domingo, 10 de fevereiro de 2013

EXPEDIÇÃO GEOTRILHAS/RN NA ESTRADA REAL - 6º Dia (Córregos - Serro/MG)



6º Dia
O sexto dia da nossa expedição a Estrada Real não poderia ter iniciado melhor. Logo pela manhã, uma densa névoa tomou conta do distrito de Córregos. Fazendo com que o lugar ficasse parecendo mais ainda com uma cidade fantasma. Os antigos casarões iam se revelando na medida em que a névoa ficava menos densa. Isso nos deu mais motivação para seguir em frente. E logo após o café, preparamos as mochilas para os 10 Km até  o distrito de Santo Antônio do Norte. 

Seguindo a pé pela estrada, os cachorros de Córregos vinham saudar a nossa partida, enquanto a sinfonia de um velho carro de boi soava suas notas estrada a fora. Por uma região repleta de fazenda de gado, o grupo se deliciava com algumas jabuticabas que apareciam pelo caminho. Algumas paisagens ao fundo nos lembrava uma moldura de quadro que tínhamos a impressão de ter visto decorando alguma sala de estar. Com um bom bate papo entre os geotrilheiros, ganhávamos mais alguns quilômetros a frente. A tranquilidade foi quebrada quando um touro bravo apareceu em nosso caminho. Obstruindo a nossa passagem, mas logo a situação foi resolvida quando as habilidades de vaqueiro do grupo apareceram. 

Já passavam das 11h:00 quando chegamos a Santo Antônio do Norte, situada e um grande vale que resguarda características do período colonial. O lugar apresenta uma arquitetura composta por sucessões de casas baixas, de taipa caiadas de branco. A formação do antigo arraial de Tapera (Santo Antônio do Norte) remonta ao século XVIII e seus primeiros habitantes se empregaram na mineração do ouro e mais tarde à fabricação de tecidos e chapéus de algodão como alternativa de sobrevivência econômica. Encontramos uma casa de família que serve refeições e que seria o local do almoço do grupo. A típica comida mineira estava mais uma vez posta na mesa para a alegria dos geotrilheiros. 

Após o almoço, teríamos mais um grande desafio pela frente. Além do sol bastante quente, teríamos uma caminhada de 14 Km até Itapanhoacanga. Com o agravante da van não poder acompanhar devido a sinuosidade das longas subidas do percurso. Porém, o sacrifício seria recompensando com o trecho mais belo da Estrada Real, segundo os moradores da região. Neste momento, apenas quatro participantes decidiram enfrentar o desafio que começou por volta das 13h:00. 

O primeiro trecho era composto por um antigo caminho de mata fechada com muitas subidas. O calor era escaldante, mas os geotrilheiros conseguiram superar. Seguimos a frente pelo que seria um grande descampado no alto da serra, que nos revelou uma linda paisagem de Santo Antônio do Norte e região. Realmente muito bonito. Mais a frente, nos deparamos com imensas formações rochosas que rebatiam em forma de eco os sons emanados de nossas bocas. Pelos caminhos, algumas criações de gado e poucas propriedades rurais. Então, como tudo que sobe  tem de descer, iniciamos a descida da serra pela estrada, dividindo-a constantemente com uma solitária Kombi que fazia o transporte escolar das crianças que residem na Zona Rural. Ao longe conseguimos ver a cidade de Itapanhoacanga, mas ainda restava uma boa quilometragem a percorrer. 

Alguns quilômetros a frente, uma cachoeira surgiu no meio do caminho para nos refrescar. Após um rápido banho, seguimos destino rumo a cidade e cerca de mais uma hora de caminhada, encontramos o César que já nos esperava. Enquanto os quatro sobreviventes descarregavam suas mochilas, uma simpática senhora nos convidou para tomar um suco em sua residência. Mostrando uma hospitalidade ímpar. Numa boa prosa com suco e café, conversamos bastante sobre a “senhora” experiência de trilhar a Estrada Real num papo bastante descontraído. Despedimos-nos de nossa anfitriã e seguimos pela MG 10, passando por Alvorada de Minas, até chegar na cidade de Serro, onde ficamos hospedados na Pousada Mariana. Estabelecida num antigo casarão da cidade. Bem em frente, estava o restaurante Rancho Serrano, onde seria o local do jantar e encerramento do dia com uma bela refeição mineira.

Belo trecho do Caminho dos Diamantes corta altas escarpas do Espinhaço e desemboca no pequeno vilarejo de Itapanhoacanga. Lá a população local conserva monumentos religiosos e ricas manifestações culturais. Itapanhoacanga é distrito de Alvorada de Minas.


Raio-X


Nível de Dificuldade – Grande

Localização da Trilha – Regular

Disponibilidade de Socorro Médico – Ruim

Apoio Logístico – Bom



Recomendações necessárias para trilhar



- Usar roupas leves, confortáveis e fechadas;

- Utilizar bastante protetor solar;

- Levar cantil com bastante água;

- Utilizar chapéu ou boné para se proteger do sol;

- Não escrever, desenhar ou danificar as árvores;

- Guadar seu lixo e obedecer às instruções do condutor.



Onde Comer 



Restaurante Rancho Serrano

Fone: (38) 3541-2095



Onde Ficar



Pousada Mariana

Fone: (38) 3541-1569



Contatos para realização de trilha



Magrelas’s

Fone: (31) 8422-4425



Primotur

Fone: (31) 3213-9839



Trilhando Minas

Fone: (31) 9811-2855

Realização
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário