domingo, 24 de outubro de 2010

GEOTRILHAS\RN NA CHAPADA DIAMANTINA - 2º DIA

Grupo reunido no mirante no alto da serra. Ao fundo a cidade de Lençóis


O segundo dia da nossa expedição ao Parque Nacional da Chapada Diamantina começou com um reforçado café da manhã na pousada Pouso da Trilha, com uma mesa composta por alguns pratos da culinária baiana, como a banana frita, e o cuscuz de tapioca. Após o café, seguimos direto para a Explore Brasil, onde reecontramos com o Kikiu, que nos apresentou os guias responsáveis pela nossa condução pelo parque, durante a nossa estadia no município.  
Com a condução do grupo ficando sob a responsabilidade dos guias Aécio e Ramiro, seguimos pelo centro da cidade com destino a área de mata por trás do Hotel Lençóis, de onde entramos mata a dentro em busca das belezas da Chapada Diamantina. O primeiro ponto visitado foi o leito do rio Serrano, em que tinha uma bela vista da cidade de Lençóis ao seu fundo. O rio possui várias corredeiras, inclusive algumas subterrâneas, de onde é captada boa parte da água utilizada na cidade. O mesmo rio ainda conserva a tradição das lavadeiras de roupa, que lavam suas roupas no local. Seguimos em frente até chegarmos no salão de areias coloridas, que possui vários tipos de areia de colorações diferentes. No local é possível conhecer alguns pontos de abrigos naturais, formados pela ação da erosão nas rochas.

Depois da seção de fotos, novamente entramos na trilha da mata, e após atravessar novamente o rio Serrano, seguimos para a primeira cachoeira do dia. Ao chegarmos na Cachoeirinha, o grupo se refrescou nas águas geladas e cristalinas que caiam de uma altura de 15 metros de altura. O momento de relaxamento foi garantido pela pequena piscina natural que se formava na sua base. Energias carregadas, formos em busca da segunda cachoeira do percurso. Seguindo uma trilha serra a cima, passando por um local de prática de rapel, íamos em busca da cachoeira da Primavera. No local, uma queda d’água com cerca de 25 metros altura, encravada numa região cercada por paredões, que desembocava num poço com dois metros de profundidade, formado pela queda d’água, num processo que durou milhares de ano. 

Após outro banho, seguimos novamente serra a cima, passando por um trecho de difícil acesso, por causa de sua ingrimidade, e pela vias de exploração de diamantes feitas pelos escravos durante o século XVIII. Mas todo o esforço foi compensado pela magnífica vista para o vale da folha larga, de onde se formava o rio Lençóis, pelo mirante da serra, que dava para a cidade de Lençóis. Retornamos para a cidade, passando mais uma vez pela Cachoeirinha, finalizado na praça central da cidade, de onde combinamos as ações para o período da tarde.

Depois de  termos almoçado no restaurante Comida Caseira, e retornamos para a pousada para relaxar um pouco, retornamos às atividades exatamente às 14h:30, em frente ao Banco do Brasil, de onde reecontramos os nossos para partimos com destino a serra das Paridas. Embarcamos em uma van, e um Fiat Doblô seguindo pela BR que dar destino a Salvador, até chegarmos ao distrito de Taiquinho de Lençóis, onde pegamos mais 20 Km de estrada de terra até chegarmos ao Sítio  das Manguabeiras, local onde esta a Serra das Paridas. 

Serra das Paridas
Chegando lá, nos deparamos com uma impressionante formação geológica, cercada de pinturas rupestres em suas bases. As imagens gravadas na rocha, eram da provenientes da sub-tradição Nordeste, com muitas figuras representando animais, e o dia a dia dos habitantes daquele local. Mas uma figuras nos chamou a atenção em especial. Na rocha havia uma representação de um possível Extra-terrestre, com um disco voado na altura de sua cabeça. Tal registro vem a reforçar os relatos de aparecimento de Ovnis na região da Chapada Diamantina, como relatam alguns moradores de Mucugê. Ainda no Sítio das Manguabeiras, encontramos uma casa de pedra, onde mora o responsável pela manutenção do local, conhecido pelos seus companheiros guias, por Zé Manteiga. Zé possui no quintal de sua casa um ateliê, onde faz várias peças idênticas as figuras rupestres do local. 

Após compramos algumas peças, retornamos para a cidade de Lençóis, onde finalizamos definimos as estratégias para a trilha da cachoeira da Fumaça, que será realizada amanhã, durante o nosso terceiro dia no parque. Finalizamos as atividades do dia, com um jantar na pousada Pouso da Trilha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário