sábado, 7 de abril de 2012

DESAFIO DO CARTEIRO - MARTINS / PORTALEGRE - RN


Grupo reunido para o início do Desafio do Carteiro
A viagem a Região do Alto Oeste Potiguar ocorreu no último dia 31 de março, onde o grupo partiu do município de Parnamirim em três veículos rumo à reta Tabajara em Macaíba, seguindo pela BR-226 com destino ao Trairi e Seridó, com uma rápida parada para tomar café da manhã em Tangará. Ao chegarmos ao município de Currais Novos  pegamos a estrada de Florânia para subirmos, e ao mesmo tempo contemplarmos a beleza da serra de Santana, até atingirmos o município de Triunfo Potiguar. 

Já na Região do Médio Oeste. Passamos pelos municípios de Campo Grande, Caraúbas, Olho d’água dos Borges, Umarizal, para finalmente chegarmos por volta das 12h:00 ao inicio da linda subida da serra da  “Princesa Serrana”, como é mais conhecida a cidade de Martins. Chegando a sede do município, o grupo seguiu direto para o Restaurante da Pousada Martinense, onde o delicioso almoço já nos aguardava. Instantes depois do início, a nossa companheira campinense Zeneide Leal, chegava advinda de Campina Grande para se juntar ao restante dos geotrilheiros. Finalizado o almoço, seguimos para a Pousada Martinense (Anexo de dormitórios), onde fomos recepcionados pela simpatica proprietária Dona Socorro, que com o carinho e dedicação de sempre, acomodou muito bem o grupo nos quartos da pousada. Neste momento, o grupo numa rápida cerimônia, repassou para as mãos de Dona Socorro, o Prêmio de Melhor Restaurante do ano de 2010 concedido em votação pelo grupo, devido a visita realizada em janeiro deste ano. 

Grupo reunido ao lado de Dona Socorro
Momentos depois, o grupo se reuniu na pousada com o guia Darildo Santos, que veio dá os primeiros encaminhamentos sobre a trilha que viria a ser realizada na manhã seguinte. Numa conversa bem descontraída, o guia levantou os pontos mais importantes do Desafio do Carteiro. Uma trilha que viria a exigir um bom esforço físico entre os participantes. Ao término da reunião, o grupo concedeu a Darildo, um certificado de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados ao grupo, desde a  primeira visita em 2010, quando após o grupo ter contratado antecipadamente os serviços de um outro guia local no município, foi extorquido por mais dinheiro no momento da chegada a Martins. O que obrigou a direção do Geotrilhas/RN a cancelar o serviço contratado, ficando o grupo ao “Deus dará” até encontrarmos o competente, e acima de tudo, o profissional Darildo, que logo se prontificou em fazer o guiamento pelo preço justo. 

O competente guia Darildo
O reconhecimento também veio pela dedicação que o Darildo teve em fazer com que fosse possível a realização do Desafio do Carteiro, pois a trilha de que parte de Martins até a comunidade da Forquilha, estava totalmente fechada devido falta de circulação de pessoas no local. Valeu ressaltar que a direção do Grupo Geotrilhas/RN entrou em contato com a Secretaria Municipal de Obras de Martins para que fosse aberto uma pequena “fenda” na trilha que possibilitasse a passagem do grupo, porém foi alegado falta de verba para a execução do serviço. Sabendo do ocorrido, o guia Darildo mobilizou alguns trabalhadores rurais, que moram nas proximidades da trilha para fazerem o serviço, o qual foi pago pelo Grupo Geotrilhas/RN, para só assim se possível a realização do evento. 

Neste momento, vale tercemos alguns comentários de forma construtiva a gestora  do municípios e seus auxiliares. Como uma cidade que é considerada um dos maiores pólos de atração turística do Rio Grande do Norte, não dispõe de R$ 120,00 (cento e vinte reais) para pagar uma “empeleitada” que trouxe um retorno muito maior em termos econômicos para o município. Já que o grupo formado por catorze pessoas  consumiu produtos em bares, supermercados, posto de combustível, além de serviços como hospedagem, alimentação, translado, lazer e até mesmo os serviços de doceria contratado no município para a comemoração dos três anos de aniversário do projeto Geotrilhas/RN, que foi realizado no Mirante do Canto na noite de sábado. Realmente, esse não foi o presente que estávamos esperando. Porém, agradecemos a persistência do guia Darildo e da compreensão do gerente da fazenda Seu Assis, que gentilmente autorizou o serviço de roçargem do mato. 

Grupo no Mirante da Carranca
Voltando ao foco de nossa visita, o grupo fez um rápido passeio ao centro da cidade, de onde partiu para o Mirante da Carranca, em que foi possível contemplarmos o entardecer da serra com um gostoso bate papo na companhia dos amigos. Regressamos para a pousada, onde o grupo se preparou para o aniversário do grupo, que viria a ser realizado no outro famoso mirante de Martins. 

Chegando ao Mirante do Canto, o grupo se reuniu em volta de uma mesa de frente para as luzes das cidades vizinha de Martins, que brilhavam abaixo da serra. Durante o jantar, o grupo deliberou alguns assuntos pertinentes a avaliação ao ano passado, e as perspectivas para o exercício 2012, tendo como foco a Expedição Geotrilhas/RN na Estrada Real, que será realizada no mês de novembro em Minas Gerais. 

Após as deliberações, houve a contemplação dos vencedores do Prêmio Momento Adocica, realizado pelo projeto no ano passado, que fez uma homenagem ao grande cantor Beto Barbosa com performance dos geotrilheiros durante as trilhas do ano passado, em total irreverência. Foram premiados com o certificado os geotrilheiros Davi Lima, Jefferson Arruda, Pedro Júnior e Thiago Jonatas. Os vencedores ainda receberam um CD do Beto Barbosa, que foram gentilmente enviados pelo próprio cantor ao projeto. 

Ainda houve a entrega dos primeiros títulos de associados aos geotrilheiros, depois da regulamentação do Estatuto do grupo ocorrida no início deste ano. Para finalizar os estejos de aniversário, foi cantado os parabéns ao grupo e num clima de confraternização todos abençoaram a continuação do grupo que se transformou na família Geotrilhas/RN, unidos pelo prazer do Ecoturismo e regidos pelo espírito da solidariedade, promovendo a economia solidaria e o assistencialismo social nos municípios visitados. O primeiro dia foi encerrado na Pousada Martinense por volta das 23h:00, quando o grupo se recolheu.

Grupo seguindo para o local de início da trilha
O segundo dia começou bem cedo para os geotrilheiros, em que já por volta das 06h:30 o delicioso café da manhã da Pousada Martinense já estava a mesa nos aguardando. Com um bife bem variado, o grupo se alimentou para suportar os 14Km de caminhada entre as serras de Martins e Portalegre. 

As 07h:30, Seu Dinarte chegou no pau-de-arara para levar o grupo até o ponto de início da trilha. Após alongarmos, iniciamos a caminhada, passando pela residência dos trabalhados rurais que executaram o serviço de abertura da trilha. O grupo agradeceu pelo empenho dos mesmos, que se não fossem eles, a atividade estaria comprometida. Partimos passando por uma área de roçado envolvida por muito verde, onde se destacava o plantio de milho, feijão, mandioca e batata para subsistência, além de cajueiros. 

Trilha fechada
Depois de meia hora, finalmente chegamos a área de mata, onde ocorreu o serviço de roçargem. Adentramos ao mato, por meio de urtigas e malícias, por um terreno bastante irregular serra abaixo, sujeito a torções caso o trilheiro não tenha cuidado onde pisa. Descemos tendo o canto dos pássaros sendo a nossa trilha sonora, e a fantástica visão da serra de Portalegre a nossa frente. Pelo percurso, é possível notarmos que existe vários riachos secos, que na época da chuva devem enriquecer mais ainda a beleza do lugar. 

Chegada na Forquilha
Passadas duas horas de descida da serra, chegamos ao vale onde contado por um rio, que ainda pegava as primeiras águas da chuvas. O local conhecido como Forquilha, delimita a metade do velho percurso feito pelos carteiros que levavam as correspondências entre os dois município. Chegamos a uma pequena casa, onde aproveitamos a sobra de uma cajarana para descansar. Fomos recebidos pelos moradores, que nos forneceu água para  continuarmos. 

Enquanto abastecíamos os cantis e hidrabacks com a saborosa água de pote, os moradores contavam e mostravam as fotos em seus celulares das caças existentes na região, como veados, tamanduás, preás, tatu e as perigosas cobras cascavéis. Esta última, o morador nos mostrou uma foto de uma cascavel com vinte guizo na calda, o que corresponde a vinte troca de peles na serpete no decorrer de sua vida. 

Vista da serra de Martins
Seguimos adiante, já iniciando a subida da serra de Portalegre, tivemos um problema de torção de tornozelos por parte de uma companheira, que logo foi atendida pelo geotrilheiro socorrista Daniel Câmara. Restabelecidos do contratempo, seguimos mais adiante tendo atrás de nós a beleza da serra de Martins, quando agora temos um principio de mal está no grupo, após uma companheira reclama de palpitações excessivas no coração. 

Rapidamente a equipe de saúde se posiciona, para tomar os devidos cuidados, monitorando todos os passos naquele momento em diante, até a chegada em Portalegre. Neste momento, o grupo foi dividido em dois, em que parte seguiu com Darildo e uma pequena parcela ficou na remoção da paciente. 

Chegada em Portalegre
Com intervalos reduzidos de paradas, após duas horas da chegada do primeiro grupo ao local de embarque, chegamos acompanhando a companheira. Segundo avaliação da equipe de saúde do projeto, as causas da alteração estão ligadas a falta de exercício da geotrilheira, que não se preparou corretamente para a desgastante trilha. Ao final, entre mortos e feridos, todos se salvaram. 

Ação social em Portalegre
Já no transporte de Seu Dinarte, seguimos para a praça central de Portalegre, onde o guia que prestou serviço ao grupo em 2010, o Neto, nos aguardava para fazermos a doação de várias gulosemas que serão destinadas ao trabalho de evangelização da Assembléia de Deus de Portalegre as crianças de uma comunidade quilombola no município. Nos despedirmos do Neto e seguimos para a cachoeira do Pinga, onde o grupo se refrescou nas águas geladas antes de partir para Martins. 


Cachoeira do Pinga
Chegamos na cidade por volta das 15h:00, onde realizamos o almoço no Restaurante da Pousada Martinense, e repassamos os prêmios de Melhor Museu de 2010 e Melhor Centro Histórico do mesmo ano, para as mãos de Darildo, que se comprometeu em repassar ao Museu Histórico de Martins, que na oportunidade se encontrava fechado e a prefeitura da cidade na segunda-feira respectivamente. 

Em seguida, subirmos para os quartos e nos organizarmos para a viagem de volta. As 17h:00, após de nos despedimos de todos os nossos colaboradores, partimos de volta para Natal, onde chegamos às 23h:00.  

Raio-X

Nível de Dificuldade – Alto
Localização da Trilha – Bom
Disponibilidade de Socorro Médico – Regular
Apoio Logístico - Bom
Recomendações necessárias para trilhar
- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;
- Utilizar bastante protetor solar;
- Levar cantil com bastante água;
- Levar repelente contra insetos;
- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;
- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores;
- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;
- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor;
- Levar na mochila apenas o necessário.

Onder Comer
Restaurante da Pousada Martinense
Fone: (84) 3391-2424

Onde Ficar
Pousada Martinense
Fone: (84) 3391-2424

Contatos para realização de trilha
Darildo Santos
Fone: (84) 8838 – 6371 ou 9968 - 0254

Apoio


Um comentário:

  1. ADOREI OS COMENTÁRIOS!!! ASS.; DANIEL CÂMARA

    ResponderExcluir