quarta-feira, 31 de outubro de 2012

TRILHA DA REFORMA AGRÁRIA - ESPÍRITO SANTO/RN




Localizada na Mesorregião Leste Potiguar, o município de Espírito Santo está distante 69 Km da capital Natal, possuindo um clima de tipo Tropical Chuvoso. 

Seu revelo é considerado baixo, tendo a sede do município uma altura aproximada de 44 metros em relação ao nível do mar. Ainda em relação ao revelo, podemos encontrar características típicas da Depressão sub-litorânea, das Planícies Fluviais e dos Tabuleiros Costeiros, com grande presença na região. 

Quanto à vegetação de Espírito Santo, é composta de basicamente pela Caatinga Hiperxerófila (jurema-preta, mufumbo, faveleiro, marmeleiro, xique-xique e facheiro). Já a hidrografia do município esta inserida na Bacia do rio Trairi, tendo os como principais mananciais os rios Jacu, Ararai e Catu; os riachos da Várzea, do Sal, da Uma, Jundiá, Barbatinga, Barroca, Umbu, das Pedras e Pequiri e as lagoas da Porta, Genipapo e Carnaúba.  

Dentro do território de Espírito Santo esta localizada a Área de Proteção Ambietal Piquiri-Una, possuindi uma área de 12.019,668 ha.

A história de Espírito Santo teve inicio em 1877, quando foi fundado um pequeno povoado as margens do rio Jacu com o nome de Canabrava. Este povoado ainda pertencente a Goianinha seria mais tarde passado a categoria de distrito, denominado de Cruz do Espírito Santo, passando para administração de Várzea em 1953. Só em 1962, o município é emancipado, passando a compor o quadro político do Estado.

GEOTRILHAS/RN EM ESPÍRITO SANTO

 
A trilha da Reforma Agrária ocorreu no dia 02 de setembro e contou com a participação de 14 geotrilheiros. Por volta das 08h:30 o grupo chegou até a praça matriz de Espírito Santo, onde foi feito o primeiro registro da nossa visita em frente a Igreja Matriz. Logo em seguida, o grupo seguiu para um rápido café no centro comercial da cidade, antes de encontrarmos o nosso guia Chicão, que infelizmente não pode nos acompanhar. Em seu lugar, a assentada Patrícia assumiu as funções de guia do grupo, levando-nos para conhecer os dois assentamento que seriam visitados. Seguindo para a zona rural do município, chegamos até o Assentamento Mata Verde, onde fomos recebidos pelo assentado Elias, que faria a condução do grupo pela APA Piquiri-Una, em busca da famosa gameleira centenária, que possui cerca de 10 altura e um diâmetro que é necessário 12 pessoas para abraçá-la.

Percorrendo cerca de 3 km por um estradão, chegamos a entrada da reserva, onde em seguida entramos mato adentro por veredas muito fechadas repletas espécies de plantas conhecida como tiririca e taboca. Essas plantas possuem uma folha bastante afiada, que facilmente corta a pele humana.

Em busca de uma melhor passagem para encontramos a tão falada gameleira, ficamos boa parte da manhã circulando por dentro da APA, mas não conseguimos encontrar um melhor caminho para chegar ao nosso objetivo. Segundo Elias,  a falta de comunicação dos parceiros locais com a assentamento, fez com que a nossa chegada a gameleira fosse possível, devido a não abertura de “picada” nas trilhas da APA. 

Dessa maneira, o grupo decidiu abortar a missão, e retornar para o assentamento. Porém, por um outro percurso misto de tabuleiro e mata com nascente, repleto de bromélias. A vegetação em nossa volta nos chamava a atenção devido ao porte das arvores e dos mandacarus que encontramos pelo caminho. Após uma caminhada de mais 4 Km em mata fechada, saímos por trás de um roçado de batata, de onde seguimos para o assentamento. Chegando ao local, o grupo promoveu uma ação social com a distribuição de kits escolares e de higiene bucal, que contribuiu para alegria das crianças do assentamento.

Terminada a nossa visita ao Assentamento Mata Verde seguimos para o Assentamento Timbó, onde fomos conhecer a cachoeira do Sabiá a única cachoeira da região Agreste que possui água perene. Percorrendo uma pequena trilha, passamos por uma área de dendês e uma pequena mata fechada até chegar ao local da cachoeira. No lugar, uma queda d’água com cerca de 8 metros jorrava uma água cristalina que refrescou os geotrilheiros após a dura caminhada pela mata. 


Retornando para a cidade, o grupo se reuniu no restaurante J.J. para almoçar e para prestamos uma homenagem ao aniversariante do dia, o geotrilheiro Pedro Júnior que ficava uma trilha mais velho. Com uma festa de aniversário com direito a chapéu e língua de sogra, mamãe Lala expressou o seu sentimento materno ao falar do filho que trás tanto orgulho. Com o primeiro pedaço de bolo entregue a mãe, o aniversario do Pedro Júnior continuou até o entardecer, quando retornamos para Natal, finalizando as atividades programadas para o dia.


Raio-X

Nível de Dificuldade – Leve
Localização da Trilha – Bom
Disponibilidade de Socorro Médico – Bom
Apoio Logístico - Bom

Recomendações necessárias para trilhar

- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;
- Utilizar bastante protetor solar;
- Levar cantil com bastante água;
- Levar repelente contra insetos;
- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;
- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores;
- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;
- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor;
- Levar kit de primeiros socorros.

Onde Comer 
Bar e Restaurante J.J.

Fone: (84) 9158-2728

Contatos para realização de trilha
Patrícia
Fone: (84) 9162-5378

Realização

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário