quinta-feira, 21 de junho de 2012

ÁGUA: ESSENCIAL E CONTAMINADA, ARTIGO DE MAURO BANDERALI



A escassez de água em certas regiões do planeta afeta hoje em dia, bilhões de pessoas no mundo. Mas a situação dos recursos hídricos fica ainda mais critica se considerarmos a quantidade de água superficial e subterrânea que está contaminada por consequência de ações humanas. A poluição da água é considerada a maior causadora de mortes e doenças em todo o mundo: estima-se que cerca de 14.000 pessoas morrem diariamente em decorrência do consumo de água contaminada.

A poluição da água em rios, represas, lagos, aquíferos e mares é um dos principais problemas ambientais do último século, que se agravou por consequência do crescimento acelerado de áreas urbanas, da agricultura e do número de habitantes do planeta. Entre os principais fatores responsáveis pela contaminação da água estão: lançamento de esgotos domésticos e efluentes industriais nos corpos hídricos, urbanização desenfreada, atividades agrícolas e de mineração, poluentes presentes na atmosfera carregados pela chuva, mudanças climáticas, entre outros fatores que colocam em risco a existência de água para consumo na Terra.

Para se ter uma ideia da dimensão do problema no Brasil, uma pesquisa recente realizada pelo Instituto de Química (IQ) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) constatou que a água potável distribuída nas torneiras de 16 capitais do país estava contaminada por substâncias ainda não legisladas. Outro aspecto que chamou a atenção na pesquisa foi a presença de cafeína em todas as amostras das cinco regiões do país. Isso quer dizer que mesmo após o tratamento, nem toda a água distribuída é segura e própria para consumo.

Além de prejudiciais a saúde, alguns contaminantes prejudicam também a vida aquática, matando peixes e plantas. É o caso do agrotóxico que hoje é considerado a segunda maior causa de contaminação dos rios brasileiros, perdendo apenas para o esgoto doméstico, ainda o maior problema. A presença de algas e cianobactérias que eliminam toxinas prejudiciais à saúde também são outra característica de locais onde o esgoto doméstico está presente.

Embora a disponibilidade de água no Brasil seja imensa, é preciso garantir sua qualidade para as gerações futuras. Por isso, ao detectar contaminantes nas reservas de água subterrânea e superficial, é necessário tomar medidas para evitar o agravamento do problema. Atualmente, já existem tecnologias que monitoram e mensuram a quantidade de resíduos e os elementos químicos presentes nesses corpos d’água. É necessário que se invista em tecnologia para que as gerações futuras possam desfrutar a imensa quantidade de água disponível no território brasileiro com qualidade.

*Mauro Banderali é especialista em instrumentação ambiental e hidrológica da empresa Ag Solve

Fonte: Ecodebate

Nenhum comentário:

Postar um comentário