segunda-feira, 25 de outubro de 2010

GEOTRILHAS\RN NA CHAPADA DIAMANTINA - 3º DIA


Grupo reunido no leito do riacho Larginho

A segunda-feira foi bastante movimentada para os membros do GEOTRILHAS\RN, durante o terceiro dia de atividades da Expedição Chapada Diamantina. Com todos bem alimentados com o café da manhã reforçado pelas cozinheiras Val e Lúcia, funcionárias da pousada Pouso da Trilha, seguimos para frente da Explore Brasil, onde os guias e os motoristas já nos aguardavam para seguirmos para o município de Palmeiras, local da próxima aventura.

Percorremos cerca de 30 Km, passando ao lado de outros monumentos naturais da chapada, como morro do Pai Inácio e morro do Camelo. Passamos pelo centro da cidade, e percorremos mais 20 Km por estrada de terra, até chegarmos a base de apoio do Parque Nacional da Chapada, em que o pessoal que trabalha no local, nos explicou da importância da base para a preservação do parque por suas atividades, como manejo, e principalmente pela brigada de incêndio combate os focos de incêndio que venham a aparecer no local. O que nos chamou a atenção, foi que todas as pessoas que trabalham nesta base, são todos voluntários, e que fazem isso por simplesmente por amor pela natureza.


Cachoeira da Fumaça
Após um breve alongamento puxado pelo guia Aércio, fomos encarar os 1.400 metros de altura da serra da Larguinha, a caminho da Cachoeira da Fumaça. Em uma subida com um elevado grau de dificuldade, seguimos por um visual único e belíssimo, tendo os vales do Capão e Ipatir, com suas surpreendentes formações rochosas. As flores e orquídeas, também embelezavam a nossa passagem. O solo úmido acusava que a se fazia pouco tempo que chuvas haviam caído no local, fato comprovado pela quantidade de água nos córregos que vão formar a famosa queda d’água. Atravessamos o riacho Larginho, o último obstáculo até chegar a ao nosso objetivo. Ao escalar a última rocha, encontramos uma paisagem exuberante, tendo a nossa esquerda, a Cachoeira da Fumaça, com seus 340 metros de altura, em que no momento caia de seu cume, uma fina camada de água, que não chegava até o poço que desembocava ao pé da serra, voltando a água por meio do vento, que nos refrescava no alto, ou seja, chovia de baixo para cima com direito a um belo arco-íris. 

Riachinho, ou Cachoeira do Quebra-cabeça
Depois de várias seções de fotos, retornamos para o leito do riacho Larguinho, onde almoçamos alguns lanches rápidos, e nos refrescamos na águas geladas do manancial. Em seguida, caminhamos 50 minutos de volta para a base, onde embarcamos nos carros e seguimos para o Riachinho. O local que também é conhecido como cachoeira do Quebra Cabeça, é uma formação de queda d’água, em que deságua num poço muito bom para o banho, tendo a cachoeira como plano de fundo. A cima do local há uma tradicional roda d’água, que embelezava ainda mais a paisagem. Ao terminarmos o banho rejuvelhecedor, seguimos de volta para Lençóis, já ao cair da noite, em que quando chegamos ao local, traçamos os planos para o roteiro de terça-feira, em que entre as atrações, visitaremos o Poço Azul.

Finalizamos as atividades do terceiro dia, com os jantares da equipe dividindo em um grupo no Centro Histórico, e a outra parte na pousada, recolhendo-se todos após a refeição, para recuperar as energias do desgastante dia de hoje, que foi bastante recompensador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário