segunda-feira, 3 de junho de 2013

PROJETO PARA MITIGAÇÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA EM PARCERIA COM O MCTI É LANÇADO NO SENADO


O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) participou no dia 23 de maio de audiência pública no Senado Federal, em Brasília, onde foi lançado o projeto Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil. 

Executado em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF), o projeto tem o objetivo de avaliar estratégias de redução de emissões de gases estufas e estimar gastos de iniciativas de mitigação até 2050. “O projeto reforça a colaboração entre o PNUMA e o governo brasileiro na atuação global pela redução de gases estufa. 

O Brasil tem reconhecida liderança na área, e o PNUMA quer servir como plataforma de interação entre técnicos e com outros países. É também um projeto muito importante para a missão do Escritório do PNUMA no Brasil, e uma contribuição do país para o mundo, já que em mudanças climáticas os benefícios transcentem as fronteiras”, afirmou a Representante do PNUMA, Denise Hamú. O Oficial de Programa da Divisão de Tecnologia, Indústria e Economia (DTIE) de Paris, Edu Hassing, está no Brasil para o lançamento e acompanhou a audiência pública. 

O Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre, destacou a Rede Clima, criada pelo ministério em 2008 com mais de 400 pesquisadores e que terá papel essencial no projeto, e o compromisso assumido pelo Brasil na COP-15, em Copenhagem, de reduzir voluntariamente as emissões de gases estufa até 2020. “E agora começamos a projetar além. É difícil prever o futuro, mas é importante pensar na trajetória”, completou. 

O professor Roberto Schaeffer, da Coppe-UFRJ, foi um dos pesquisadores de conciliação do projeto e o classificou como o estudo mais completo já feito no país. “Estudos semelhantes olham os setores da economia de forma individual, mas agora teremos um modelo integrado envolvendo produção de energia transporte, construção, agricultura e outras áreas com projeções até 2050. Olharemos a economia brasileira como um todo”, explicou. Os cenários serão criados para dois períodos: 2013 a 2035 e 2035 a 2050. 

O projeto foi dividido em três etapas que serão executadas em três anos. A primeira fase será dedicada ao estudo de setores específicos da economia. Posteriormente, será realizada uma análise coordenada. E, por fim, o foco estará na capacitação de instituições estaduais, federais e da sociedade civil para enfrentar os possíveis cenários, com um olhar especial para a Copa do Mundo de 2014. 

A audiência foi mediada pela senadora Vanessa Graziottin, presidente da Comissão Mista de Mudanças Climáticas, e participaram também o Diretor do Departamento de Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Adriano Santhiago de Oliveira; e o Coordenador-Geral de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Aloísio Melo. Nos dois dias seguintes ao lançamento, a equipe do projeto composta por oficiais do PNUMA e do MCTI promoveram a primeira oficina de trabalho com Edu Hassing.

Nenhum comentário:

Postar um comentário