domingo, 10 de julho de 2011

ESPETÁCULO DE VOO E CANTO DOS PERIQUITOS DA AMAZÔNIA

Por Maria Emília Coelho
Todo final de tarde milhares de periquitos começam a chegar de todas as partes para passar a noite nas frondosas árvores da Praça Santander, no centro da cidade amazônica Letícia, na Colômbia. No principal ponto de encontro local, a praça central, turistas apontam suas câmeras para o céu para registrar algo que jamais viram antes. Já os moradores do lugar contam as histórias de quem convive há muitos anos com esses pássaros.
“Gosto do som deles. Passam o dia no mato, começam a chegar só no final de tarde, lá pelas cinco e meia, seis horas. Quando se vai o último raio de sol, dormem. Às cinco da manhã despertam e se vão novamente”, descreve dona Maria de Jesus Bardalos, de 75 anos, que vende tortas e doces na praça quando acontece alguma comemoração na cidade. “Primeiro eram as colondrinas que vinham dormir aqui. Elas ficavam vindo durantes meses e depois iam embora. Em um desses intervalos chegaram os periquitos, há mais ou menos 10 anos”, conta a senhora que nasceu em Letícia e é filha dos primeiros colonos da região.

“É um pouco de ecologia dentro da cidade. Enquanto existir este parque, os pássaros estarão por aqui”, acredita a jovem Jenifer Henríquez Parra – neta de Maria de Jesus - que fez curso técnico em gestão de recursos naturais. Ela explica que ninguém pode derrubar uma árvore da praça sem pedir permissão ao Corpo-Amazonía, órgão do governo colombiano ligado ao Ministério do Meio Ambiente.
Alejanda Bedoya, bióloga da Universidade Nacional da Colômbia, revela que o nome científico dos periquitos é Brotogeris versicolo e que a região é propícia a esses pássaros: “A área é aberta, eles encontraram árvores adequadas para dormirem e uma variedade de frutas, sementes e flores”.

Alejandra é de Medelín, mas viveu quase dois anos em Letícia. Durante esse tempo, passou vários dias na praça vendo de perto o comportamento da espécie. “Os periquitos vivem em núcleos sociais muito fortes. Os casais são para toda a vida. Andam sempre em família, com seus filhos, netos, bisnetos e as famílias são grandes. No amanhecer e no entardecer, gritam como uma forma de marcar território”. E assim seguem os periquitos, levando um pouco de seu encanto a quem passa por Letícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário