segunda-feira, 30 de junho de 2014

BIOCOMBUSTÍVEL NO TREM

Imagem: RTV
A ampliação do percentual de biodiesel no combustível utilizado pelas locomotivas de trens poderá reduzir custos do transporte ferroviário, de acordo com a Aprobio (Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil). 

A MP (Medida Provisória) 647 determina que a mistura, hoje em 5% de biodiesel por litro de diesel, seja elevada para 6% a partir de julho e 7%, em novembro. 

A associação tenta barrar uma emenda que ainda tramita no Senado e que poderá, se aprovada, isentar o setor ferroviário da utilização do biodiesel nas locomotivas. 

"As empresas ferroviárias usam o diesel 1.800, que é feito só nas refinarias de Paulínia [SP] e Manaus", diz Julio César Minelli, diretor-superintendente da entidade. 

"Como as usinas de biodiesel estão distribuídas de forma mais pulverizada pelo país, haverá redução de custos no transporte do produto até os centros logísticos das empresas ferroviárias."

sábado, 28 de junho de 2014

PESTICIDAS ESTARIAM COLOCANDO EM RISCO A PRODUÇÃO DE ALIMENTOS


O impacto dos pesticidas sobre os ecossistemas já é estudado há muito tempo, e não são raros os trabalhos científicos que alertam que alguns tipos de químicos são prejudiciais para a saúde humana e animal. Porém, nunca antes um grupo de pesquisadores transmitiu tão forte a mensagem de que o uso de pesticidas está colocando em risco a produção agrícola ao acabar com espécies essenciais para a produção de alimentos. “A evidência é clara. 

Estamos testemunhando uma ameaça à produtividade de nossa agricultura e ao meio ambiente equivalente à que foi provocada pelos organofosfatos (DDT). Muito longe de proteger a produção de alimentos, o uso de neocotinoides e do fipronil está ameaçando a própria estrutura que mantém a agricultura, matando polinizadores e outras espécies essenciais”, afirmou Jean-Marc Bonmatin, do Centro Nacional para Pesquisas Científicas da França, um dos autores da análise. Bonmatin e outros 28 pesquisadores de diversas partes do mundo avaliaram mais de 800 estudos publicados nas últimas duas décadas para buscar entender qual é a visão da comunidade científica sobre o uso de alguns dos pesticidas mais populares mundialmente. 

 O que observaram é que existem poucas dúvidas de que os neocotinoides e o fipronil são prejudiciais para uma vasta quantidade de espécies, entre elas abelhas, borboletas, alguns tipos de minhocas e pássaros. 

Entre os problemas que esses pesticidas causam nos animais estão: perda do olfato e de memória; redução da fecundidade; alteração no padrão alimentar e no senso de direção. Nas abelhas, ainda provocam dificuldades de voo e aumentam a vulnerabilidade a doenças. “Quando os primeiros estudos apareceram sobre o tema, houve uma forte reação da indústria química e dos próprios agricultores. Assim, o assunto ficou esquecido por muito tempo. Hoje estamos vendo uma situação semelhante aos anos 1950, quando utilizávamos químicos na agricultura que eram terrivelmente nocivos”, reforçou Dave Goulson, da Universidade de Sussex. 

A estimativa mais recente aponta que os agricultores gastam anualmente mais de US$ 2,6 bilhões em neocotinoides. Para piorar, segundo os pesquisadores, as doses utilizadas desses pesticidas e a sua potência têm sido aumentadas com o passar dos anos, já que as pestes ficam cada vez mais resistentes. 

“É semelhante ao que vemos quando um ser humano abusa dos antibióticos para evitar ficar doente: quanto mais se usa, mais resistentes as bactérias ficam. É uma loucura o que estamos fazendo, utilizando esses pesticidas como profiláticos”, disse Goulson.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

A IMPORTÂNCIA DO SEGURO VIAGEM


Seguro viagem é o tipo de “gasto” que ninguém quer ter em uma viagem, pois acredita que nunca irá precisar! (eu desejo mesmo que seja assim). Contudo, em alguns casos isso deixa de ser opcional e o seu “querer” não é algo considerável, quando o destino, por exemplo, exige que você tenha isso para entrar e permanecer dentro dele. Todos já devem saber que estou falando dos países que fazem parte do Tratado de Schengen, onde o turista deve comprovar que está assegurado em até 30.000 euros em assistência médica. 

Pesquise antes de viajar quais são esses países, pois tratado Schengen é diferente de Comunidade Européia e Zona Euro. Nem sempre um país europeu está ao mesmo tempo, dentro desses 3 grupos. Daí você me pergunta: “Mas eles vão perguntar se eu tenho isso?” E eu te respondo: Nem sempre! Isso será exigido de você no momento em que passar pelo controle de imigração onde caímos naquela velha história: depende da sua idade, de onde você vem e depende do humor do funcionário do aeroporto que irá te atender. Mas você tem que saber que se isso acontecer e ele perguntar, meu amigo, você vai ter que ter esse seguro. 

Porém, existem outros destinos em que isso não é exigido. Sei que nesse caso volta a “preguiça” de adquirir esse serviço, mas antes de deixar pra lá, acredito que vale refletir melhor sobre o assunto. 

É verdade que ninguém quer chegar a usar isso e que, se não for obrigatório, por que gastar mais dinheiro? Mas, já ouvi histórias de pessoas que precisaram de assistência em uma viagem e que, não tendo o seguro, tiveram que desembolsar uma grana. 

Histórias que vão desde a um dente da frente quebrado, à aquisição de remédios que no destino eram de uso controlado, e o viajante não tinha receita. Se pesquisar, verá que o valor não é nada absurdo e de quebra você adquiri alguns benefícios e auxílios em situações que podem ser sim mais recorrentes em sua viagem como o extravio de bagagem, perda de voos e etc. Vai depender do plano que você adquirir. 

Em nossa viagem aos Estados Unidos, utilizamos o serviço da Coris e digo a vocês que com relação ao atendimento na aquisição e esclarecimento de dúvidas, foi perfeito. 

Sobre a utilização, tivemos a sorte de tudo ter corrido bem e portanto não precisamos acioná-lo. Então, sobre isso não posso dizer. 

Mas imagino que assim como no atendimento, a assistência seria devidamente prestada. Conheço outras pessoa que já o utilizaram e não tiveram problemas.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

MAIS DE 800 ESPÉCIES FORAM ADICIONAS À LISTA VERMELHA IUCN


Em 2014, a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) está celebrando os 50 anos de existência da sua Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas de Extinção, ferramenta globalmente utilizada essencial para guiar ações de conservação e decisões políticas. 

Apesar da data, na realidade, pouco temos para comemorar além de alguns poucos esforços bem sucedidos para a remoção das espécies das categorias de maior ameaça. Uma atualização da lista foi divulgada na semana que passou e incluiu mais 817 espécies. Assim, agora são 73.686 espécies avaliadas, das quais 22.103 (30%) estão ameaçadas de extinção. 

A lista é atualizada duas vezes por ano. Anunciando os novos números, a IUCN deu destaque para dois grupos extremamente preocupantes. Um deles são as orquídeas conhecidas como sapatinhos (sub-familia Cypripedioideae), que têm quase 80% das espécies ameaçadas de extinção. 

Elas são encontradas na América do Norte, Europa e Ásia (regiões temperadas), onde a destruição do seu habitat e a coleta das espécies selvagens para alimentar o comércio local e internacional são as principais causas da ameaça. “O surpreendente da avaliação é o grau de ameaça a essas orquídeas”, comentou Hassan Rankou, especialista da IUCN. 

A IUCN também destacou que 94% dos lêmures estão ameaçados de extinção. 

Das 101 espécies sobreviventes, 22 estão criticamente ameaçadas, 48 estão ameaçadas e 20, vulneráveis. Isso os torna um dos grupos de vertebrados mais ameaçados da Terra, e os culpados são a destruição do seu habitat e a caça para a alimentação. “Apesar da profunda ameaça aos lêmures, que tem sido exacerbada pela crise política em Madagascar [os animais são endêmicos deste país], acreditamos que ainda há esperança”, comentou Christoph Schwitzer, especialista da IUCN. 

Ele acredita que ações conjuntas entre os pesquisadores, comunidades e ONGs podem ter sucesso na proteção de espécies ameaçadas de primatas. Brasil Em nosso país, a IUCN já avaliou cerca de 5.500 espécies, e, na primeira atualização de 2014 da Lista Vermelha, deu destaque para o tatu-bola-do-nordeste (Tolypeutes tricinctus), mascote da Copa da FIFA 2014, que permanece classificado como Vulnerável. Acredita-se que a espécie declinou em mais de um terço nos últimos dez a 15 anos devido à perda de 50% de seus habitats, a Caatinga e o Cerrado. 

O risco é tão grave que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) instituiu o Plano de Ação Nacional para Conservação do tatu-bola, o PAN Tatu-bola. A caça predatória, a destruição de seus habitats e o pouco conhecimento existente sobre a espécie têm ameaçado sua sobrevivência, aponta o ICMBio. Em nível nacional, a espécie integra a Lista Oficial das Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção, classificada como Em Perigo. A IUCN nota que o status de Vulnerável do tatu-bola pode mudar com o anúncio da avaliação nacional. 

Em uma reportagem para a revista National Geographic, a equipe da IUCN explica que o mascote da Copa 2014 recebeu o nome de Fuleco, uma fusão das palavras futebol e ecologia. “Porém, o quanto o uso do tatu-bola-do-nordeste como mascote da Copa do Mundo se traduzirá em conservação para ele e para as outras nove espécies de tatu do Brasil, resta ser visto”, enfatizam. 

Outras espécies 

A atualização da lista também teve como triste notícia a extinção na natureza de uma samambaia endêmica do Arquipélago das Bermudas, a Diplazium laffanianum, também causada pela destruição do seu habitat, além da introdução de espécies exóticas. A boa notícia, enfatizada pela IUCN, é a recuperação de uma espécie devido a esforços de conservação da Autoridade de Parques e Natureza de Israel. O peixe Acanthobrama telavivensis, mais conhecido como Yarkon bleak, encontrado apenas em Israel, saiu da categoria Extinto na natureza para Vulnerável devido a um programa de reprodução em cativeiro dos últimos 120 peixes que haviam restado na natureza. 

Em 2006, nove mil peixes nascidos em laboratório foram liberados no seu habitat restaurado. “Apesar de celebrarmos alguns casos de sucesso para a conservação em cada uma das Listas Vermelhas da IUCN, há um longo caminho a percorrer entre onde estamos agora e 2020, o prazo estabelecido por quase 200 governos para estancar a perda da biodiversidade e evitar a extinção de espécies”, notou Jane Smart, diretora do Programa Global de Espécies da IUCN. A IUCN pretende que a lista seja um Barômetro da Vida, aumentando o número de espécies avaliadas de cerca de 70 mil para pelo menos 160 mil até 2020. 

A Lista Vermelha é um dos inventários mais detalhados do mundo sobre o estado de conservação mundial de várias espécies de plantas, animais, fungos e protistas, servindo de referência para a maioria dos projetos de conservação e instituições renomadas, como a BirdLife International. “Ao longo dos últimos 50 anos, a Lista Vermelha da IUCN tem guiado o trabalho de conservação – pouquíssimas ações positivas acontecem sem a Lista Vermelha como um ponto inicial”, comentou Julia Marton-Lefèvre, diretora geral da IUCN. “Precisamos continuar a expandir o conhecimento sobre as espécies do mundo para melhor compreender os desafios que enfrentamos, estabelecer prioridades de conservação e mobilizar ações concretas para acabar com a crise da biodiversidade”, enfatizou. 

terça-feira, 24 de junho de 2014

EXPOSIÇÃO CENÁRIO NORDESTINO


De 25 a 30 de junho, o Nordeste será retratado em fotografias na Exposição Cenário Nordestino, do fotógrafo Aldair Dantas. 

O evento acontece no Salão Nobre da Assembleia Legislativa, centro de Natal e terá a participação dos fotógrafos Canindé Soares Natal e Walmir Queiroz.

O POTENCIAL DA ENERGIA SOLAR E AS NOVAS OPORTUNIDADES DO SETOR

Imagem: Wikipédia
Apesar de possuir matriz energética basicamente oriunda de hidrelétricas, o Brasil é o décimo país melhor colocado no ranking mundial de energia solar, atrás da China, Israel, Áustria, Índia, Turquia, Alemanha, Japão, Estados Unidos e Austrália. 

A extensão territorial privilegiada e o sol abundante fazem do território brasileiro uma promissora fonte para a geração de energia solar, inserindo o país num contexto de oportunidades para a oferta de alternativas mais sustentáveis, desenvolvimento econômico, geração de empregos e melhoria da qualidade de vida da população. Ainda, o aumento da eficiência energética e a constante redução dos custos dessas tecnologias apontam para a forte tendência de crescimento do setor. 

Dentro deste panorama favorável e grande potencial do Brasil no segmento de energias renováveis, acontece a 3ª edição da EnerSolar + Brasil | Feira Internacional de Tecnologias para Energia Solar, de 16 a 18 de julho de 2014, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. 

O evento, organizado pelo Grupo Cipa Fiera Milano e Artenergy Publishing irá reunir toda a cadeia da indústria produtiva dos segmentos de energia térmica solar e fotovoltaica, inversores e outras energias renováveis, atraindo investimentos e criando novas oportunidades de negócio em todo o mercado da América do Sul. 

Com cerca de 130 expositores nacionais e internacionais, de países como Itália, Estados Unidos, Alemanha, Espanha e China, a feira irá apresentar tecnologias, serviços e soluções para aplicações comerciais, sociais e residenciais. Paralelo à Enersolar acontece também uma ampla agenda de conferências, seminários e workshops, parte integrante da programação do 4º Ecoenergy | Congresso de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia, que terá este ano como tema central “As energias renováveis minimizando os riscos de uma crise energética”, com palestras de representantes do governo, especialistas da indústria e pesquisadores, que discutirão alternativas e caminhos para o uso das energias renováveis no Brasil. 

Dentre os temas que serão discutidos estão: políticas de desenvolvimento energético; oportunidades e desafios do setor fotovoltaico e do setor solar térmico no Brasil; incentivos e linhas de financiamento da Caixa Econômica Federal para as energias renováveis; programas de capacitação e certificação de profissionais do setor de energia solar fotovoltaico; “Atlas Brasileiro de Energia Solar”; panorama da energia solar fotovoltaica no Brasil; panorama geral das políticas de financiamento de sistemas de energia solar fotovoltaica. “O setor vem crescendo de forma exponencial, fazendo com que as perspectivas para 2014 sejam extremamente positivas. As várias possibilidades para o uso das energias renováveis apontam o caminho para o Brasil evoluir em relação às questões relacionadas à energia”, afirma Arthur Ribeiro, diretor da Enersolar. 

Já o diretor-geral do Grupo Cipa Fiera Milano no Brasil, Marco Antonio Mastrandonakis, afirma que o crescimento da feira reflete diretamente as novas demandas e o rumo do setor de energia no país. “O Brasil está inserido num contexto privilegiado e existem ainda grandes oportunidades. 

Nossa expectativa é que a Enersolar potencialize e desenvolva ainda mais o setor, trazendo o que existe de mais atual para toda a cadeia produtiva e gerando negócios ao longo do ano todo”. Energia solar no Brasil e no mundo Pesquisas apontam que o setor deverá crescer 20% em todo o mundo com expectativa de que mais de 46 gigawatts (GW) sejam adicionados à oferta atual. Em 2013, a China bateu o recorde mundial de instalação de projetos fotovoltaicos, que somaram 12 GW e para 2014 planeja instalar mais 14 GW. O Japão, agora o segundo país com maior instalação solar do mundo, pode chegar a 10,5 GW em 2014. Já os EUA devem instalar de 5 a 6 GW, o que o torna o terceiro na lista. 

Décimo colocado entre os maiores produtores mundiais de energia solar, o Brasil, possui condições bastante favoráveis para a utilização deste tipo de energia. Além da alta incidência do sol, detém as matérias primas utilizadas na fabricação de equipamentos como cobre, silício, alumínio, aço inoxidável, vidro e termoplásticos. Atualmente, existem no país vários projetos em curso para o aproveitamento da energia solar, sobretudo por meio de sistemas fotovoltaicos de geração de eletricidade, cuja aplicação busca atender às comunidades isoladas da rede de energia elétrica e o desenvolvimento regional. No entanto, este mercado ainda é incipiente, produzindo cerca de 2 megawatts (MW) anuais em projetos-pilotos. 

Em outubro deste ano será possível, pela primeira vez, vender energia solar em um leilão público, havendo um produto específico para esta fonte. Investidores do setor acreditam que o governo federal poderá contratar pelo menos 100 megawatts médios de energia solar no leilão de reserva, o equivalente a 500 e 600 megawatts (MW) de potência instalada em novas usinas solares no país.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

ENGENHO NA ESTRADA: EXPEDIÇÃO SERIDÓ


Por Alex Gurgel. 


O primeiro Engenho na Estrada de 2014 vai desbravar o Seridó, a Região mais tradicional do Rio Grande do Norte. A saída será às 06h00 da matina com a primeira parada na Mina Brejuí, em Currais Novos, onde os fotógrafos vão criar imagens em baixa velocidade dentro das minas, além de registrar a exploração mineral e relaxar em cima das dunas de minérios. 

O grupo terá uma chance única de fotografar a arquitetura colonial das casas coladas de Acari com suas ruas estupendamente limpas, além de clicar o Açude Gargalheiras rodeado de rochas. O Açude nunca teve tão seco com menos de 10% de sua capacidade. É uma foto para ficar na história da seca no sertão. 

Hotel Tungstênio, Praça Cristo Rei, Correto e o Cruzeiro, são pontos turísticos a serem fotografados em Currais Novos. O pôr-do-sol será aos pés da estátua de Santa Rita, em Santa Cruz, onde o sol desde mansinho por trás das serras que circundam o vale do Trairi. A trupe de aventureiros chegará em Natal por volta das 19h00. 

Engenho na Estrada 

O projeto “Engenho na Estrada” é uma proposta para que a pessoa passe o dia inteiro tendo aulas de fotografia, onde os participantes terão pautas definidas a serem cumpridas. Em busca da luz, todos farão exercícios fotográficos com a orientação do professor e fotógrafo Alex Gurgel, responsável pelo projeto. 

Veja imagens de outros destinos do Projeto Engenho na Estrada: http://engenhodefotos.wix.com/index#!naestrada/cfvg 

Expedição Seridó Acari – Currais Novos – Santa Cruz 
Data | 20 de julho (domingo) 
Saída | 06h00 
Local | Engenho de Fotos (por trás da Igreja do Galo, Cidade Alta) 
Investimento | R$ 100,00 (inclui transporte ida-e-volta e entrada na Mina Brejuí). 
Atenção | Água e refeições não estão inclusos no valor 
Informações | [084] 3211-5436 Dica | 
Levar tripé e filtro polarizador

PROCESSO DE PREPARAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DO BRASIL AO NOVO ACORDO SOB A UNFCCC


No âmbito da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), estão em andamento negociações de um novo acordo sob a Convenção, a serem finalizadas em 2015, para entrada em vigor a partir de 2020. 

Nesse contexto, a 19ª Conferência das Partes na UNFCCC (COP-19, realizada em Varsóvia, Polônia) instou as Partes a iniciar ou intensificar as preparações domésticas de suas pretendidas "contribuições nacionalmente determinadas" ao novo acordo e a comunicá-las antes da COP-21. 

 As "contribuições nacionalmente determinadas" representam o pretendido aporte de cada país ao esforço global de combate à mudança do clima e deverão ter papel central na implementação do novo acordo sob a Convenção. 

Com o objetivo de subsidiar o processo de preparação da "contribuição nacionalmente determinada" que o Brasil levará à mesa de negociações, o Ministério das Relações Exteriores está coordenando uma consulta à sociedade civil brasileira, de forma a ampliar a transparência da preparação nacional e dar oportunidade a que todos os setores interessados participem e opinem.

sábado, 21 de junho de 2014

APRENDA COM A ECYCLE A FAZER SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO POR MEIO DO MÉTODO HOT PROCESS

Imagem: Japudo
Você sabia que, com óleo de cozinha usado, é possível fabricar sabão para uso na limpeza geral da casa? 

Trata-se de uma alternativa econômica e sustentável. 

Pois além de reutilizar o óleo você estará consumindo menos sabão industrializado. Confira! 

Há vários jeitos de se fabricar sabão, essa receita segue o hot process. Com essa forma, o sabão fica pronto para uso mais rapidamente. Além disso, é possível fazê-lo de modo que ele fique com uma aparência transparente. 

Para você produzir o seu próprio tablete de sabão, você vai precisar de alguns ingredientes e materiais. 

Ingredientes 

• 1 litro de óleo de cozinha usado; 
• 125 gramas de soda cáustica (pureza mínima: 97%); 
• 140 mililitros de água; 
• 40 mililitros de vinagre; 
• 100 mililitros de álcool. Extras (opcional) 
 • 15 gramas de corante; 
• 30 gramas de óleos essenciais; 
• 100 gramas de glicerina. 

Materiais 

Colher de pau; Balde; Peneira; Panela para banho-maria; Mixer (opcional); Recipientes para molde do sabão; Luvas; Máscaras de proteção; Óculos de proteção. Modo de preparo 

Em primeiro lugar, coloque a máscara, as luvas e os óculos. 

A soda cáustica é altamente corrosiva e deve ser manuseada com extremo cuidado cuidado! Ela pode causar queimaduras e irritações de pele. Depois de se equipar: 

1. Esquente a água até que ela fique morna. Feito isso, despeje-a em um balde e coloque a soda cáustica no mesmo recipiente lentamente.  Nunca adicione água sobre a soda! Pode provocar uma reação forte e causar acidentes. 

2. Mexa com a colher de pau até diluir. Após esse processo, adicione o álcool lentamente. Faça isso longe do fogo. 

3. Depois de retirar as impurezas do óleo (é possível fazer isso com uma peneira), prepare o banho-maria para manter o processo de fabricação do sabão em hot process. Deixe o óleo aquecer um pouco, em banho-maria, (a uma temperatura de 61°C) e introduza, com cuidado, o soda cáustica preparada anteriormente. 

4. Misture por 20 minutos, adicione o vinagre e misture por mais cinco minutos - se possível, utilize um mixer. Caso queria, nessa etapa, pode-se adicionar os ingredientes extras, como corantes e óleos essenciais. Nessa etapa, podemos adicionar também a glicerina, que produzirá um sabão com uma transparência maior. 

5. Se houver formação de espuma que não se incorpore na massa, retire com o auxilio de uma colher. 

6. Deixe esfriar por cinco minutos e despeje no molde com cuidado. Espere 24 horas para esfriar e corte o sabão em formas da sua preferência. Para o sabão ficar pronto para uso, ainda resta uma semana de descanso para ele perder a umidade excessiva e terminar o processo de cura. 

Finalizado o processo, é possível medir o pH do sabão. Utilize um papel tornassol, ou ainda, faça você mesmo um medidor de pH caseiro. 

Entenda mais sobre os ingredientes da fórmula Na fabricação do sabão, há uma preocupação acerca da soda cáustica, pois ela é muito corrosiva e teme-se que ela pode ser prejudicial. 

Contudo, após a reação de saponificação com os óleos, ela perda a alcalinidade, pois os álcalis reagiram com os óleos e se transformaram no sabão (entenda mais sobre a reação do sabão aqui). O álcool é utilizado na fórmula pois ele é o solvente do sabão e, portanto, acelera a formação do traço, além de garantir uma propriedade de conservante. O vinagre, que já é conhecido pelo seus benefícios à saúde, tem um papel importante em diminuir o pH final do sabão. 

Desta forma, o sabão não resseca tanto a pele e é mais ecológico, pois o produto final não impacta tanto os corpos hídricos. Para o seu sabão ser ainda mais sustentável, utilize o menos possível de corante e óleos essenciais e sempre fique de olho para que os óleos essenciais não possuírem parabenos e ftalatos na sua composição. Para não correr esse risco, você ainda pode fazer a sua própria essência e substituir na receita (saiba como aqui). 

Caso queira uma alternativa mais prática você pode usar o amaciante roupas no lugar do óleo essencial, mas dessa forma sua receita irá perder em sustentabilidade. 

Esse sabão pode ser utilizado para limpeza em geral em substituição a outros produtos, como o detergente - não o utilize para fins cosméticos. Como ele é fabricado por óleos e sem a adição de conservantes ele pode rancificar após um tempo. Faça apenas a quantidade necessária para o uso na sua casa.

Fonte: Ecycle

sexta-feira, 20 de junho de 2014

CIDADE DO MÉXICO PROIBE O USO DE ANIMAIS EM CIRCO

Imagem: Andar
A capital do México deu um passo importante no campo dos direitos dos animais. 

Com 41 votos a favor, 0 contra e 11 abstenções, a Assembléia Legislativa do Distrito Federal (ALDF) aprovou uma medida que proíbe o uso de animais de circo. A modificação foi feita na Lei sobre a Conduta de Diversões Públicas do Distrito Federal, o que indica agora que durante as apresentações está proibido o uso de animais selvagens, animais marinhos e domésticos. 

Da mesma forma, essas reformas incluem a proibição de animais para atividades promocionais, como sorteios prêmios, jogos, concursos, loterias ou para tirar fotografias, e outras atividades semelhantes. As mudanças desta lei estabelecem multas que podem atingir 12.000 salário mínimo. 

No que diz respeito aos animais, eles podem ficar no circo, enquanto eles não são usados em atos ou nas atividades acima. Se necessário, eles podem se transferidos para santuários e / ou reservas. 

"Isso mostra que se orgulhar de ser ensinados sobre os animais e a vida selvagem às crianças e à comunidade em geral, mas tudo o que eles ensinam é a forma de maltratar, humilhar e submeter", disse o vice-PRI Karla Valeria Gomez Blancas, desenvolvedor da iniciativa. 

Estas alterações entrarão em vigor em um ano, o suficiente para circos modificar suas apresentações e tomar uma decisão sobre o futuro das vezes os animais: se mantidos como animais de estimação ou dado a qualquer organização a ter uma vida mais digna. Esta é uma grande notícia para os direitos dos animais, animais de circo e para todo o país. 

Demonstrar o progresso social no sentido de respeito à natureza, vida selvagem. 

Definitivamente um exemplo para todo o país e no mundo todo. 

Cidade do México é o oitavo país a ter circos entidade sem animais, depois de Colima, Guerrero, Morelos, Guerrero, Yucatán, Chiapas e Zacatecas.

Fonte: Veoverde

quinta-feira, 19 de junho de 2014

KIZAMBE ABRE INSCRIÇÕES PARA SUAS OFICINAS DE MÚSICA


GEOTRILHAS/RN REALIZA ENTREGA DE DONATIVOS AOS DESABRIGADOS PELAS CHUVAS EM NATAL


Numa campanha que envolveu seus associados e o Grupo Escoteiro do Mar Artífices Náuticos em favor das vítimas atingidas pelas chuvas em Natal, o Geotrilhas/RN conseguiu arrecadar uma ótima quantidade de donativos, dentre os quais, material de higiene pessoal, descartáveis, água mineral e roupas que ajudarão a amenizar o sofrimento das 100 famílias que perderam tudo nas últimas chuvas na capital.

A entrega ocorreu na noite da última terça-feira (17/06), na Escola Municipal Santos Reis. Local que está servindo de abrigo para as famílias.

O Geotrilhas/RN agradece a imensa solidariedade presente entre seus associados, que estiveram pronto para ajudar os nossos irmãos natalenses. Demostrando assim, que também trilhamos a solidariedade. 

Parabéns família Geotrilhas/RN.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

96 CLÁSSICOS DE HARVARD TOTALMENTE GRATUITOS

Imagem: Wikimida 
Os Clássicos de Harvard, originalmente conhecidos como “Dr. Eliot’s Five Foot Shelf“, fazem parte de uma antologia de 51 volumes de obras clássicas da literatura mundial compiladas e editadas pelo então presidente da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Dr. Charles W. Eliot e publicada pela primeira vez no ano de 1909. 

O então presidente da universidade afirmou diversas vezes em discursos que os principais elementos de uma educação liberal podiam ser alcançados gastando 15 minutos diários de leitura em uma coleção de livros que poderia caber em uma prateleira de um metro. Dessa maneira, a editora P. F. Collier and Son viu uma oportunidade e desafiou o reitor a realizar o que propunha em suas afirmações selecionando uma coletânea de obras. 

Desse desafio nasceu a coleção “Clássicos de Harvard”. Eliot trabalhou durante um ano e, determinado a incluir o maior número possível de obras, trabalhou em conjunto com William A. Neilson, professor de inglês da universidade, para selecionar edições específicas e incluir notas introdutórias. 

Cada volume possuía entre 400 e 450 páginas ou mais, além de textos considerados “legados escritos do mundo”. Baixe grátis 96 obras selecionadas pelo Dr. Eliot para os “Clássicos de Harvard 


segunda-feira, 16 de junho de 2014

DICAS PARA PRESERVAR O PLANETA


Salvar o planeta não requer ações heróicas intensas, mas uma maior consciência em cada pequeno passo que damos em nossas vidas diárias. É necessário que cada indivíduo seja uma parte essencial da sua missão, que é tão importante quanto salvar nossas próprias vidas. Oferecemos aqui algumas dicas simples que irá ajudá-lo a colocar a sua vida na "onda verde" e assim contribuir com a sua parte para a proteção e preservação do nosso precioso planeta. 

Economize Água - Tomar medidas para economizar água. 

Não deixe a torneira aberta ao lavar os pratos, escovar os dentes ou lavar o carro, tomar banhos mais curtos e regar o jardim à noite para evitar a evaporação. 
Evite comprar água engarrafada com resíduos de embalagem que  prejudiquem o nosso planeta. 

Resíduos, produtos químicos e óleos 

Não descarte óleos, medicamentos ou produtos químicos pelo ralo, pois podem poluir  os rios e praias, prejudicando a vida marinha. 

Use sempre produtos naturais. 

Utilize pesticidas caseiros para o controle de pragas em vez de depender de produtos químicos tóxicos para a saúde. 

Mais uma vez, reciclar Reduzir Reduza o consumo, economizar dinheiro e reduzir o desperdício. 

Quando puder, reutilizar ou dar qualquer coisa que ainda tenha utilidade, como roupas, livros, jogos, móveis e eletrônicos. 

Prefira produtos orgânicos, porque eles são produzidos por métodos naturais. 

Crie um programa de reciclagem no seu bairro, vila ou cidade e reciclagem de lixo, vidro, alumínio, plástico, papel e papelão. 

Se possível, evite o excesso de embalagens e sacos de plástico e produtos de embalagens não recicláveis. 

Espalhe a voz da onda verde e entre na onda verde. 

Você espalhar a palavra para proteger o meio ambiente e parar o aquecimento global. 

Compartilhe esta informação com os seus familiares, amigos e colegas de trabalho. 

Investigar, participar de grupos ambientais e faz parte da linha que mais lhe interesse. 

Mudanças Climáticas Carros 

Os carros têm grande impacto sobre a mudança climática, então não escolha um carro de alto consumo. A qualquer momento você pode caminhar, usar o transporte público ou coordenada para compartilhar seu carro com outras pessoas. Mantenha os pneus do carro inflado e verificar o filtro de ar a cada mês. 

Economize energia. 

Substitui a maioria das lâmpadas fluorescentes tradicionais. Fluorescentes consomem menos energia do que os tradicionais e duram mais. Compre aparelhos eficazes, que utilizam entre 2 a 10 vezes menos energia.

domingo, 15 de junho de 2014

GEOTRILHAS/RN E GEMAN CONVOCAM POPULAÇÃO PARA AJUDAR OS ATINGIDOS PELAS CHUVAS EM NATAL

Imagem: Redes sociais
A capital potiguar já vem sofrendo por 72 horas de intensas chuvas, com um volume que já ultrapassa os 270 mm de água. 

O Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte já disponibilizou 40 homens que estão mobiliados nas áreas de riscos, que compreende os bairros mais ricos, como os mais necessitados. 

Através do seu twitter oficial, o Corpo de Bombeiros do RN clama a população para participar da campanha de doações, em prol dos atingidos com as últimas chuvas em Natal. “A Defesa Civil está recebendo doações na Escola Municipal Santos Reis próximo ao Mercado do Peixe. Quem puder ajudar: 8865-5083. 

Doações necessárias: alimentos, colchonetes ou colchões, fraldas e descartáveis (pratos, copos e talheres). Mais informações: 8865-5083”, diz o comunicado. 

 O Geotrilhas/RN e o Grupo Escoteiro do Mar Artífices Náuticos estão nesta campanha em favor dos desabrigados de Natal. Que quiser fazer a sua doação é só entrar em contato pelos números 8857-4282 e 9159-5269 (Lázaro) ou 8828-9339 (Maria Soares) e marcar o horário da doação que recolheremos onde o doador achar por conveniência. 
Natal precisa de você!

sábado, 14 de junho de 2014

GEMAN 64º/RN COMEMORA 10 ANOS DE FUNDAÇÃO








Foi comemorado no último dia 07 de junho o aniversário de 10 nos do grupo Escoteiro do Mar Artífices Náuticos - GEMAN64º/RN.

O evento que reuniu mais 300 convidados ocorreu nas dependências da base Naval de Natal, reunindo pais, dirigentes, membros do grupo, integrantes do movimento escoteiro do Rio Grande do Norte, autoridades e militares da Marinha do Brasil e Exército Brasileiro e demais convidados. 

Em alusão a data foi lançado o livro escrito pelo chefe Julinho intitulado de "Memórias do Cabo Julinho" e o homologação do record brasileiro de maior quadro de nós e voltas. Numa parceria entre o grupo escoteiro e a Marinha do Brasil. 

A cerimônia contou ainda com a premiação com títulos e medalhas aos membros do grupo, pais e demais colaboradores.

terça-feira, 10 de junho de 2014

GEOTRILHAS/RN LANÇA PROJETO VOLTADO PARA LEITURA

Entrega do livro "O Caçador de Pipas" ao guia Tarcísio Sales de Cuité/PB
Foi lançado no último dia 1º de junho mais uma grande iniciativa do Geotrilhas/RN.


O projeto intitulado "Na Trilha da Leitura" teve o município de Santa Cruz/RN como a primeira sede do projeto, que visa incentivar a leitura de livros por meio da distribuição de obras literárias durante às atividades do grupo nos municípios sedes.

O objetivo do projeto é fazer com que os livros deixados pelos geotrilheiros sejam encontrados e, por meio da interação com as pessoas que os acharam, elaborar um mapa constando a localização e o número de leitores da cada obra.


Em Santa Cruz foram deixados dois livros, sendo o primeiro "O Caçador de Pipas" de Khlaled Hosseini, que será destinado ao município de Cuité/PB, cujo o representante Tarcísio Sales, presente no evento de lançamento do projeto, será o encarregado de "perder" o livro.

E a obra Já na cidade da padroeira Santa Rita de Cássia a obra disponibilizada foi " Frei Galvão: A história do primeiro santo brasileiro" de Marleine Cohen, sendo deixada no santuário de Santa Rita de Cássia.

SE VOCÊ ACHOU UM DESTES LIVROS COM O CARIMBO DO PROJETO "NA TRILHA DA LEITURA", POR FAVOR ENVIE O SEU SELFIE DO MOMENTO DO ACHADO DO LIVRO. 

AJUDE-NOS A MONTAR O MAPA DA LEITURA NO BRASIL.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

COMITÊ LANÇA CAMPANHA PARA REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Imagem: Wikipédia
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco divulgou ontem (28) a campanha “Eu viro carranca pra defender o Velho Chico”, que estabelece o dia 3 de junho como o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, como o rio é chamado pelos ribeirinhos. Nessa data, várias mobilizações devem ocorrer em toda a extensão da bacia, com o objetivo de alertar a população sobre a importância de revitalizar o rio.

O anúncio à imprensa foi feito pelo presidente do comitê, Anivaldo Miranda, que destacou a importância histórica e cultural do rio. “É a primeira grande via da implantação da civilização brasileira. Por isso é chamado de o rio da integração nacional. 

A Bacia do São Francisco é uma síntese do Brasil e todas as suas regiões e povos”. Miranda falou ainda sobre a forte estiagem que atinge o Velho Chico, a pior em 50 anos, e sobre a vulnerabilidade do rio. “O Brasil é um país privilegiado em termos de recursos hídricos, mas isso não quer dizer que essa água se distribua de maneira igualitária. 

É como a natureza trabalha. Enquanto a Região Norte tem praticamente 65% dessa disponibilidade, no Nordeste temos apenas 3%. Há essa disparidade e, nesse contexto, o São Francisco é determinante e está sob enorme pressão de demandas para usos múltiplos”. 

Além da geração de energia, o rio é usado para irrigação, pesca artesanal, turismo, navegação, consumo humano, entre outros. “E os usos são conflitantes, então há a necessidade de um planejamento rigoroso e uma concertação de interesses para se antecipar aos conflitos pelo uso da água”, disse Anivaldo Miranda. 

O Comitê do São Francisco pede a sua inclusão na nova versão do Conselho Gestor da Revitalização. Para o grupo, um projeto real de revitalização é a única forma de barrar a degradação e melhorar a gestão dos recursos hídricos em projetos futuros. 

O Programa de Revitalização da Bacia do Rio São Francisco foi criado em 2004, no âmbito do Ministério do Meio Ambiente, em parceria com 14 ministérios, entre eles o da Integração Nacional. Estão previstas para o dia 3 de junho ações como uma barqueata (cortejo de barcos) ecológica na cidade de Três Marias (MG); caminhadas, plantios de mudas e palestras sobre educação para as águas nos municípios de Bom Jesus da Lapa (BA), Juazeiro (BA) e Petrolina (PE); além de peixamento (colocação de alevinos) à beira do rio e doação simbólica de água ao Velho Chico, em Penedo (AL).

Fonte: Ecodebate

terça-feira, 3 de junho de 2014

LAJES/RN PROMOVE AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE A BARRAGEM DO ALIVIO


II ENCONTRO REGIONAL DE ECOLOGIA DA UFPB


PROGRAMAÇÃO



SEMINÁRIO TURISMO RELIGIOSO & HOSPITALIDADE DE NEGÓCIOS


SUÉCIA MIRA BRASIL PARA DESAFIO GLOBAL DE INOVAÇÃO


A Embaixada da Suécia, o Swedish Institute e o Munktell Science Park convocam brasileiros a participarem do Smart Living Challenge, desafio mundial que tem por objetivo reunir as melhores ideias com potencial para tornar a vida nas cidades mais sustentável. 

As categorias da competição são Alimentação, Transporte e Moradia. Esses três grandes temas foram escolhidos por carregarem consigo os principais desafios relacionados à vida contemporânea. 

No século XXI, pela primeira vez na História, a população nas cidades superou a do campo, tornando as questões da moradia e transporte estratégicas, principalmente nas grandes metrópoles. 

Na questão da alimentação, a produção global de alimentos requer grandes quantidades de energia, causando impacto na sua cadeia de produção e afetando o meio ambiente. 

Com esse cenário em mente, as ideias para o Smart Living Challenge podem ser produtos, serviços ou soluções que facilitarão esses três âmbitos da vida das pessoas, as incentivando a viver de forma mais sustentável. 

Os interessados deverão submeter suas ideais em forma de vídeo no site www.smartlivingchallenge.com

O desafio é global e candidatos de todo o mundo podem participar. Um júri formado por profissionais como arquitetos, empreendedores, designers, entre outros, julgarão os 15 melhores trabalhos submetidos no mundo. 

Os vencedores serão levados à Suécia em dezembro, durante a semana de entrega dos prêmios Nobel, e visitarão centros de inovação em Estocolmo, Gotenburgo, Malmö e Kiruna. Durante a viagem, se encontrarão com investidores que poderão bancar suas ideias e torná-las realidade.

Fonte: Econexos

segunda-feira, 2 de junho de 2014

AVANÇO NO AGRONEGÓCIO FAZ SUICÍDIO ENTRE INDÍGENAS SER MAIOR EM 28 ANOS

Imagem: O Abelhudo
No dia 3 de abril, quando amanheceu em uma aldeia Guarani-Kaiowá, localizada no sul do estado de Mato Grosso do Sul, a mãe de três filhos abriu a porta de casa e paralisou ao ver o corpo frágil de sua menina mais nova suspenso pelo lençol, amarrado à árvore por um nó que parecia firme. 

No dia anterior, a garota havia completado 13 anos. “A mãe disse que ela chegou da escola muito triste e reclamando de dores na cabeça”, conta Otoniel, liderança Guarani-Kaiowá. “Depois que todos foram dormir ela amarrou o lençol na árvore e se matou. 

Um primo dela de 12 anos tinha se enforcado uma semana antes. E uns dias depois que ela morreu outro adolescente, de 16 anos, também se suicidou na mesma aldeia. Fui até lá para saber o que estava acontecendo”. Os três enforcamentos em menos de duas semanas fazem parte de uma estatística que no ano de 2013 ganhou contornos históricos. 

Foram contabilizados 73 casos de suicídios entre os indígenas de Mato Grosso do Sul. De acordo com registros do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), é o maior número em 28 anos. Os dados, apurados pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI/MS), constam no Relatório de Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil, a ser divulgado pelo Cimi em junho. Dos 73 indígenas mortos, 72 eram do povo Guarani-Kaiowá, a maioria com idade entre 15 e 30 anos. Otoniel acredita que o motivo de tantos jovens cometerem suicídio é a falta de perspectiva. “Não têm futuro, não têm respeito, não têm trabalho e nem terra pra plantar e viver. Escolhem morrer porque na verdade já estão mortos por dentro”. 

O procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida, do Ministério Público Federal (MPF) em Dourados (MS), explica que as oportunidades de trabalho para os indígenas são praticamente restritas a atividades subalternas degradantes, como o corte da cana-de-açúcar. “Temos escolas indígenas, mas o modelo educacional não foi construído para a comunidade, existe apenas uma ‘casca indígena’, que não contempla a inserção do jovem no processo produtivo”, completa. “A discriminação e o ódio étnico, condutas incentivadas inclusive pelos meios de comunicação, acentuam sobremaneira o problema dos suicídios. 

Os indígenas são pintados como entraves, empecilhos, obstáculos ao desenvolvimento. 

É como se a mídia passasse a mensagem ‘Se você quer ficar bem, tire o índio do seu caminho’, ressalta o procurador. 13 anos, 684 suicídios No período de 1986 a 1997, foram registradas 244 mortes por suicídio entre os Guarani-Kaiowá de MS, número que praticamente triplicou na última década. 

De 2000 a 2013 foram 684 casos. “As atuais condições de vida desses indígenas, que desembocam em estatísticas assombrosas de violência, têm origem num processo histórico”, explica Marco Antonio Delfino. “O que aconteceu foi uma transferência brutal, por parte da União, de territórios indígenas para não índios”. 

A transferência se deu, principalmente, pelo então Serviço de Proteção ao Índio (SPI) que demarcou, entre 1915 e 1928, oito pequenas reservas no sul do estado para onde diferentes povos indígenas foram obrigados a migrar. “As reservas demarcadas serviam como um depósito gigantesco de mão de obra a ser utilizada conforme os interesses econômicos. 

Todo o processo de confinamento indígena teve como finalidade sua utilização como mão de obra para os projetos agrícolas implantados no país, desde a cultura da erva-mate até recentemente, com a cana-de-açúcar”, completa o procurador. 

O confinamento compulsório, com a sobreposição de aldeias distintas e de dinâmicas político-religiosas peculiares, acirrou o conflito dentro das reservas, alterando profundamente as formas de organização social, econômica e cultural dos indígenas, o que resultou em índices alarmantes de superpopulação, miséria e violência nestes espaços. 

Definida pela vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, como “a maior tragédia conhecida na questão indígena em todo o mundo”, a Reserva Indígena de Dourados é um dos exemplos mais contundentes desse processo histórico. Encravada no perímetro urbano do município, na Reserva vivem hoje mais de 13 mil indígenas em 3,6 hectares de terra. 

É a maior densidade populacional entre todas as comunidades tradicionais do país, e onde aconteceram 18 dos 73 casos de suicídio no estado em 2013. “Hoje enfrentamos uma carência extremamente aguda de políticas públicas. 

Desde 2009 existem discussões para implantar um Centro de Atenção Psicossocial Indígena em Durados mas, por enquanto, não foi adotada nenhuma medida concreta para sua construção”, diz Marco Antonio Delfino. “A impressão que se tem é que as pessoas perderam o controle sobre o monstro que criaram, que são essas reservas. 

Então, fica nesse jogo de empurra-empurra, sempre com soluções paliativas. Precisamos reconhecer e reparar os erros cometidos para que existam soluções efetivas. O primeiro passo é demarcar os territórios usurpados dos indígenas”, conclui o procurador. Por Carolina Fasolo.

Fonte: MST