positions: 10
2004 -Tarumã (RS) e Interlagos (SP)
2005 – Jacarepaguá (RJ)
2006 – Curitiba (PR)
2007 – Londrina (PR) e Interlagos (SP)
2008 – Londrina (PR)
2009 – Salvador (BA) e Interlagos (SP)
2010 – Curitiba (PR)

Prêmios:
2007 – Melhor Piloto Chevrolet
2007 – Capacete de Bronze
2008 – Capacete de Prata
LANCE INICIAL: 150 Kg de alimentos.

Caros participantes fiquem a vontade para comentarem sobre o nosso Leilão Solidário.

Os lances também podem ser feitos pela área de comentários do blog até o dia da prova.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Conhecendo as Categorias (Stock Car Brasil)


O dia 22 de abril de 1979 pode ser considerado um marco na história do automobilismo brasileiro. Nesta data aconteceu a primeira prova do Campeonato Brasileiro de Stock Car, realizada no Autódromo de Tarumã, no Rio Grande do Sul. A criação da categoria foi a melhor resposta a um antigo anseio de uma comunidade apaixonada por carros de corrida: uma categoria de Turismo que unisse, para os padrões da época, desempenho e sofisticação.


Um regulamento foi criado para limitar os custos, procurando equilíbrio, sem comprometer as performances dignas das competições internacionais. A primeira prova contou com a presença de 19 carros, todos do modelo Opala com motores de seis cilindros. A pole position da estreia foi do carioca José Carlos Palhares, o Capeta. Ele fez o tempo de 1min23s00. A prova foi vencida por Affonso Giaffone.
Na época, Ingo Hoffmann retornava ao automobilismo brasileiro depois de uma passagem pela Fórmula-1, onde defendeu a equipe Copersucar-Fittipaldi. O piloto, doze vezes campeão da Stock, passou a dominar a categoria no final da década de oitenta, quando conquistou os títulos de 1989 a 1995.

Nestas temporadas tivemos um sem número de ultrapassagens, grandes duelos e festas repletas de emoção. Nesses anos todos, foram centenas de corridas pelos autódromos do Brasil. A grande consagração da categoria foi em 1982, quando duas provas foram realizadas no Autódromo de Estoril, em Portugal.
A partir de 2000, a Stock Car entrou em uma nova era. Com administração da Vicar, a categoria passou a se profissionalizar, dentro e fora das pistas, dando os primeiros passos até se tornar a principal categoria do automobilismo nacional. A parceria com a Rede Globo também impulsionou o sucesso da Stock Car, que passou a atrair mais pilotos, equipes e patrocinadores. Com isso, o evento tornou-se uma importante ferramenta de marketing de relacionamento para as mais de 90 empresas envolvidas.
A temporada de 2005 também entrou para a história da Stock Car. Além de a categoria ter se tornado multimarca – pela primeira vez os Mitsubishi-Lancer correram ao lado dos Chevrolet-Astra, no dia 30 de outubro, 40 carros da Stock Car V8 realizaram uma inédita etapa fora do Brasil, valendo pontos para o campeonato. Foi uma rodada ao lado da TC2000, a principal categoria argentina que no mês de julho tinha corrido em Curitiba. O Autódromo Oscar Gálvez recebeu um público de 70 mil pessoas. Giuliano Losacco foi o vencedor da prova com Mateus Greipel em segundo e Luciano Burti em terceiro lugar.
Em 2006, além de a corrida da Argentina ter sido mantida no calendário, a Stock Car V8 recebeu a terceira marca. O Volkswagen-Bora passou a ser a carenagem de dez carros da principal categoria do automobilismo da América Latina. O veterano Ingo Hoffman venceu a última etapa do ano em Interlagos e completou cem vitórias na carreira. O piloto Cacá Bueno conquistou seu primeiro título na categoria, após três vices-campeonatos seguidos.
O ano de 2007 ficou marcado pela concretização de um sonho: a entrada da quarta marca, a Peugeot com seu 307 sedan. Além disso, a Stock Car ganhou um novo nome. Nasceu a Copa Nextel Stock Car com uma premiação milionária: R$ 3,5 milhões em prêmios distribuídos para as três categorias ao longo da temporada. A Nextel, patrocinadora oficial do evento, também introduziu o Prêmio Velocidade para o piloto que fizesse a volta mais rápida. Cacá Bueno sagrou-se bicampeão da categoria com uma etapa de antecedência em uma temporada emocionante.
Dois mil e oito ficou marcado pela realização da Corrida do Um Milhão de Dólares, premiação inédita no automobilismo nacional. Visando a segurança, o grid de largada teve uma diminuição no número de participantes, passou de 38 para 34 carros alinhados. Outra novidade foi a chegada da Goodyear como fornecedora oficial dos pneus da Copa Nextel Stock Car, que até 2007 eram fornecidos pela Pirelli. Ricardo Maurício sagrou-se o grande campeão, Marcos Gomes disputou o campeonato até a última etapa e terminou como vice.
E, 2009, a implantação do novo carro foi o destaque da Copa Nextel Stock Car. O modelo JL G-09 representa muito mais tecnologia, competitividade e segurança para a principal categoria do automobilismo nacional. Outra novidade foi a participação de apenas 32 carros no grid de largada, ou seja, a participação de apenas 16 equipes na divisão principal, dando ainda mais importância aos seus participantes.
Em 2010 a categoria inicia sua 32ª temporada cheia de novidades. Novo motor com injeção eletrônica Bosch, utilização do etanol Esso como combustível, do novo pneu da Goodyear e do push-to-pass, para tornar as provas ainda mais emocionantes na parte técnica. A competição também tem nova assinatura, passando a se chamar Copa Caixa Stock Car, reforçaram as mudanças feitas nos últimos anos e que têm contribuído para manter a Stock Car como uma das melhores disputas do mundo.
Nesses anos todos aconteceram várias trocas de carenagens.
Veja as mudanças da categoria desde o início:
Opala – 1979 a 1986
Carenagem Caio/Hidroplas – 1987 a 1989
Protótipo Opala – 1990 a 1993
Omega – 1994 a 1999
Vectra – 2000 a 2003
Astra Sedan – 2004
Astra Sedan e Mitsubishi Lancer – 2005
Astra Sedan, Mitsubishi Lancer e Volkswagen Bora – 2006
Astra Sedan, Mitsubishi Lancer, Volkswagen Bora e Peugeot 307 Sedan – 2007
Astra Sedan, Mitsubishi Lancer, Peugeot 307 Sedan – 2008
Vectra, Peugeot 307 Sedan – 2009

Campeões da Stock Car
1979 – Paulo Gomes 1980 – Ingo Hoffmann
1981 – Afonso Giaffone 1982 – Alencar Jr.
1983 – Paulo Gomes 
1984 – Paulo Gomes
1985 – Ingo Hoffmann 
1986 – Marcos Gracia
1987 – Zeca Giaffone 
1988 – Fábio Sotto Mayor
1989 – Ingo Hoffmann 
1990 – Ingo Hoffmann
1991 – Ingo Hoffmann / Ângelo Giombelli 
1992 – Ingo Hoffmann / Ângelo Giombelli
1993 – Ingo Hoffmann / Ângelo Giombelli 
1994 – Ingo Hoffmann
1995 – Paulo Gomes 
1996 – Ingo Hoffmann
1997 – Ingo Hoffmann 
1998 – Ingo Hoffmann
1999 – Chico Serra 
2000 – Chico Serra
2001 – Chico Serra 
2002 – Ingo Hoffmann
2003 – David Muffato 
2004 – Giuliano Losacco
2005 – Giuliano Losacco
2006 – Cacá Bueno
2007 – Cacá Bueno
2008 – Ricardo Maurício
2009 – Cacá Bueno
2010 – Max Wilson 
Fonte: http://stockcar.globo.com/index.php/historia-stock-car/

CONFIRA A POTÊNCIA DE UM STOCK CAR 
Stock Car Atual X 1º Stock Car

Stock Car X Dragster

Stock Car X Recorde Brasileiro de Velocidade
1991 com o piloto Fábio Sotto Mayor - 303Km/h.



2010 com o piloto Caca Bueno - 345 Km/h.


DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Cuidados ao ultrapassar o retardatário)



VEJAM COMO UM RETARDATÁRIO PODE COMPLICAR A SUA VIDA NA CORRIDA MAIS IMPORTÂNTE DO MUNDO: O caso das 500 Milhas de Indianápolis de 2011.


No fim mais impressionante dos últimos tempos da Indy 500, Dan Wheldon recebeu de presente a vitória quando JR Hildebrand vinha para se consagrar e bateu na última curva da última volta. Com o carro escangalhado, terminou em segundo, chorando e desolado. O melhor brasileiro das 500 Milhas foi Tony Kanaan, que cruzou a linha final em quarto. 

RETARDATÁRIO JOGANDO NELSON PIQUET PARA FORA DA PISTA

sábado, 23 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Vácuo)



Conforme apresentado na figura, O piloto do carro branco é menos afetado pela turbulência aerodinâmica. Quando ele puxa para a ultrapassagem, ele beneficia, pois sua velocidade é maior que a do oponente.

Assim, todo o piloto precisa aprender técnicas básicas para trabalhar na Fórmula 1. Vimos que ele precisa de muitos anos de experiência em categorias de base para saber como reagir a cada tipo de curva dos circuitos e também precisa saber como ultrapassar.

Portanto, não basta o piloto estar na melhor equipe. Ele precisa dominar e aperfeiçoar as técnicas necessárias para dirigir um carro de Fórmula 1. Apenas assim ele poderá se tornar um possível campeão ou pelo menos se manter na categoria.


O jogo de vácuo pode definir o resultado final de uma corrida. Confira como a estratégia de vácuo foi importante da disputa das últimas voltas da Grande Prêmio de Talladega pela NASCAR Sprint Cup.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Periféricos do Kart)


MARCA SERIDÓ GANHA REGISTRO NACIONAL


A marca Seridó Rio Grande do Norte já está devidamente registrada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). 
A organização é uma autarquia federal vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior responsável por processos como o registro de marcas e a concessão de patentes.
Marca, segundo a lei brasileira, é todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços de outros análogos, de procedência diversa, bem como certifica a conformidade dos mesmos com determinadas normas ou especificações técnicas.
De acordo com o Instituto, a marca registrada garante ao seu proprietário o direito de uso exclusivo em todo o território nacional em seu ramo de atividade econômica. Ao mesmo tempo, sua percepção pelo consumidor pode resultar em agregação de valor aos produtos ou serviços por ela identificados; a marca, quando bem gerenciada, ajuda a fidelizar o consumo, estabelecendo, assim, identidades duradouras – afinal, o registro de uma marca pode ser prorrogado indefinidamente – num mercado cada vez mais competitivo

quarta-feira, 20 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Equipamentos de Segurança)



Na década de 50, o vestuário do piloto buscava elegância e conforto. Juan Manuel Fangio, por exemplo, corria de camisa pólo e calça social, uma balaclava e um "capacete" de couro. Nos anos 70 a indumentária completa do piloto era de algodão inflamável, até o acidente de Niki Lauda em 76 que provocou o início das mudanças nesta área. 

Em 1979 os macacões já tinham 5 camadas de material à prova de fogo, à partir do conceito utilizado pela NASA nos equipamentos para astronautas. Lembrando sempre que segurança nunca vem sozinha, ela é consequência de um conjunto de equipamentos e procedimentos. Tomando como exemplo um carro de corrida: banco, base de banco, cinto, gaiola, indumentária pessoal do piloto, proteção cervical, extintores, equipe de resgate em pista, fiscais de pista, e até mesmo a atitude ou "tocada" do piloto, entre outros.

Atualmente o forro interno do macacão, das sapatilhas, do capacete, luvas, balaclava e underwear é feito de fibra sintética especial auto-extinguível ou antichama, o Nomex (marca registrada DuPont) que além de levíssima é tão resistente ao calor e fogo que permite a um piloto sobreviver durante 35 segundos a temperaturas de até 850ºC (lembram das fotos do Sr. Simpson em chamas, testando pessoalmente suas criações ?).No contexto integral da segurança, o capacete sempre foi uma peça fundamental de proteção. Por estar sobre a cabeça sempre teve destaque e, digamos, uma consideração especial não somente por quem usa, mas também por quem vê (aspecto visual).

 Historicamente foi criado para cobertura defensiva da cabeça, como equipamento militar sendo assim uma forma universal de armadura.

Sua função básica era proteção da cabeça, rosto, olhos e por vezes pescoço dos golpes cortantes de espadas, lanças, flechas e outras armas. Os chineses fabricaram-nos em osso; os assírios e persas em couro e ferro; já os gregos fabricaram capacetes em bronze cobrindo integralmente a cabeça, com uma só abertura estreita na frente para ver e respirar. Os romanos desenvolveram várias formas, incluindo o legionário redondo e o gladiador especial com borda ampla e viseira furada, fornecendo proteção adicional.

Nos esportes a motor, esta proteção sempre foi extremamente importante tanto para o kart quanto para motocicletas e na F1, onde temos os maiores avanços tecnológicos nos materiais, nos formatos, nos conceitos.

Cada capacete é um item exclusivo, concebido individualmente para cada piloto. Um dos fabricantes na Alemanha, começa pelo 'scan' da cabeça criando um modelo tridimensional. No próximo passo já produzindo o casco, o tal modelo é envolvido por 120 camadas de fibra especial de elevado desempenho, consistindo em cerca de 12000 micro-linhas, cada uma delas 15 vezes mais finas que um cabelo humano. Para se ter uma idéia se todas as fibras fossem uma única linha, são cerca de 16.000km (de microfios) envolvendo a cabeça de um piloto profissional.
Neste exemplo, a composição exata ou processo produtivo das 17 camadas de elementos que compõem o capacete, são informações sigilosamente mantidas pelos fabricantes. São revelados apenas 5 dos seus principais compostos: a fibra de carbono trazendo rigidez e leveza, o Nomex à prova de fogo, o aramida ou "kevlar" com sua elevadíssima resistência à ruptura/tração, o polietileno utilizado em blindagens ou vestuário à prova de bala, e o policarbonato da viseira. Esta com espessura de 3mm e altamente resistente, assegura a visão do piloto ajustando-se à luminosidade externa, em mais de oito cores incluindo as espelhadas. Nos testes destrutivos, são disparados projéteis contra a viseira a mais de 500km/h e o resultado do impacto é analisado criteriosamente.

PROTEÇÃO CERVICAL

A partir de 2001 na F1 e em seguida na IRL/Indy, o capacete passou a ter um acessório obrigatório: o sistema HANS (Head And Neck Support) ou protetor de coluna cervical. Funcionando em conjunto com o capacete e o cinto de segurança, a proteção cervical HANS reduz drasticamente a força exercida na cabeça e pescoço durante um acidente.

Apesar de ter sido criado no início da década de 80, o 1º uso oficial do sistema HANS aconteceu apenas em 1989 por Paul Newman. Este item tornou-se obrigatório nas demais categorias após a repercussão do falecimento do multicampeão Dale Earnhardt (veja filme abaixo).

Notem que a pancada fatal no muro não parece extrema (calculada em 144 km/h) e mesmo assim quebrou o osso da base do crânio, o qual apóia sobre a primeira vértebra cervical "no topo da coluna". É para proteger este osso que foi criado o Hans e também o LEATTBRACE, versão para moto e kart disponível no mercado e obrigatório em diversos países, até mesmo para treinar em pista.

O principal beneficiado do desenvolvimento dos equipamentos é o piloto, já que a vida do ser humano vem em primeiro lugar.

Mesmo assim, é comum no meu papel de profissional da área, por ocasião do lançamento e/ou obrigatoriedade de novas homologações e equipamentos, receber comentários negativos. Culturalmente o brasileiro não investe em segurança, ou muitas vezes privilegia aparência no lugar de função. Assim, gradativamente estamos ajudando os pilotos a desenvolver a consciência da segurança.

NOVOS CONCEITOS

Existem inúmeros protótipos de capacetes em desenvolvimento, inclusive novos modelos e conceitos, impulsionados pelos acidentes de John Surtees Jr, Felipe Massa, dentre outros.

Além da segurança e da aerodinâmica, cada piloto possui em seu capacete uma identidade exclusiva. Através da pintura personalizada, artistas especializados criam visuais inéditos de acordo com cada personalidade dando vida a projetos únicos.

CAPACETES E CRITÉRIOS DE ESCOLHA NA COMPRA

Atualmente existem diversos tipos, modelos e marcas de capacetes no mercado. Ainda por cima temos as classes de homologação, datas (de fabricação e de validade), validade da homologação em si, uma infinidade de materiais que compoem a estrutura/construção do casco, ...  No meio disto tudo, o piloto se pergunta: "Qual deles é o melhor para minha finalidade de uso?"

 Já que o capacete é utilizado por alguns anos, e representa um dos maiores investimentos na indumentária pessoal, é necessário frisar que um capacete novo deverá "servir" ou "vestir" muito bem, de preferência apertado/justo já que irá lacear com o tempo de uso. Aí somente experimentando diversas marcas, modelos e tamanhos para ter certeza da melhor opção.

Temos os modelos fabricados na China a preços atraentes, outros tantos produzidos no Brasil e Argentina sem homologação nenhuma e mais outros ainda, por incrível que pareça, fabricados e comercializados sem qualquer critério ou preocupação com a segurança dos pilotos. E ainda capacetes de marcas excelentes, porém falsificados !

Ao comprar, verificar se a certificação do capacete é atual (selo de homologação fixado internamente ou externamente). No Kart é obrigatório o uso de capacetes com certificação "igual ou superior" a K2005, SA2005 ou CMR-CMS2007.

Qualquer homologação anterior a esta (ou mesmo para moto) NÃO serve para kart, por não atender às exigências mínimas de segurança (cargas de impacto utilizadas nos testes CIK/FIA) e consequentemente a capacidade de proteger o piloto em caso de necessidade (acidente). Lembre-se, a vida é preciosa demais para economizar na tua proteção.

10ª Meia Maratona da Cidade de João Pessoa/PB

Créditos: BeneRunner
Estão abertas as inscrições para a 10ª edição da Meia Maratona da Cidade de João Pessoa. A prova acontecerá no dia 07 agosto às 08h:00, com percursos de 21 Km e 10 Km, partindo do Busto de Tamandaré, na praia de Tambaú, passando pela Estação da Ciência, Girador de Manguabeira e retornando ao Busto de Tamandaré.

As inscrições podem ser feitas no site: http://ascorpa.wufoo.com/forms/10a-meia-maratona-cidade-de-joao-pessoa/, com valores que variam de R$ 17,00 a R$ 35,00.

Maiores informações pelo e-mail: ascorpa-corrredor@hotmail.com 

terça-feira, 19 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Posicionamento do piloto)



A postura no kart

Pegada no volante: Você deve pegar no volante na posição equivalente a dos ponteiros de um relógio às 21:15 horas. Essa posição lhe dará maior controle sobre o kart e melhora a aderência nas curvas em função da transferência de peso para as rodas dianteiras.Nas retas relaxe as mãos e respire fundo


Posição de Pilotagem: Quando estiver sentado no kart tente manter a coluna reta e a cabeça erguida. Isso também ajuda na hora da curva, transmitindo mais peso para frente e melhorando a aderência.
O seu corpo deve acompanhar a tendência da curva. É como nas motos.

Posição do banco :A posição do banco é fundamental para o equilíbrio do kart. Deve-se alcançar o volante com os braços fazendo um angulo entre 90 e 100 graus. As pernas devem permanecer flexionadas mesmo quando o piloto acelera ao máximo. Além da distribuição de peso, é importante o conforto do piloto. O posicionamento do banco deve aliar o conforto com o equilíbrio. Por isso, ele deve ficar o mais baixo possível para proporcionar um centro de gravidade mais próximo ao solo, favorecendo maior estabilidade.


DONA INÊS/PB SEDIOU A 2ª CAMINHADA ANDA BRASIL

Por Mariano/Sec. de Meio Ambiente, Turismo e Cultura
 
No último sábado (16/07) aconteceu a 2ª CAMINHADA ECOLÓGICA - TRILHA MATA DO SERÓ; uma oportunidade para mostrar suas belezas e encantos aos nossos visitantes e também aos habitantes do município. 

Recebemos caravanas de caminhantes de várias cidades dentre elas podemos constatar; João Pessoa, Campina Grande, Lagoa Seca, sem contar com a participação dos moradores locais.

Para nós foi grande satisfação termos o reconhecimento de pessoas de várias idades e etnias, pois recebemos um grupo de Japoneses com a faixa etária de 15 aos 82 anos que com muito entusiasmo e disciplina que lhe é peculiar fez a caminhada percorrendo 10,7 km, sem mostrar nenhum cansaço.

A caminhada serviu para aproximar o homem a Natureza, nosso meio ambiente, bem como para unir as pessoas e fortalecer os laços familiares, que o diga o Sr. Alfredo Pinho, que escreveu toda família e botaram o pé na estrada, ou seja, na trilha. Uma demonstração que família unida caminha também unida.

Dona Inês está com o pé na trilha, e com certeza não o tirará mais, pois o turismo é feito a passos lentos e constantes, com perseverança irá alcançar o sucesso.
Precisamos, contudo, que os empresários locais acreditem e invistam nesse setor que está crescendo no mundo inteiro como um grande gerador de renda e oportunidades para as futuras gerações.

É a indústria que mais cresce no mundo, sem poluir e sem degradar. É ecologicamente correta e mostra que é possível desenvolver sem comprometer a sustentabilidade do meio ambiente.

Tudo isso está sendo possível em Dona Inês, por termos um Gestor com visão de futuro que nos tem dado oportunidades e não mede esforços no tocante ao Turismo, a Cultura e para isso criou uma secretaria para cuidar do assunto.

Aproveitamos a oportunidade para agradecer aos Condutores locais, guia de turismos que trabalharam com muito profissionalismo e, sobretudo com amor a causa.

Dentre eles poderemos citar: Espedito, do Sítio Miguel, que é aluno do Projovem Adolescente que fez recentemente o Curso de Guia; Vanda, do Povoado de Cozinha; Antonio do Sítio Pimenta, que acredita e se empenha para promover o turismo; Cristiano, do Sítio Queimadas, guia por vocação, escalador e rapeleiro por formação; Gilberto, do Conselho Tutelar; Rosinaldo, ex. Conselheiro Tutelar; Jairo, nosso geógrafo, que fez o curso de guia recentemente e Esteves, o carioca com coração donainesence, que com muita gentileza decorou o stand e fotografou os grupos registrando todos os momentos. Agradecemos também a Polaco, campinense e o morador mais recente do município de Dona Inês, que atuou muito bem como preparador físico dos caminhantes. Agradecemos também a Rosa Toscano e Glorinha Araújo que trabalham na Biblioteca Municipal, e não mediram esforços em nos ajudar fazendo as inscrições dos caminhantes.

Gostaria de estender os nossos agradecimentos aos moradores dos sítios onde o percurso foi feito, pela maneira como tem recebido os turistas, nossos trilheiros e de modo especial aos que instalaram suas barracas lá na clareira da mata para comercializarem seus produtos aos caminhantes do Circuito Mata do Seró: Nita, Zefinha da Cachoeira, Galego Elias e Jurandir com o Trio Forró do Bom, que com seu Forró Pé de Serra animou a todos e todas que passaram por lá.

O turismo é feito com nossa gente para receber gente. Gente de perto, de longe, seja de onde for.

Por isso gentilmente agradecemos a Guilherme com sua caravana de Japoneses, ao Jampa em Trilha que pela segunda vez veio caminhar com a gente; ao grupo de Campina Grande que se faz presente em nossas caminhadas. Ao Silas Porto, que pernoitou na Pousada do Açude Grande, no Assentamento Tanques, para formatar gratuitamente uma nova trilha - a Trilha do Vaqueiro - que brevemente será cadastrada no Anda Brasil para aqueles que amam a aventura e quer fazer Ecotrilha, a Trilha do Vaqueiro está pronta.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

DROPS III DESAFIO GEOTRILHAS/RN DE KART - Dica de Pilotagem com Victor Uchôa (Sinalização)


CAUSOS DE ARUPEMBA , O MATUTO BERADEIRO - AS "ARUPEMBAS" DE ALUMÍNIO.

Por  Geraldo Bernardo
Das coisas acontecidas
nas quebradas do meu sertão,
uma delas me aflige, pois acho muito sem lógica,
estou falando de uma arupemba grande,
que os caboclos estão botando em riba
da casa e que chamam parabólica.
Outro dia mesmo eu fui ver a serventia de tal invenção,
pois dizem que melhora a imagem da televisão,
acreditem, não achei graça.
Era um domingo bem cedo, quando eu estava saindo
para um joguinho de sueca,
chegou lá em casa Zé Furiba,
encarnado e todo esgulepado,
correndo que só um preá.
-          Vem cá compadre, assistir o aparelho,
pois não é que agora
pega imagem até do estrangeiro.
Sou matuto, confesso, nunca aprendi nem a ler,
nasci foi pelo mato mesmo,
até hoje não me acostumei, com a falta de candeeiro,
quanto mais com essas modernidades,
de seu Zeca, filho do finado Chico Brejeiro,
que depois que tomou conta da terra lá de nós,
inventou de enterrar uns paus de carnaúba no chão,
pendurou uns fios em cada casa,
sendo que agora para acender a luz
é só apertar um botão.
Já saí meio afobado.
Minha vida foi cuidar de gado, tirar capim,
não gosto de ficar só olhando,
para uma caixa de vidro,
onde o povo fica lá dentro fazendo pantim,
mesmo assim fui espiar a danada
da melhoria nas imagens da televisão.
Fiquei sentado num tal de sofá
e Zé Furiba,  xirimbaba do patrão, todo ancho,
se apoderou de vez de um tal controle remoto,
ficou amulegando biloto para cá, para lá,
nós ali na sala, tinha eu e Zé de Lídia
que nunca tinha olhado para o aparelho de vidro,
quanto mais com aquela baciona em riba da casa.
A primeira imagem que apareceu,
era uma galega toda entroncada
fazendo munganga com a bunda,
uns negão com os dentes no quarador.
A meninada inventou de rebolar,
chamando aquilo de pagode.
- Como é que pode meu senhor?
Pensei cá dentro de mim.
Quando eu era moço,
dançava a noite inteira num terreiro de forró,
 bastava ter bom tocador.
agora as coisas são assim,
o cabra parece que está na macumba,
parece Zé Pilintra baixando.
E o sujeito continuou mudando de imagem.
Era cada coisa diferente, tinha desenho de bicho
fazendo papel de gente,
cabra safado sem vergonha, metido a chibungo.
Cada lapa de mulher!
Chico de Lídia chega babava,
eu simplesmente me lembrava,
das coisas que não via ali.
Como as fogueiras queimando, os fogos pipocando,
enquanto as moças namoravam, as mulheres rezavam,
a lua tudo iluminava, sem precisar de nenhum botão.
Digo-lhes com toda a sinceridade,
de um homem calejado na enxada,
essa tal de novidade, pode até servir para a rapaziada,
para as moças de pouca idade, mas para mim,
é o tipo de divertimento que não faz falta,
porque não tem comparação
com uma debulha de feijão.
Agora pergunto para que?
Uma bacia de alumínio em riba da casa,
 encandeando os olhos dos outros?
Não serve para soprar arroz,
café ali não se torra, se pelo menos juntasse água.
Mas, eu mesmo respondo, qual a sua serventia,
ou será que ninguém percebeu
que com esse progresso da ciência
muito menino nasceu?
Ainda bem que não tenho filha,
para aprender certos artifícios.
Homem e mulher é para se conhecerem,
até faz parte do oficio da gente na terra permanecer.
Porém, o tempo é quem ensina.
Hoje em dia mulher velha, parideira,
sabe menos das coisas que essas meninas,
de tanto verem nas novelas,
 amancebo, baitolagem e coisa e tal,
em tudo que é canal.
Enquanto isso, as parabólicas vão aumentando,
as saias diminuindo e o sertão se enchendo de menino.