quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

TRILHA ECOLÓGICA DE MONTE DAS GAMELEIRAS/RN

FIQUE POR DENTRO DE MONTE DAS GAMELEIRAS/PB
Localizado na Messoregião do Agreste Potiguar e na Microrregião da Borborema Potiguar, o município de Monte das Gameleiras esta distante cerca de 123 Km de Natal. Seu clima é classificado como clima muito quente e semi-árido, onde às medias de temperatura chegam aos 32°C, porém no inverno pode chegar aos 18°C. Isso em virtude do seu relevo que possui 501 metros em relação ao nível do mar e composto pelas serras de São Bento e Macambira que estão compreendidos dentro do Planalto da Borborema.

Ainda em relação ao seu relevo, Monte das Gameleiras possui solos Litólicos Eutróficos com uma fertilidade natural alta, mas em decorrência de muitas rochas, a agricultura é praticada em apenas poucas áreas. Quanto a Geologia do lugar, este é de origem Pré-Cambriana com cerca de 1.100 milhões de anos. Geomoforlogicamente possui formas tabulares de relevos, de topo plano, com diferentes ordens de grandeza e de aprofundamento de drenagem, separados geralmente por vales de fundo plano. Suas principais ocorrências minerais são rochas do tipo gnáissico-migmatítico destinadas a ornamental especialmente e migmatitos utilizado em piso e revestimento; brita e rocha dimensionada utilizada para construção civil.

Já quanto a Hidrografia, o município está inserido no Aquifero Cristalino águas apresentado alto teor de salinidade com restrições para consumo humano e agricultura. Quanto a Hidrologia, pertence à Bacia Hidrográfica do rio Jacu.

A vegetação de Monte das Gameleiras é composta por Caatinga Hipoxerófila, com a presença de espécimes como a catingueira, angico, braúna, juazeiro, marmeleiro, mandacaru, umbuzeiro e aroeira.

Sua história tem início por volta de 1870, no Sítio Monte Alegre, localizado na Serra de São Bento. Local com bom povoamento e bastante próspero por causa da grande criação de gado, em que teve início uma à atual povoação.

Mas em 1953, com a criação do município de Monte Alegre, por iniciativa do Deputado Teodoro Bezerra, foi necessária que o povoado fizesse uma mudança no seu nome original - Sítio Monte Alegre - para Monte das Gameleiras, numa referência a linda árvore existente no local.

Após dez anos, no dia 8 de novembro de 1963, através da Lei nº 2.976, desmembrou-se de Japi , tornando-se município com o nome Monte das Gameleiras.

PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS
Pedra da Caridade;
Pedra da Macambira;
Pedra da Mesa;
Pedra do Navio;
Pousada Pedra Grande
Sítio Arqueológica da Pedra Pintada;

GEOTRILHAS/ EM MONTE DAS GAMELEIRAS


No dia 25 de setembro, partimos com destino mais uma vez a Região Agreste do nosso estado, com uma delegação composta por vinte e sete geotrilheiros que iriam conhecer as belezas do município de Monte das Gameleiras. Numa manhã de domingo bastante ensolarada, chegamos na praça central da pequena cidade por volta das 08h:30, quando o fomos recepcionados pelo guia Geraldo Soares, que tratou logo de passar as primeiras orientações para o início das atividades.

Após termos abastecidos os nossos reservatórios de água, partimos com destino a Pedra da Caridade, localizada próximo da cidade. Subimos a serra por uma estrada construída para a encenação da via crucis, onde tinham todas as estações que finalizavam no alto da serra, em que havia um capelinha destinada aos elegrinos que pagavam suas promessas. No alto da Pedra da Caridade, era possível avistarmos toda a cidade de Monte das Gameleiras, e o restante das formações rochosas aos redores do local.

Regressamos para a cidade, onde fomos caminhando para o seu outro extremo até uma região formada por diversos lajeiros, em que foi possível tirarmos ótimas fotos de paisagens do lado da Paraíba. Retornamos para a praça central, de onde caminhamos mais três quilômetros até a Pedra da Mesa, que recebe este nome devido a inúmeras rochas que estão dispostas em sob a serra que lembra muito uma mesa. De lá foi possível visualizarmos a outra metade da cidade, antes de seguirmos para o Restaurante Galinha da Serra.

Ao chegarmos no restaurante, que tem um linda paisagem de frente para a Pousada Pedra Grande ( uma pousada que lembra os moinhos holandeses) e outra para o Agreste do Rio Grande do Norte, onde com o auxilio de um binóculo era possível até enxergamos os prédios de Natal, a mais de 100 Km de distância. Durante o almoço foi servido o prato típico da região, uma deliciosa galinha caipira de forma tradicional e também a cabidela, atendendo todos os gostos dos geotrilheiros.

Terminado o almoço, seguimos com destino a zona rural para conhecer o Sítio Arqueológico da Pedra Pintada, onde foi possível conferirmos várias pinturas rupestres atribuídas aos índios que habitavam a região em tempos remotos.

Seguimos adiante até a Pedra da Macambira para conhecermos um outro olhar de Monte das Gameleiras, com uma paisagem bastante convidativa do alto da serra para a vida cotidiana dos habitantes da zona rural.

Com a visita a Pedra da Macambira, finalizamos o nosso dia em Monte das Gameleiras, de onde retornamos para Natal aproveitando ainda o pôr do sol que se escondia por trás das serras do Agreste. 

CONFIRA O VÍDEO DA TRILHA

Raio-X

Nível de Dificuldade – Médio
Localização da Trilha – Bom

Disponibilidade de Socorro Médico – Ruim

Apoio Logístico - Bom

Recomendações necessárias para trilhar
- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;
- Utilizar bastante protetor solar;
- Levar cantil com bastante água;
- Levar repelente contra insetos;
- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;
- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores do Parque;
- Evita incêndios, apagando cigarros e charutos antes de descartá-los;
- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor.

Onder comer
Restaurante Galinha da Serra
Fone: (84) 8707-1469 ou (84) 9194-2525

Contatos para realização de trilha
Geraldo Soares
Fone: (84) 8856-4434

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário