terça-feira, 3 de agosto de 2010

GEOTRILHAS/RN MARCA PRESENÇA NO PASSEIO ECOLÓGICO À SERRA BONITA


 A geotrilheira Rita de Cássia participou como convidada das instituições de ensino

Início da trilha
No dia 17 de julho de 2010, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Américo de Medeiros e a Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Mariana Nóbrega de Sousa, localizadas na Fazenda Flores, município de São José de Espinharas – PB, realizaram, a exemplo de alguns anos, um passeio ecológico à Serra Bonita, localizada no mesmo município de São José de Espinharas. O passeio teve como objetivo observar como está sendo tratada a fauna e flora local, já que a serra é visitada, frequentemente, por muitos caçadores que, além de sacrificar os animais nativos da região, agridem diretamente a fauna com queimadas e lixo jogados por vários pontos da serra; informar aos alunos um pouco mais sobre a história local e a importância da preservação e valorização do meio ambiente, mostrando as conseqüências drásticas que as agressões ao meio ambiente provocam e, sem falar de está prestigiando uma paisagem belíssima que a subida proporciona. A serra tem 666 metros de altitude e chegando ao seu topo se tem uma visão maravilhosa a sua volta, que dá orgulho a qualquer pessoa que ali presente.

Vista do alto
Vale ressaltar que a data foi escolhida de propósito, pois dia 17 de julho é comemorado o dia de proteção às florestas e não poderia haver uma ocasião melhor para ser realizado um passeio dessa dimensão. Marcou presença alunos do ensino fundamental e médio, professores e demais funcionários das escolas, além de convidados como moradores locais; o biólogo Eraldo Xavier, que deu uma ótima contribuição ao passeio, passando e discutindo muitas informações pertinentes aos objetivos ali traçados; o graduando em biologia Geovane Nóbrega; o responsável pelo blog de São José de Espinharas, Agnelo, que fez a cobertura do passeio com a finalidade de produzir um documentário educativo e registrar matéria no blog da cidade; e a geotrilheira Rita de Cássia, que foi representando o grupo GEOTRILHAS – RN, além de dar sua contribuição ao passeio, reforçando a importância da preservação e valorização ambiental.

Trilheiros reunidos no final da trilha
Foi um passeio muito produtivo, com a presença de mais de 100 pessoas, o qual teve como organizadores assíduos, os professores Adriano, Anália, Lúcia, Marcelo, Marcos, Romildo, Ronald, Wilma, e a diretora Lenize. A diretora fez as palavras de abertura do passeio e passou algumas informações de segurança aos presentes e o professor de geografia, Adriano, passou algumas informações sobre as condições do terreno, da vegetação e do solo, bem como, aspectos referentes às agressões ambientais.


As escolas estão de parabéns pelo maravilhoso trabalho que desenvolve com seus alunos, contribuindo, assim, para uma conscientização, valorização e preservação dos aspectos naturais da região. Proporcionou momentos maravilhosos, em meio a aventura, aprendizado e contemplação de nossas belezas naturais!

São José de Espinharas – PB

O Município de São José de Espinharas localiza-se no centro do Estado da Paraíba, na Mesorregião do Sertão, na Microrregião de Patos. Dista 332 km de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. O acesso à sede do município, partindo de João Pessoa, dá-se pela BR 230: até Patos (310 km), passando por Campina Grande, Soledade, Juazeirinho, Junco do Seridó e Santa Luzia. Em seguida, deve-se tomar a direção norte, pela Rodovia Estadual PB 275 (22,2 km). O trecho entre Patos e São José de Espinharas é uma "estrada implantada". Outra possibilidade de acesso é pela BR 110. 14 km depois de Patos (na direção Oeste - Pombal), encontra-se o Distrito de Santa Gertrudes e logo após, à direita, deve-se tomar a BR 110 na direção de Serra Negra do Norte e, na altura da Fazenda Flores, entrar à direita numa estrada vicinal que dá acesso à sede do município (11,5 km).

O Município de São José de Espinharas possui clima quente e seco com estações não definidas. O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro. Há secas frequentes, mas o índice pluviométrico médio é de 885 mm/ano (média entre 1962 e 1985), que não pode ser considerado baixo. O grande problema é que as chuvas são bastante irregulares na sua distribuição. Devido à irregularidade das mesmas e às freqüentes secas, a vegetação do município é do tipo Caatinga-Sertão, percebendo-se tendência à desertificação. A temperatura média anual é de 28 graus Celsius. São José situa-se na Bacia do Rio Piranhas, sub-bacia do Rio Espinharas, que, na verdade, é um rio temporário, com possíveis cheias na estação das chuvas.

São José de Espinharas surgira a partir de uma fazenda, a exemplo de muitos municípios do interior do nordeste. Então, sua história passa por algumas fases que vão delineando a sua criação, assim como pode observado a seguir: com a construção da capela São José por Joana Sátyro, a fazenda São José passa de vilarejo a povoado, depois de povoado à Distrito São José. Assim, em 1937, o município de Patos apareceu como sendo composto de quatro distritos: Patos (sede), Cacimba de Areia, Passagem e São José. Em 1943, o distrito de São José passa a chamar-se Mucunã, isso devido a uma Lei Federal que obrigava os lugares a permanecer com seus nomes de origem indígenas, e o distrito de Passagem passou a chamar-se Espinharas.

Em 1949, o distrito de Espinharas volta a denominar-se Passagem e o distrito de Mucunã volta ao nome de São José com o acréscimo de “Espinharas”, em homenagem ao rio do mesmo nome que banha esta região. Deste modo, agregado à fé e a geografia, o lugar passa a chamar-se Distrito de São José de Espinharas. No dia 26 de Dezembro de 1961, foi promulgada a Lei 2.681, criando o Município de São José de Espinharas, cujo território foi desmembrado do Município de Patos. O município teve sua criação graças aos esforços do Deputado José Afonso Gayoso, e foi instalado no dia 30 de Dezembro do mesmo ano (1961). Tendo o Sr. Pedro Marinho da Nóbrega, como prefeito interino. Estava criado e instalado o município do leite, da manteiga, do queijo e do doce de leite.

Um comentário:

  1. Cássia,parabens pelo seu trabalho.Ficou ótimo o que vc escreveu,mas uma vez parabens,do fundo do meu coração,valeu,quem escreveu esse comentário é o subrinho de Júnior.

    ResponderExcluir